Formação: Sacralidade, a nova “arma” contra o progressismo

0

Estamos no 13 de maio, primeira aparição de Nossa Senhora em Fátima. A reforma de vida, pedida por Nossa Senhora, envolve primordialmente a conversão. A crise na Santa Igreja, levada a cabo pelo progressismo dito “católico” será abordada, nesse artigo, sob o prisma da anti sacralidade.

“Santo Tomás foi uma vez jantar ou almoçar com São Luiz. E, em dado momento, durante a conversa, ele entra em abstração e começou a pensar em algo diferente do assunto de que se falava. De repente, ele, homem corpulento, dá um murro na mesa, e interrompe sua abstração para dizer: “ergo concluso contra maniqueus” (portanto, está concluído contra os maniqueus). O argumento está montado para derrotar os maniqueus. Foi um acontecimento na mesa do Rei; mandou-se  buscar gente para escrever o que Santo Tomás havia engendrado contra os maniqueus. E foi com certeza o acontecimento do dia no palácio, acontecimento que deve até ter sido comentado no conselho de Estado como o mais importante do dia, ou da semana, ou do mês: Frei Tomás encontrara um novo argumento contra os maniqueus.”

Divisor de águas entre progressistas e doutrina tradicional da Santa Igreja

Foto à esquerda: “Autoridade, subordinação e “alienação”  na Igreja Católica. No Mosteiro cisterciense de Poblet, na Espanha, Monges prosternados por terra fazem o mea culpa perante o Abade e o Capítulo.”

À direita: “Dominicanos vestindo batina efetuam uma manifestação de protesto diante do DOPS, em São Paulo. O traje eclesiástico os protege contra a prisão. É a hora em que a sacralidade é lembrada…” (1)

Se São Tomás estivesse entre nós, no século XXI, diria: tenho novo argumento contra a TL e o progressimo!

E o Prof. Plinio acrescenta: Por que São Luiz, rei de França, por que São Tomás “dava tanta importância a um novo argumento?”

“Porque eles compreendiam que um argumento a mais era uma arma definitiva  a mais  e que nada é mais importante do que um argumento novo. Este é o valor de um argumento na época em que as idéias, a lógica e as argumentações verdadeiramente tinham força.”

https://www.pliniocorreadeoliveira.info/DIS_1957_aulaigualitarismo01.htm

Nossa ajuda aos conservadores

Os valorosos e batalhadores da boa causa católica (antiprogressistas e anticomunistas), esparsos por esse País-continente, constituíram grupos atuantes na Terra de Santa Cruz.

O Instituto Plinio Corrêa de Oliveira coloca a seu dispor as doutrinas da Contra-Revolução e a experiência acumulada de mais de meio século de batalhas contra o progressismo, contra o socialismo, contra o comunismo.

Porta de entrada da capela, Sede do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira, São Paulo

Nosso Congresso anual, em São Paulo, recebe jovens atuantes de suas respectivas cidades, que nos procuram para estreitar colaboração, permutar experiâncias, aprimorar os argumentos. https://ipco.org.br/simposio-internacional-comeca-hoje-assista-ao-vivo-como-derrotar-a-esquerda-em-2022/

O Site do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira fornece matéria diária de formação religiosa (Santo do Dia), uma Resenha de acontecimentos históricos, análise de notícias que se sobressaem sobre a ótica que mais interessa aos conservadores.

Com uma mão, construir; com a outra, combater dentro da Moral e da Lei, os inimigos da Religião e da Pátria.

O terço e a espada bem simbolizam essa dupla modalidade de ação. Porta de entrada da Sede do Reino de Maria, São Paulo.

Com isso, entramos no tema da Sacralidade.

A Sacralidade, nova arma a ser inserida no movimento conservador

Vamos apresentar o tema Sacralidade como antítese do progressismo em matéria de paramentos, objetos religiosos, arquitetura, pintura, liturgia e é claro, doutrina.

