Para impor o aborto, vale tudo. Agora estão dizendo que se o feto não sente dor, pode abortar. Para onde vamos?

“Fetos não sentem dor até os 6 meses. Logo, não tem problema abortar até esse período da gestação”

Em rigor de lógica, teríamos a seguinte iniquidade:

“Pacientes sedados não sentem dor. Logo, a eutanásia não apresenta inconvenientes”

Como se o problema da morte fosse só dor… e a ausência de sofrimento da vítima justificasse o assassinato. Então se der anestésico pode matar? Aonde vamos com esses argumentos? E depois, onde estão as provas desse dado?

Veja a notícia abaixo, leitor, e tire suas conclusões.

Fetos não sentiriam dor até os 6 meses

O Estado de S.Paulo – 26 de junho 2010

Uma revisão de estudos na Grã-Bretanha afirma que fetos humanos não são capazes de sentir dor até as 24 semanas de gestação. A conclusão traz argumentos para ativistas que lutam no país para que a idade gestacional para aborto não seja reduzida das atuais 24 semanas para 22 ou 20 semanas. O trabalho, encomendado por advogados que defendem a redução da idade gestacional, mostrou que até os 6 meses as conexões nervosas no cérebro não estão prontas e o feto está inconsciente. No Brasil, o aborto é crime, exceto em caso de estupro ou de risco de morte para a mãe. Projeto recente defendeu o direito ao aborto até os 3 meses (12 semanas), mas não avançou no Congresso. / Com AP

14 COMENTÁRIOS

  1. Ah, e lembrando que o aborto no Brasil É SIM CRIME, apenas não se aplica pena se cometido em caso de estupro ou risco de morte. Como bem explicou Pe. Lodi:

    Os abortistas se apóiam no artigo 128 do Código Penal, que assim se exprime:
    Não se pune o aborto praticado por médico:
    I – se não há outro meio de salvar a vida da gestante
    II – se a gravidez resulta de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante ou, quando incapaz, de seu representante legal.

    A redação é clara. Não está escrito “não constitui crime” mas tão-somente “não se pune”. O médico que pratica aborto nesses dois casos comete crime, embora esteja isento de punição.
    O mesmo acontece com o furto quando praticado em prejuízo do ascendente, descendente ou cônjuge. O artigo 181 do Código Penal diz que nestes casos o criminoso fica “isento de pena”. Mas ninguém de bom senso chamaria de “furto legal” àquele que é praticado pelo filho contra o pai, simplesmente porque tal furto não se pune. Nem ousaria dizer que é um “direito” dos filhos furtar dos pais. E muito menos chegaria ao cúmulo de dizer que tal “direito” deveria ser exercido com o financiamento do Estado, sugerindo que as escolas públicas ensinassem às crianças a maneira mais segura de surrupiar coisas dos pais.

  2. Como se a dignidade da vida humana se medisse por quão aguçados os sentidos forem. Se for assim, matar pessoas com hanseníase não é crime, pois as mesmas não sentem dor. E vemos a cada dia bebês prematuros sobrevivendo fora do útero, com 22 semanas, inclusive. Seria lícito, então, deixá-los morrer?

  3. Desde quando o sentir ou não sentir dor é critério válido para medir a dignidade de um ser humano? Todo ser humano é pleno de dignidade, independentemente de sua capacidade de sentir dor, nenhuma, pouca ou muita.

  4. Acho o estudo uma mistificação contrária a tudo o que sabemos. Sabemos, por experiência que um feto reage a estímulos exteriores, como por exemplo, se contrai quando picado.
    Não é isto que me leva a escrever, até porque na realidade o que está em discussão no aborto é a vida e não a dor. Se for a dor, lá se vai a pena por homicidio, porque se pode arranjar forma da vítima não sentir dor.
    O que me leva a escrever, é que nós próprios o que estamos do mesmo lado da barricada, aceitamos abrir os flancos por onde as tropas inimigas. Diz o artigo que no Brasil o aborto é crime, excepto no caso de estupro e perigo de vida para a mãe.
    E não é nada disto. No Brasil, o aborto é crime. Ponto final, Não podia ser de outra forma, porque se o aborto não fosse crime, o artigo seria inconstitucional. A legislação, porém não penaliza como crime o aborto feito em consequência de um estupro ou de perigo para a vida da mãe. Continua a ser crime, porém a esse crime não corresponde qualquer pena.

  5. @JOSE ANTONIO
    Olá, José Antonio,
    boa tarde.
    Seu comentário é interessante, mas é preciso que diferenciemos:
    1- O espermatozóide é uma célula viva, mas não é um ser humano vivo. Caso vc alimente o espermatozóide e o proteja… continuará sendo um… espermatozóide;
    2- O óvulo também é uma célula viva, mas também não é um ser humano vivo. Caso vc alimente o óvulo e o proteja… continuará sendo um… óvulo;
    3- A nova célula, resultado da penetração do espermatozóide no óvulo é uma célula viva, mas, agora, também um novo ser humano, em sua fase inicial de desenvolvimento. Caso esta nova célula seja alimentada e protegida… atingirá as outras fases do desenvolvimento de um ser humano (gestação, nascimento, infância, juventude, fase adulta e idosa).

