Incertezas sobre a vacina chinesa … na China

0

A pandemia do covid-19 se assemelha, cada vez mais, a um labirinto para o qual não temos guias seguros, gps, nem informações cientificamente incontestes.

E a Midia alarmista deita seus holofotes aumentando os fatores de confusão. Ela só não consegue dar notícias de alento, de esperança, de conforto. Por exemplo, omite que o Brasil já curou mais de 8 milhões e que nossa equipe médica arca com mais de 10% das curas em todo o Orbe.

Em uma pesquisa com 1.196 pessoas de 10 empresas de correio expresso que operam no distrito, apenas 12 pessoas (tabela acima) se dispuseram a ser vacinadas.

Merck interrompe desenvolvimento de vacinas

WASHINGTON, D.C., 29 de janeiro de 2021 (LifeSiteNews) – A empresa de vacinas Merck, sediada nos Estados Unidos, anunciou que está interrompendo todo o desenvolvimento de suas vacinas COVID-19, uma vez que os resultados deram menos proteção do que a obtida com a “infecção natural”.

A Merck, ou MSD fora dos Estados Unidos e Canadá, anunciou a notícia em um comunicado à imprensa alguns dias atrás, dizendo que toda a produção e desenvolvimento de ambas as vacinas candidatas cessariam. Ambos os candidatos foram feitos em conjunto com outras empresas: o V590 era um projeto conjunto com a IAVI e o V591 estava sendo desenvolvido com o Institut Pasteur e a Themis.”

Uma conclusão honesta, científica e coerente da Merck. Nossos aplausos. Quando encontrarem uma vacina eficaz certamente continuarão a desenvolvê-la pelo bem dos homens.

A maioria dos residentes no distrito de Xangai se recusa a tomar a vacina

Passamos agora à China.

“Uma pesquisa com residentes em Xangai, incluindo pessoas que estão em “alto risco” de contrair COVID-19, revela que uma baixa porcentagem deles está disposta a tomar vacinas COVID-19 de fabricação chinesa, de acordo com um conjunto de documentos internos obtidos por The Epoch Times.”

“Os funcionários da burocracia do governo local não estavam mais dispostos a tomar a vacina. Por exemplo, o Shanghai Medical Insurance Management Center, uma agência do governo municipal, entrevistou 155 pessoas, e 25 pessoas disseram que estavam abertas a tomar a vacina.”

“Pessoas que trabalham com logística e transporte também foram identificadas pelas autoridades chinesas como de alto risco de contrair a doença. Em uma pesquisa com 1.196 pessoas de 10 empresas de correio expresso que operam no distrito, apenas 12 pessoas se dispuseram a ser vacinadas.”

Xangai: ressurgimento de infecções e áreas bloqueadas

O centro financeiro (Xangai) está atualmente passando por um ressurgimento de casos, com algumas áreas da cidade fechadas totalmente.

“O distrito de Jing’an é uma das principais áreas urbanas de Xangai, com cerca de 1,06 milhão de residentes permanentes; 39 por cento deles têm mais de 60 anos.”

Nossa Midia não vai informar que há mais um foco de infecção na China, com áreas de Xangai fechadas. Nem comentará a rejeição que a vacina tem … na própria China.

Baixa aceitação da vacina

“Um conjunto de relatórios de trabalho de janeiro da comissão de saúde do distrito de Jing’an, obtido pelo The Epoch Times, contém dados de pesquisa sobre a disposição dos moradores de tomar vacinas chinesas para COVID-19. Das 113.000 pessoas entrevistadas pela comissão, 24.000 – ou cerca de 21 por cento – disseram que gostariam de ser vacinadas.”

Enquanto isso, 11.811 pessoas no distrito já receberam a primeira dose da vacina COVID-19, e 668 pessoas receberam uma segunda dose.

“Embora os documentos não indiquem qual vacina do fabricante foi administrada, é provável que seja da empresa farmacêutica estatal Sinopharm, uma vez que é a única que os reguladores chineses aprovaram para a população em geral.”

