Efemérides – 30/11

0
O cruzador USS New Orleans danificado, após o confronto contra a flotilha japonesa.

1807: – A família real portuguesa, acompanhada da respectiva Corte, embarca para o Brasil por ocasião das invasões francesas. A frota, comandada pelo vice-almirante Manuel da Cunha Souto Maior, far-se-á ao mar neste dia, véspera da chegada a Lisboa do General francês Junot à frente de um exército com cerca de 26 mil homens, tendo à sua frente um destacamento da cavalaria portuguesa que se rendera e se pusera à suas ordens. A frota portuguesa aportará no Rio de Janeiro no dia 22 de janeiro de 1808.

1942: – Cruzadores americanos são derrotados por uma pequena força de destróieres japoneses, na Batalha de Tassafaronga.

Danos no USS Pensacola, um dos cruzadores engajados na Batalha de Tassafaronga, em 1942.

1977: – A TFP americana protesta contra o presidente americano Jimmy Carter pela vergonhosa entrega da coroa de Santo Estevão aos comunistas da Hungria.

1978: – É lançada no Ritz Carlton Hotel, no Canadá, nova edição de “Revolução e Contra Revolução” em língua francesa.

1988: – É lançado em Saragoça o livro da Sociedad Cultural Covadonga, co-irmã das TFPs, “Espanha anestesiada”, que analisa a origem e o desenvolvimento da crise na Espanha.

1989: – Às vésperas do segundo turno das eleições presidenciais no Brasil, a TFP publica o manifesto: “Face à dramática situação do Brasil, a TFP toma atitude entre Collor e Lula”, mostrando o perigo que seria para o Brasil a eleição do petista. Sobre isso o Prof. Plínio Corrêa de Oliveira dá entrevista à Folha de São Paulo afirmando que: “Collor, é um centrista que vai maciamente para a esquerda”.

2006: – Face à incógnita que era para muitos o que teria acontecido com a TFP brasileira, a TFP francesa publica na Folha de São Paulo a matéria: “O Brasil inteiro pergunta: O que aconteceu com o leão da TFP?”, explicando a divisão que houve depois do falecimento de seu diretor, Plinio Corrêa de Oliveira, ficando com os dissidentes, por decisão judicial, o nome e os símbolos da entidade. Essa matéria foi publicada depois em outros jornais, como por exemplo, o Diário do Comércio de Recife.

– O presidente da Bolívia Evo Morales, promulga a nova lei da reforma agrária que prevê a extinção das grandes propriedades e a redistribuição das terras aos pobres.

Deixe uma resposta