O que é a sacralidade? “É aquilo de um objeto por onde se nota mais facilmente nele seu relacionamento com Deus, através de sua inserçäo no plano de Deus e através de sua semelhança com Deus.”

Como ensina São Boaventura:

“A Criação do mundo é como um livro no qual resplandece, manifesta-se e se lê a Trindade criadora em três graus de expressão, isto é, como vestígio, como imagem e como semelhança” (Sao Boaventura, Breviloquium, 2-12).

“Imagem e semelhança” aplicam-se somente aos homens, porque têm alma; “vestígios”, aos seres irracionais.

***

Em outras palavras, continua o Prof. Plinio: “Sacral é tudo aquilo que, visto por algum ângulo, tem especiais qualidades para lembrar a Deus.  Nem é visto por algum ângulo: tudo aquilo que tem especiais qualidades para lembrar os supremos atributos de Deus, isto é sacral.”

Ele complementa: “Agora, também apresentam certo aspecto de sacralidade aquilo que näo tendo aqueles atributos que especialmente lembram a Deus, tenham um lado por onde se considerando se chega até Deus.” (2)

Ou seja, seres que nos ajudam a lembrar de Deus, nos convidam a elevar até o Criador.

Sacralidade e anti sacralidade: tradicionalismo vs. progressismo

O progressismo pode ser definido, também, como a religião horizontal, da anti sacralidade.

Vamos a alguns exemplos que nos ajudam a compreender facilmente o caráter anti sacral do progressismo. Notadamente da TL.

Os paramentos de inspiração progressista (à direita) negam o caráter sacral da liturgia (foto à esquerda) — com o fim de remeter o fiel para Deus

Ensinam os progressistas que “A condição sacerdotal não mais se deve considerar sagrada, já que a sacralidade morre com a morte de todas as alienações.
“No modo de se apresentarem, de se trajarem e viverem, os Sacerdotes devem ser como quaisquer leigos, já que a esfera do sagrado, a que pertenciam, desapareceu, e eles se devem integrar sem reservas na esfera temporal. Analogamente se devem portar os Religiosos, se ainda houver os três votos de obediência, pobreza e castidade na Igreja desalienante e desalienada.” (3)

À esquerda, (quadro do pintor Salinas, retratando o Batismo) a foto procura realçar o caráter sobrenatural do Batismo. O progressismo, fotos da direita, procura dessacralizar o cerimonial desse Sacramento que nos torna filhos de Deus.
São Pio X, o Papa antimodernista, com a tiara pontifícia, nos lembra a grave missão dada por Nosso Senhor a Pedro: apascenta as minhas ovelhas. A Ordem, a Jurisidição, o Magistério.
O projeto de catedral (em execução) em Belo Horizonte: a anti sacralidade se ostenta numa “igreja povo de Deus” “igreja de saída”, gosta de afirmar o presidente da CNBB, em que o transcendente e o sacral são eliminados. À direita, a catedral de Nossa Senhora da Boa Viagem, região central de BH, com adoração perpétua.

A “Igreja Nova” é anti sacral

A Igreja Nova, usava-se essa expressão logo após o Concílio, é horizontalista. A Santa Igreja Católica, Apostólica, Romana é transcendente.

GRUPOS OCULTOS TRAMAM A SUBVERSÃO NA IGREJA
“No alto da Cruz, nosso Senhor Jesus Cristo não sofreu apenas em razão dos ultrajes morais e físicos que Lhe foram infligidos por seus algozes.
“Padeceu também na previsão de todos os pecados que se cometeriam até a consumação dos tempos. “Entre eles a trama secreta feita em poderosos meios católicos para “reformar” a Igreja – transformando-A em uma Igreja-Nova panteísta, desmitificada, dessacralizada, desalienada, igualitária, e posta a serviço do comunismo – constituiu por certo um dos mais atrozes tormentos de nosso Divino Redentor. Sim, d’Ele que ensinou por sua Vida, Paixão e Morte o contrário de todos esses erros clamorosos.”