Recordamos, o acordo de Doria com a China é com a Sinovac enquanto os reguladores chineses aprovaram, internamente, a Sinopharm. Quem vai entender?

“De acordo com os dados, no Hospital de Mulheres e Crianças Cishuixian de Xangai, apenas 33 pessoas disseram que gostariam de ser vacinadas, entre 135 questionados. No Hospital da China Oriental de Xangai, 616 pessoas indicaram disposição, de um total de 1.261 entrevistados. O Hospital de Dermatologia de Xangai encontrou 124 pessoas que afirmaram estar dispostas a ser vacinadas, em uma pesquisa com 735 pessoas.”

“Os funcionários da burocracia do governo local não estavam mais dispostos a tomar a vacina. Por exemplo, o Shanghai Medical Insurance Management Center, uma agência do governo municipal, entrevistou 155 pessoas, e 25 pessoas disseram que estavam abertas a tomar a vacina.”

Na mesma entrevista coletiva, as autoridades disseram que as vacinas serão administradas em “três etapas”. O primeiro passo é para “populações-chave”, incluindo equipe médica e pessoal que trabalha em companhias aéreas, fronteira e alfândega e logística; a segunda etapa é vacinar grupos de alto risco, como idosos e pessoas com doenças crônicas e de base; a terceira etapa é vacinar a população em geral.

Dados elucidativos de pesquisas na China

“O relatório também mostrou que 17 casos de reações adversas foram notificados, incluindo 12 casos de “reações gerais”, quatro casos de “reações anormais” e um “evento acidental”. O último termo se refere a um evento que ocorre após a vacinação, mas não é causado pela vacina.”

“Em uma entrevista coletiva realizada em 9 de janeiro pelo Conselho de Estado do governo central, funcionários afirmaram que as vacinas COVID-19 de fabricação chinesa apresentam poucos riscos à saúde.”

“Mas, em uma pesquisa sobre as instituições de assistência social e de assistência a idosos do distrito, apenas 48 pessoas estavam dispostas a ser vacinadas de 1.317 pessoas pesquisadas em 42 lares de idosos e um centro de assistência. Em 35 dessas instalações, não havia nenhuma vontade – ninguém disse que estava disposto a ser vacinado.”

Cautela também em Hong Kong

A executiva-chefe de Hong Kong, Carrie Lam, — uma lacaia de Pequim — “também disse que o governo criou um comitê de especialistas para verificar a qualidade das vacinas e estabeleceria um fundo de indenização para ajudar aqueles que desenvolveram reações raras e graves após serem vacinados com as vacinas.”

“O Dr. Leung Chi-chiu, especialista em medicina respiratória, concorda que o público deve ser capaz de fazer escolhas em circunstâncias bem informadas.
“Se nenhuma escolha for dada a uma pessoa e se surgirem efeitos colaterais após a vacinação, muitas disputas desnecessárias podem surgir”, disse Leung.

***

A pandemia do covid-19 se assemelha, cada vez mais, a um labirinto para o qual não temos guias seguros, gps, nem informações cientificamente incontestes.

A Merck chega à conclusão — honestamente — que interrompe todo o desenvolvimento de suas vacinas COVID-19, uma vez que os resultados deram menos proteção do que a obtida com a “infecção natural”.

Milhões e milhões de brasileiros já temos os anticorpos. Oficialmente curados, mais de 8 milhões.

Nossa Senhora Aparecida vele pela Terra de Santa Cruz. Hoje, festa de Nossa Senhora da Luz, tenhamos a confiança de que Ela nos guiará para a realização da providencial missão do Brasil na defesa dos Valores Morais.

Fonte: https://www.theepochtimes.com/majority-of-residents-in-shanghai-district-refuse-to-take-chinese-covid-19-vaccine-govt-survey_3680649.html

Deixe uma resposta