Great Reset: seguir o algoritmo (robô) ou a luz primordial?

Nova Ordem Mundial ou desenvolver a Luz Primordial

0

Se você não quer ser um robô, da Nova Ordem Mundial, defenda-se das imposições ditatoriais.

O algoritmo decide por mim, sou um robô?

Publicamos, no último artigo, um frisante exemplo de despersonalização: “só quero que o algoritmo faça isso por mim. Ele conhece meu gosto melhor do que eu agora. Quando a I.A. [Inteligência Artificial] e os robôs assumiram grande parte do nosso trabalho, de repente tivemos tempo para comer bem, dormir bem e passar tempo com outras pessoas. […] https://ipco.org.br/novo-normal-o-algoritmo-conhece-melhor-o-meu-gosto-renuncie-a-ser-voce-mesmo/

Como é possível uma pessoa aceitar de tal modo a despersonalização que prefira seguir o algoritmo? Pretendemos abordar isso mais adiante. Por ora, fixemos a noção de Luz Primordial, nosso escudo, nossa defesa, nosso farol contra a despersonalização, que será a consequência inevitável do Great Reset.

A Luz Primordial: como ser eu mesmo e não um robô?

“Nossa luz primordial é, em última análise, o conhecimento que temos daquilo que deveríamos ser — [segundo os planos de Deus para nós mesmos] –. O fato de que todas as potências de nossa alma, estimuladas pela graça, têm no fundo este conhecimento e a tendência para isso, esta é a luz primordial. É fora de dúvida que, considerada a questão do ponto de vista pessoal, a nossa luz primordial é o meio que temos para realizar a glória de Deus no que diz respeito às nossas pessoas”. (1)

Continua o Prof. Plinio: “A luz intelectual do homem – e de todo homem – no plano natural e sobrenatural, é mais forte a respeito de uns tantos pontos, que correspondem à sua luz primordial. Como através da luz primordial o homem tem uma visão muito clara do que o cerca, ela lhe dá umas tantas certezas que são critério para outras certezas.”

“Desta maneira, se alguém está certo de que os pontos A, B e C estão de acordo com sua luz primordial, todas as consequências de A, B e C serão certas também, e tudo que contrarie estes pontos é errado.”

“Propriamente, somente quem corresponde à sua luz primordial tem certeza de que está no bom caminho. O homem que a ela não corresponde é um espírito incapaz de certeza.”

A luz primordial nos faz ver com clareza

“Analisando as coisas sob o prisma da luz primordial tudo se torna muito simples porque ali vemos a verdade com muita clareza. A luz primordial é uma espécie de espinha dorsal do mecanismo da certeza. Quando o homem não é fiel à sua luz primordial acaba por querer conquistar as verdades, não a partir desta luz, mas por um jogo de raciocínio. E a vida se torna a selva escura de que nos fala Dante, pois se não tratarmos de iluminá-la, a partir das certezas de nossa luz primordial, não teremos verdadeira certeza, nem do bem e nem do mal, nem da verdade e nem do erro.”

“A imensa maioria dos homens, no entanto, não procura sua luz primordial, mas, por outro lado, também não se entrega de tal maneira ao vício capital que, ao menos nesta linha, construa uma série de teses que queira adotar como verdade; entrega-se a este vício de maneira nebulosa e vaga, e sente-se, então, incapaz de formar qualquer certeza.”

O reino das impressões, contrário da Luz Primordial

“A vida, aos olhos do homem que perdeu esse rumo (luz primordial), se transforma no reino das impressões. Se, em pequeno, conheceu no Grupo Escolar uma freira muito boa, amável, conserva uma grande ideia da Religião. Mas se, por outro lado, teve depois contato com um professor de espírito voltairiano, muito jocoso, mestre em anedotas anticlericais, que ele considerou muito espirituosas, passou a simpatizar com o anticlericalismo. Se viu, nos museus da Europa, belos objetos aristocráticos, admirou a sua classe. Mas se também assistiu a uma fita de cinema em que a aristocracia era representada de modo desfavorável, terá ficado com certa antipatia.” (2)

Uma catedral de assuntos que nos dizem respeito

“Se a pessoa prestar atenção, perceberá muito claramente que, em todo estudo que faça, em toda matéria que aborde, há ali um ponto que lhe diz respeito, que toca na “catedral” dos assuntos que lhe dizem respeito. Em última análise, aprofundando bem, a pessoa encontrará a sua luz primordial [Cada alma tem uma tendência para o mal que é mais forte que as outras, e é por onde é tentada: o vício capital. Em sentido contrário, há uma tendência mestra, que varia de pessoa para pessoa, e que é o aspecto de Deus que mais é chamada a espelhar: a luz primordial, n.d.c.]. De onde seu interesse por este ou aquele assunto que, do contrário, seria para ele como estudar grego ou chinês.” (3)

Essa “catedral”, acrescentamos, é a luz primordial

***

Luz primordial de povos?