O trecho acima inicia a publicação histórica da revista Catolicismo (maio-junho 1969) com ampla documentação sobre a infiltração progessista na Igreja. (4)

A TFP incumbiu-se de divulgar esse número especial com Caravanas de jovens que percorreram o território nacional.

Foto da “Ceia” progressista nos anos 60. Onde a Sacralidade da renovação do Sacrifício incruento do Calvário?

“A a Igreja-Nova panteísta, desmitificada, dessacralizada, desalienada, igualitária, e posta a serviço do comunismo”.

Progressismo, TL, esquerdismo são as duas faces da mesma moeda. As CEBs, a CPT, parte da CNBB foram os maiores palanques do PT e o levaram ao Poder.

Voltando à tese do artigo

Vimos o conceito de Sacralidade: “É aquilo de um objeto (de uma pessoa, de uma civilização) por onde se nota mais facilmente nele seu relacionamento com Deus, através de sua inserçäo no plano de Deus e através de sua semelhança com Deus.”

Em outras palavras, continua o Prof. Plinio: “Sacral é tudo aquilo que, visto por algum ângulo, tem especiais qualidades para lembrar a Deus.  Nem é visto por algum ângulo: tudo aquilo que tem especiais qualidades para lembrar os supremos atributos de Deus, isto é sacral.”

Em seguida, mostramos com fotos e textos que o progressismo tem uma doutrina nova, oposta ao ensinamento da Santa Igreja. E que um dos aspectos dessa doutrina é anti sacralidade.

Por fim, o convite ao conservadorismo católico de primar pela Fé, pela sã doutrina do Magistério, e nos esplendores litúrgicos, pela Sacralidade dos gestos, da liturgia, das músicas, do cerimonial, dos paramentos.

Uma missão importante dos conservadores católicos, batalhar pelo retorno da Sacralidade.

***

A Sacralidade não é privativa da Ordem Espiritual. A Cristandade foi a sacralização da Ordem Temporal. Essa seria uma excelente abordagem do tema Sacralidade com vistas à formação dos conservadores católicos: “Se a Revolução é a desordem, a Contra-Revolução é a restauração da ordem. E por ordem entendemos a paz de Cristo no reino de Cristo. Ou seja, a civilização cristã, austera e hierárquica, fundamentalmente sacral, anti-igualitária e antiliberal.” (5)

Fica ai uma importante indicação à reação conservadora: assim como o progressismo e TL pregam o igualitarismo e tendem para o comunismo, nós, conservadores querem a civilização sacral, anti-igualitária e antiliberal.

Pretendemos voltar ao tema sobre a dessacralização levada a cabo pelo progressismo, uma meta a serviço da igualdade entre os homens e Deus. O conceito de Deus, na doutrina, na mentalidade dos progressistas não é um Ser eterno, transcendente, imutável, onipotente, onisciente.

Para os progressistas Deus não é um Ser impessoal, pelo contrário, está imanente na Criação.

Nossa Senhora Aparecida vele pela reação conservadora católica e a conduza às santas e sacrais aspirações que nos levam à santidade.

(1) https://www.pliniocorreadeoliveira.info/livros/IDOC%20e%20Grupos%20Prof%C3%A9ticos(3).pdf

(2) Primeira Aula sobre Igualitarismo, anos 50 – Prof. Plinio Corrêa de Oliveira

(3) https://www.pliniocorreadeoliveira.info/livros/IDOC%20e%20Grupos%20Prof%C3%A9ticos(3).pdf

(4) https://www.pliniocorreadeoliveira.info/livros/IDOC%20e%20Grupos%20Prof%C3%A9ticos(3).pdf

(5) https://www.pliniocorreadeoliveira.info/RCR_0202_reacao.htm

Deixe uma resposta