Stalin mandou matar de fome milhões de ucranianos. Foto: ruas de Jarkov, Ucrania

“A Igreja Ortodoxa Russa foi utilizada pelo regime de Stalin para a liquidação pela força da Igreja Greco-Católica Ucraniana”, mas “o clero ortodoxo [= cismático] russo ainda não se desculpou com o greco-católico pela apropriação indevida de todos os seus bens”, vem reafirmando Sua Beatitude Sviatoslav Shevchuk, arcebispo-mor do rito Greco-Católico ucraniano, em entrevistas como a veiculada pela agência Religious Information Service of Ukraine – RISU.

“Na minha opinião, a capacidade de pedir desculpas indica uma consciência cristã, e é uma condição necessária para a chamada purificação da memória.

O Papa Francisco e o “patriarca” russo Kiril se beijam em Havana

“Por exemplo, houve um verdadeiro arrependimento e perdão mútuo entre a nossa Igreja e a Igreja Católica Romana da Polônia.

“Eu sei de fonte segura que os bispos poloneses procuram realizar um ato semelhante de reconciliação mútua com a igreja ortodoxa russa.

“Mas quando se trata de a igreja ortodoxa [= cismática] russa pedir perdão à Igreja Católica da Polônia, aparecem logo as dificuldades”, observou o chefe do rito católico ucraniano.

O arcebispo-mor da Ucrânia disse que por causa disso não houve reconciliação simbólica entre o rito que ele preside e a igreja ortodoxa [= cismática] russa.

“Muito frequentemente, eles falam sobre a dificuldade de ter um encontro com o Papa, que, segundo o patriarca Kirill [russo cismático], é causada pelos Uniatas [greco-católicos] na Ucrânia ocidental.

“Isso vem sendo repetido há perto de 20 anos, quase todo ano, em vários foros.

Dom Sviatoslav Shevchuk, arcebispo mor do rito greco-católico ucraniano

“Mas o verdadeiro obstáculo é a incapacidade de admitirem os próprios erros, especialmente o fato de que a igreja ortodoxa russa foi usada pelo regime de Stalin para a liquidação pela força da Igreja Greco-Católica Ucraniana”, concluiu.

Entrementes, enquanto essas verdades históricas vem sendo reafirmadas uma e outra vez, a Ostpolitik vaticana prodiga sinais de amizade preferencial por essa igreja cismática russa.

Exemplos eminentes e clamorosos desse imprudente favoritismo e simpatia pelos cismáticos russos em detrimento dos católicos da Rússia e da Ucrânia são a declaração conjunta do Papa Francisco e o “patriarca” russo Kiril em Havana e a visita do Secretário de Estado, Cardeal Parolin, à Rússia.


Noticias sobre o flagelo russo podem ser lidas no blog: https://flagelorusso.blogspot.com.br

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here