As noções dadas pelo Prof. Plinio se aplicam também a famílias, cidades, regiões, povos? A resposta é sim!

Luz primordial: segundo muitos autores espirituais, cada alma tem uma tendência para o mal que é mais forte que as outras, e é por onde é tentada: o vício capital. Em sentido contrário, há uma tendência mestra, que varia de pessoa para pessoa, e que é o aspecto de Deus que mais é chamada a espelhar: a luz primordial. Por extensão, pode-se falar em luz primordial de uma família, uma cidade ou uma região.

Isso nos leva à ideia de que o Great Reset, o Novo Normal podem ser vistos como a negação da luz primordial, ou como uma imensa operação de lavagem cerebral de pessoas, regiões, povos.

Great Reset: redefinir tudo, esmagar toda luz primordial

“Na edição de 2019 do Fórum Econômico Mundial, em Davos, a ativista verde Greta Thunberg tinha aberto a pista na qual os empresários iriam esquiar: “Eu não quero que vocês tenham esperanças, eu quero que vocês entrem em pânico[66]. Coube ao fundador-presidente do Fórum, o Dr. Klaus Schwab, materializar o desejo da jovem ativista, e o fez declarando: “A pandemia representa uma rara e estreita janela de oportunidade para refletir, reimaginar e redefinir tudo, e criar um futuro mais saudável, mais equitativo e mais próspero”[67]. Palavras aparentemente simpáticas, mas que ocultam a enorme mudança social que está em curso e à qual se deu o nome de “novo normal” e “Great Reset”.

Notemos bem, é uma planificação mundial, de fora para dentro, socialista, ditatorial, a nova senzala mundial.

A colaboração do Vaticano

Afirma o Manifesto do Instituto: “Com grande dor e estupor, verificamos que um novo e decisivo apoio à germinação de um governo mundial unificado proveio do Papa Francisco… Não somente por suas contínuas críticas a uma gestão das crises sanitárias respeitosa da soberania dos países e suas declarações no sentido de que a pandemia exigia uma resposta global[78], mas acima de tudo pela publicação de sua controvertida encíclica Fratelli Tutti.

“Para o Pontífice, a crise de saúde da covid-19 foi a grande oportunidade para sairmos da “autoproteção egoísta”: “Oxalá já não existam ‘os outros’, mas apenas um ‘nós’”, para que “a humanidade renasça com todos os rostos, todas as mãos e todas as vozes, livre das fronteiras que criamos” (Fratelli Tutti nº 35), pois “a verdadeira qualidade dos diferentes países do mundo mede-se por esta capacidade de pensar não só como país, mas também como família humana” (FT nº 141).

Segundo Francisco, é preciso “pensar e gerar um mundo aberto” (é o título do capítulo 3º da encíclica), onde vigorem “direitos sem fronteiras” (é o subtítulo de uma seção), pois “ninguém pode ser excluído” e “os confins e as fronteiras dos Estados não podem impedir que isto se cumpra” (FT nº 121). Mas, “para se tornar possível o desenvolvimento de uma comunidade mundial capaz de realizar a fraternidade a partir de povos e nações que vivam a amizade social” (FT nº 154), é necessário “fazer crescer não só uma espiritualidade da fraternidade, mas também e ao mesmo tempo uma organização mundial mais eficiente” (FT nº 165).”

O leitor, pode analisar o texto acima, sob a ótica da luz primordial de indivíduos, regiões, povos. Nele tudo aponta para o coletivismo, a despersonalização, a morte da individualidade.

***

Esperamos tratar de outros aspectos de como ajudar o jovem de hoje a ser ele mesmo, realizar o plano de Deus para cada um, ajudar a edificar o Reino de Maria. Essa sim, será a resposta divina ao Great Reset: o Reino de Maria, prefigurado por São Luis Grignion de Montfort em seu Tratado da Verdadeira Devoção.

Nossa Senhora nos ajude, nos ilumine, nos fortaleça: por fim o meu Imaculado Coração triunfará!

(1) Reunião de 22 janeiro de 1971

(2) https://www.pliniocorreadeoliveira.info/DIS_640615_RCR_03.htm#.YLar2qhKiMo

(3) https://www.pliniocorreadeoliveira.info/DIS_SDT_0072_comoestudar.htm

Deixe uma resposta