    Espero ter ajudado. Abraço, André

  6. Então está implicito que se tivermos uma diferença com alguma pessoa se dermos anestesia, poderemos atirar com um revolver e mata-la, sem sermos incriminado, afinal ela não sentiu dores….pelo amor Deus, esses abortistas perderam a noção do certo e errado, vamos anestisiar esses debiloides e mata-los, não nao vamos abaixar ao nivel deles até porque se estivermos a andar pela rua e formos mordido por um cão raivoso, nós nunca iriamos correr atras do cão para morde lo tambem……

  7. A única coisa que eles querem provar com isso não é que há como morrer sem dor, mas que há como matar sem dor … na consciência…

    O problema é que os interesseiros preferem acreditar nisso para poder matar … o remorso…

    É um duplo assassinato!

  8. É absurdo pensar dessa maneira !!!! Essa gente não tem alma !!!! Não podemos permitir que o homem em nome da ciência, mate seres humanos que não podem se defender !! Isso me revolta e muito !!!! Infelismente não pude ter os meus filhinhos, e uma notícia dessa magnitude me deixa muito triste e revoltada. Tenho certeza de que Deus terá piedade dessas crianças que são impedidas de nascer. Agora, quanto as pessoas que as matam, aí eu já não sei.

  9. Um dia desses fiquei imaginando que a vida vem pelo gameta masculino e que o óvulo, apesar de conter todas as características da mãe, não possue a vida em si, senão teria duas vidas. Além disso, se milhões de espermatozóides são expelidos e ao penetrar no óvulo apenas um, os demais morrem; e se morrem é porque tinham vida. O que me fez pensar também é quando em laboratório injetam um agulha em uma celula para realizarem a fecundação in vitro; espetam a agulha com algo vivo, senão o cientista não teria como realizar a fecundação como se vê acontecer por aí em mulheres cujo marido tenha falecido, mas deixado semem estocado. Podemos imaginar quantas coisas acontecem alheias à vontade de Deus? Pode ser que no momento de injetarem o conteudo vivo na celula não tenha dor alguma alí, mas depois de formado só a insensibilidade pode dizer um absurdo daqueles.

  10. Tenho lido que o feto fica tão arraigado à mãe que dificilmente se separam um do outro. E que na hora do parto a mãe sente as dores e o bebê não. E que o filho chora ao estimulo do médico para abrir-lhe os pulmões. Mas é coisa entre mãe e filho. É claro que o bebê é sensivel a dor e a outros estímulos. Claro que há um mistério aí. E isto me faz lembrar João Batista ainda no ventre de Isabel estremecer ao ser saudado pela Mãe de Jesus.
    Como não sentir dores se o bebê é todo latente e sensível a estimulos? Quando ele se encosta na barriga da mãe e esta lhe faz caricia ele se desencosta para outro lado, sensivel a cócegas? Isto é motivode orgulho para a mãe sentir o filho vivo e reagindo?
    POIS ESTAMOS PERCEBENDO QUE QUEM SÃO INSENSIVEIS ÀS DORES SÃO OS ABORTISTAS DE PLANTÃO. ESSES CRIMINOSOS PELAS ATITUDES DEMONSTRAM INSENSIBILIDADES DESDE A VIDA INTRA-UTERINA E PASSARAM A VIDA PROVOCANDO DORES ALHEIAS. SÓ PODE SER ISSO.
    UMA HISTORIETA DEMONSTRA ISSO: UM CIENTISTA DEMONSTROU QUE A PULGA “ESCUTA PELAS PERNAS”. ELE FEZ A EXPERIENCIA DIZENDO “PULA” E A PULGA PULOU. ARRANCOU UMA DAS SUAS PERNAS E DISSE “PULA”, ELA AINDA PULOU. A CADA UMA QUE ARRANCAVA, DIZIA “PULA”. E A PULGA PULAVA MESMO COM UMA PERNA. QUANDO TIROU A ULTIMA ELA NÃO PULAVA E, PORTANTO, NÃO OBEDECIA MAIS O COMANDO DE “PULA”. LOGO INTERPRETOU QUE A PULGA OUVE PELA PERNA. UM ABSURDO PARA ILUSTRAR QUE ESSES ABUTRES ABORTISTAS IMAGINAM QUE O BEBÊ É INSENSIVEL ÀS SUAS SANHAS DE MATÁ-LOS. DEVE HAVER UMA INTERPRETAÇÃO ERRADA EM TUDO ISSO, ENTRE OUTRAS COISAS.

  11. Certa vez ouvi, em “debate” (só havia um dos lados discursando…) sobre a eutanásia, que o conceito de vida deve envolver vida com qualidade; então, a partir do momento em que deixasse de estar presente a “qualidade”, já não haveria problema em matar – aliás, matar seria uma espécie de “ato de caridade” para com a pessoa. Para lá caminham as coisas!

  12. Os abortistas querem matar e procuram toda sorte de argumento para justificar o ato.
    Como diz o Sr. José Viana, os abortistas, cegos de odio dos nascituros, se apegam como abutres a um argumento de um nivel de baixeza incomparavel.
    Eu creio que essa atitude ja depassa a maldade humana. Isso ja faz pensar em satanismo.

  13. Já eu já imaginava o tipo de baixeza de argumentação dos abortitas, mas esta de dizer que só porque não se sente nada pode-se matar é de um nível de baixeza incomparável, não se pode chegar mais baixo. Só mesmo com indigção se pode argumentar contra isso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome