O cineasta Wang Bing [foto] produziu dois filmes sobre os capítulos mais sinistros da revolução socialista chinesa: a) a campanha de 1957 contra os “direitistas”, que deportou centenas de milhares de chineses para campos de concentração onde os prisioneiros morriam como moscas, de frio, esgotamento e maus tratos; b) o chamado “Grande Salto Adiante”, em que a fome matou entre 20 e 30 milhões de pessoas. Até hoje está proibido na China falar desses massacres, descritos em termos idílicos pelas esquerdas do Ocidente. Os filmes de Wang Bing rompem esse sigilo criminoso. O extermínio de pessoas, onipresente na China, exige um meticuloso julgamento internacional.

 

4 COMENTÁRIOS

  1. Quem diria a China sendo o país mais populoso do mundo, com uma economia crescente a ponto de poder chegar a ser a primeira na esfera, usar de método tão antiquado quanto à religião católica, onde seus cristãos são impedidos de se manifestar!…devemos estar atentos, não dar tanta importancia à seus produtos, e que nossos governantes prestem muita atenção no que acontece lá. abraço do amigo Esmeraldo.

     
  2. Seria então bem o caso de a D. Dilma, na próxima viagem que fizer à China, proponha aos seus companheiros ideológicos daquele país a criação de uma “Comissão da Verdade”.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here