Empresa prioriza a dignidade: motoristas com gravata agradam os passageiros

1

Na contramão da proletarização que invadiu a sociedade, os ambientes e outros setores que preferimos não mencionar, a empresa Transwolff teve a ideia de valorizar seus empregados como também os passageiros: motoristas passam a usar gravata com repercussão favorável no público.

Em artigo de JESSICA MARQUES para o Diário dos Transportes: “Os motoristas da linha 6030-10 – Unisa / Sto. Amaro, na capital paulista, passaram a usar gravata. A iniciativa é da empresa Transwolff, que opera no subsistema local na zona sul de São Paulo.”

A onda conservadora que derrubou o PT precisa valorizar a dignidade humana enaltecendo a personalidade, a profissão, em última análise o senso do ser. Vamos dignificar as profissões e valorizar o ser humano.

“Segundo a empresa, a linha é a única da cidade com ônibus elétricos movidos a bateria. A operadora garante que os profissionais e passageiros aprovaram.

Interação e elevação entre passageiros e motoristas

Ainda segundo a notícia: “O motorista Tranquilino Neto de Oliveira disse que os passageiros estão elogiando. “É gratificante agradar as pessoas”, afirma.

“Por sua vez, o motorista Neviton Ramos dos Santos disse que se sentiu valorizado pela empresa. “O passageiro me disse que estou elegante”.

“O mesmo sentimento foi relatado pela motorista Marina Rita Silveira. “Eu gostei muito da gravata. Eu me senti muito valorizada com isso.”

“Os passageiros também notaram a mudança. O professor Guru Zen, que utiliza a linha há anos, contou que achou muito interessante o uso da gravata por parte dos motoristas. “Valoriza o profissional, o passageiro e é um símbolo de civilidade. É bom esse progresso, esse diferencial”, comentou.”

***

Pequena mudança que gera uma grande consequência

Explica o Prof. Plnio: “Para o demagogismo contemporâneo, filho da “massificação” hodierna, isto é, da transformação do povo em imensas massas anorgânicas, proletarizadas e anônimas, a compostura, a dignidade e a distinção constituem atributos exclusivos das classes altas. A vulgaridade, a falta de gosto, os ambientes rasteiros e sem alma são próprios às massas. E, como as classes altas estariam fadadas a desaparecer, arrastando no seu ocaso a compostura, a dignidade e a distinção, o mundo daqui por diante viveria imerso, cada vez mais, na vulgaridade proletária.”

Ora, acrescentamos, a valorização do ser humano em sua dignidade pessoal nada tem a ver com as reivindicações petistas ou progressistas. Cada ser humano, criado à imagem e semelhança de Deus, tem sua dignidade, seu valor que merece ser realçado na sua profissão.

Nossos cumprimentos à importante iniciativa da empresa de ônibus Transwolff. Sem demagogia, trabalha sadiamente contra a poluição usando energia elétrica por baterias.

Fonte: https://diariodotransporte.com.br/2021/03/14/motoristas-passam-a-usar-gravata-em-linha-que-opera-com-onibus-eletricos-de-sao-paulo/

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta