Após o solene, arrasador e memorável desmentido que o igualitarismo recebeu, na semana passada, da hierárquica e multitudinária celebração do Jubileu de Diamante da Rainha Elisabeth II, ocorreu-me que algum leitor poderia ter alguma dúvida sobre nosso site.

Nele fala-se muito sobre o igualitarismo. Nos outros sites, fala-se muito pouco, ou nada. O que é o igualitarismo, afinal? Que importância tem nos dias que correm? Não é apenas um “ismo”, entre tantos outros que poluem o mundo, e que por serem tão abundantes são alvo de desinteresse?

Se Krutchev, o ditador comunista, disse que “o comunismo está para o Ocidente como um pinto dentro do ovo”, isto acontece sobretudo devido ao igualitarismo. É uma doutrina maléfica que produziu, há vários séculos, juntamente com a sensualidade, o início da decadência da civilização cristã, e conduziu os acontecimentos para o despenhadeiro em que nos encontramos. Por isso, é de alta conveniência recordarmos, ainda que brevemente, os fundamentos do que pensamos a respeito.

E o fazemos através de dez pensamentos que ora apresentamos aos leitores. Colocamo-nos à disposição para esclarecer quaisquer dúvidas que surjam.

1.     Deus na sua Sabedoria infinita criou os seres e especialmente os homens desiguais. Assim sendo, igualá-los, se fosse possível, seria contrariar seus desígnios.

2.     Seria, além disso, atentar contra a beleza que Deus pôs no universo, pois o igualitarismo é a monotonia, o cinzento, o sem graça.

3.     Assim sendo, é imoral tentar igualar os seres e os homens, contrariando os desígnios divinos. Em sentido contrário, a eliminação das desigualdades sociais é indispensável para a vitória do ateísmo no mundo.

4.     Na natureza, todos os seres são iguais apenas quanto à essência, mas desiguais em seus acidentes. Por exemplo, os cachorros, tendo todos a mesma natureza canina, nem por isso são iguais.

5.     Como as desigualdades que existem na criação são reflexos de Deus, a desigualdade é um dos principais elementos para que o homem conheça a Deus, através de seus reflexos.

6.     A tese de que quanto menos desigualdades houver entre os homens, melhor será, é tão errônea quanto seu contrário: quanto maiores as desigualdades, melhor será. As desigualdades são boas desde que sejam efetivas, mas harmônicas.

7.     As diversas tendências para uma errônea igualdade deságuam no igualitarismo, uma doutrina antinatural e imoral, condenada pelos Papas.

8.     “Desde que um homem tenha o que é necessário à  subsistência e à prosperidade sua e de sua família, e receba a justa remuneração de seu trabalho, não tem direito a deplorar que outras pessoas ou famílias possuam mais. Se o deplorar, peca por orgulho e por inveja”[1] (Plinio Corrêa de Oliveira, RAQC,  p.126.)

9.     O orgulho e a inveja são as forças propulsoras do igualitarismo. Este, é um fator de estagnação e de massificação. A desigualdade harmônica, como existiu na Civilização Cristã, é causa da felicidade possível nesta Terra.

10.  Por tudo isto, o igualitarismo em si é pecado, e pode ser grave pecado. Não ser igualitário é uma virtude.

Tendo eu citado o jubileu da Rainha da Inglaterra no início deste artigo, vem a propósito considerar o que dizia Dr. Plinio exatamente há 60 anos atrás, por ocasião da coroação ora celebrada. O ilustre brasileiro, depois de  mencionar “uma pavorosa trivialidade de vida, que tanto mais se acentua quanto mais o homem se enche dos tóxicos da igualdade”, diz algo que se aplica aos dias atuais:

“A natureza tem reações súbitas. O homem contemporâneo, ferido e maltratado em sua natureza por todo um teor de vida construído sobre abstrações, quimeras, teorias vácuas, nos dias da coroação se voltou embevecido, instantaneamente rejuvenescido e repousado, para a miragem deste passado tão diferente do terrível dia de hoje. Não tanto por nostalgia do passado, quanto de certos princípios da ordem natural que o passado respeitava, e que o presente viola a todo momento. Eis a nosso ver a explicação mais profunda e mais real do entusiasmo que empolgou o mundo durante as festas da coroação.[2]


[1] Plinio Corrêa de Oliveira et alii, Reforma Agrária, Questão de Consciência,  p.126.

[2] “Catolicismo nº 31 – junho de 1953.

6 COMENTÁRIOS

  1. O igualitarismo é contra as Sagradas Escrituras:

    Respeitai a todos, amai os irmãos, temei a Deus e respeitai o rei.

    Vós, servos, com todo o temor submetei-vos aos vossos patrões, não só aos bons e compreensivos, mas também aos que são duros.

    I Pedro. 2,17-18.

  2. Irretocável o texto do Sr. Leo Daniele. O igualitarismo significa a asfixia de todos os valores, talentos, dons e esforços individuais do ser humano. Significa o lamaçal negro e sem vida da sociedade comunista. Basta ver uma assembléia do congresso nortecoreano: nem um único aparte, nem uma única voz dissonante – autômatos, zumbis humanos sem vida, aplaudindo e adorando o chefe supremo, no absurdo e degradante culto à personalidade em que se transforma toda e qualquer organização comunista. Nós, da ultradireita, que abominamos o Estado como provedor, assistencialista, paternalista, todo-poderoso, senhor da vida e da morte, substituto esmagador da virilidade, intuição, empreendedorismo, genialidade, autoconfiança e caráter do indivíduo, Estado composto por parasitas, ditadores, criminosos, loucos e portadores de personalidades dominadoras e deformadas, temos o dever moral de lutar, até o último alento, contra esse câncer chamado igualitarismo-comunismo-socialismo-esquerdismo.

  3. Que tal verificar pelas nossas impressões digitais, únicas em todo o mundo e em todo universo? Cada um de nós é de unica formação e Deus jogo a forma fora. Esta desigualdade pérmite que nos completemos.
    Ruben Alves conmpara esse igualitarismo a uma plantação de eucalíptos, todos iguaizinhos emcrecimento, mas quando chega a hora de desmatar, estão todos de mesma bitola, de mesmo porte.
    Cada um tem o direito-dever de ser ele mesmo. Como disse D. Helder Camara: “eu preciso me renovar constantemente para ser eu mesmo”! Agora, existe aí uma coisa que no igualitarismno não tem, que é o compromisso e responsabilidade social de cada individuo com a comunidade em que vive.

  4. Foi este chamado e execrável IGUALITARISMO que levou em 1995 uma fome que atingiu aproximadamente 1.500.000 nortecoreanos, que sucumbiram diante da morte. Esta idéia absurda faz com que actualmente 3.500.000 deste povo da CORÉIA do NORTE depender de tudo o que os COMUNISTAS e as ESQUERDAS a NÍVEL MUNDIAL mais condenam no mundo, da AJUDA da ONU com o carimbo de USA. UMA LÁSTIMA onde os IGUALITARISTAS SILENCIAM.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome