08 DE NOVEMBRO

1519: – O conquistador espanhol Hernán Cortés entra na capital asteca Tenochtitlán (Cidade do México). Montezuma vai ao seu encontro por acreditar que ele fosse o deus Quetzlcoatl.

1799: – Final da Conjuração Baiana, também denominada como Revolta dos Alfaiates (uma vez que alguns participantes da trama exerciam este ofício) e recentemente também chamada de Revolta dos Búzios, foi um movimento de caráter emancipacionista, ocorrido no final do século XVIII (1798-1799), na então Capitania da Bahia. A revolta teve grande influência de ideias iluministas, que ganharam força com a Revolução Francesa, além de alguns processos de independência no continente americano, como Estados Unidos e Haiti, junto com a Inconfidência Mineira. Seus principais líderes foram executados.

1917: – Na Revolução Russa, os líderes bolcheviques Vladimir Lenin e Leão Trotsky ocupam postos estratégicos em Petrogrado. Lenine é eleito presidente do Conselho dos Comissários do Povo da União Soviética, e Leon Trotsky é nomeado primeiro-ministro. Começa assim efetivamente a Revolução.

– No mesmo dia e ano, em São Petersburgo, o couraçado Aurora da Armada Russa se subleva frente ao Governo provisório, e aponta seus canhões para o Palácio de Inverno, em sinal de apoio às forças bolcheviques, pressagiando o destino das Forças Armadas na Revolução de Outubro.

ONU é o grande aliado do comunismo. Na foto de 1960 Fidel Castro recebido como chefe de Estado.

1935: – Insurreição comunista no Brasil. Sublevação militar de inspiração comunista para derrubar o regime de Getúlio Vargas. A revolta estava baseada em um amotinamento inicial de guarnições militares, que seria posteriormente apoiado pela direção do Partido Comunista Brasileiro, liderado por Luís Carlos Prestes. Contava com a colaboração de outros militantes comunistas recém-chegados da União Soviética no ano anterior.

1966: – Paulo VI autoriza uma tradução comum católico-protestante da Bíblia.

2006: – A Assembleia Geral da ONU aprova resolução exigindo o levantamento do embargo econômico imposto pelos Estados Unidos a Cuba.

Deixe uma resposta