04 de agosto

1789 – Reforma dos diferentes direitos feudais e do dízimo. Caricatura anônima de 1789. Um homem do Terceiro Estado : “Hé, tome, Sr. Cura, mas é a última vez “.

1578: – Batalha de Alcácer-Quibir: o rei de Marrocos derrota o exército português, e o rei Sebastião de Portugal desaparece, juntamente com alguns elementos da nata da nobreza, para nunca mais ser visto. Apelidado de “o Desejado” e “o Adormecido”, foi o Rei de Portugal e Algarves de 1557 até à sua morte aos 21 anos. A coroa é herdada pelo seu tio-avô, o Cardeal D. Henrique, abrindo caminho a uma crise dinástica em 1580, que levou à perda da independência de Portugal para a Espanha, e ao nascimento do mito do Sebastianismo.

1789: – A Assembléia Constituinte na França, um mês depois da Tomada da Bastilha, decreta o fim das corvéias e outros privilégios feudais da aristocracia, terminando assim o Antigo Regime. Triunfa assim o Estado liberal como novo sistema político. Aceleram-se as mudanças demográricas e urbanísticas, surge o proletariado industrial como nova classe oposta à burguesia, e começam os conflitos sociais que conhecerão, no século XX, como movimento operário.

1880: – O papa Leão XIII declara São Tomás de Aquino patrono de todos os centros educativos católicos do mundo.

1903: – O cardeal Giuseppe Sarto é eleito Papa, com o nome de Pio X.

1983: – Bettino Craxi se converte no primeiro chefe de governo socialista na Itália desde o restabelecimento da democracia.

Deixe um comentário!