Revivendo o heroísmo católico, tão necessário em nossos dias, um jovem católico de 15 anos, na Polônia, ficou de pé com um grande crucifixo e um rosário para bloquear uma marcha do (chamado) Orgulho LGBT no sábado e acabou sendo removido à força pela polícia.

Jakub Baryla: defesa da Fé contra o mal e os pecados

Lutando bravamente pela Santa Fé contra a ideologia LGBT”

“Meu herói do mês é esse jovem irmão polonês, conhecido pelo nome de Jakub Baryla. Apenas 15 anos de idade e já está lutando bravamente pela Santa Fé contra a degeneração LGBT. Que o Todo-Poderoso o abençoe”!, comenta Guillaume Von Hazel, católico de Köln”. Assista ao video https://www.cnsnews.com/blog/michael-w-chapman/catholic-polish-teen-christian-cross-held-high-defies-lgbt-parade

Assim comenta cnsNews, Michael W Chapman, 13 de agosto: “Jakub Baryla mais tarde disse que Jesus “se levantava contra o mal e os pecados” e que “nossa santa fé nos ordena neutralizar as más ações”.

Apoio moral entusiástico da TFP americana

“A organização católica internacional TFP (Tradição, Família e Propriedade) twittou: “A juventude em todo o mundo está de pé em relação ao avanço LGBT. Este jovem polonês de 15 anos ergueu um crucifixo para confrontar a parada do orgulho gay. Imagine centenas de crucifixos erguidos, para enfrentar cada parada do orgulho. Imagine milhares! Que mensagem poderosa seria para o mundo”. https://twitter.com/JakubBary

“Estava indo contra as más ações”

Continua cnsnews: “O jovem Baryla comentou que estava “indo contra as más ações que estão promovendo a homossexualidade“. A Polônia é um país fortemente católico. O casamento é legalmente definido como sendo entre um homem e uma mulher e o chamado casamento gay não é reconhecido”.

O que motivou o jovem Baryla foi o histórico enfrentamento contra os bolcheviques e as ofensas LGBT contra a Virgem Maria

“Conforme relatado pelo Site “A Igreja Militante” e outros meios de comunicação, Baryla disse que ele foi inspirado a ficar com uma cruz contra os manifestantes LGBT da maneira como o padre. Ignacy Skorupko permaneceu com os soldados poloneses contra os bolcheviques comunistas em agosto de 1920. Baryla acrescentou que ele ficou altamente motivado a agir depois de ver uma representação blasfema, com o arco-íris gay e a Virgem Maria sendo carregada pelos ativistas homossexuais”.

Pedi a um sacerdote um crucifixo para enfrentar a passeata

Ainda segundo cnsnews: “Pedi uma cruz de um padre de uma paróquia de Płock”, disse Baryla. “O padre estava com medo de ateus profanarem a Santa Cruz, mas ele me deu um crucifixo. Eu queria que o maior número de pessoas pudesse ver meu gesto. Eu queria fazê-los refletir e discutir. Primeiro, andei com uma cruz na mão, na frente do cordão policial que protegia a Marcha da Igualdade”.

Insultos à Virgem Maria de Czestochowa

 Fé, pureza e patriotismo diante dos insultos à Nossa Senhora

Prossegue csnnews: “Um participante segura uma moldura representando a Virgem Maria com um halo de arco-íris, durante a primeira parada do orgulho gay organizada em Plock, na Polônia central, em meio a riscos de distúrbios em 10 de agosto de 2019”. –

Policiais vieram até mim

  Continua o jovem: “Mais tarde, sentei-me na calçada e rezei em latim as palavras da Salve Regina”, disse ele. “Dirigi minha oração à Mãe de Deus, o ideal de pureza. Policiais vieram até mim e me pediram para sair do caminho. Eu disse que não poderia fazê-lo porque os participantes da marcha estão destruindo minha fé católica e profanando a bandeira polonesa colocando um arco-íris nela”.

“Em maio, a polícia deteve uma mulher em Plock, suspeita de colocar cartazes “profanando” uma imagem da Virgem Maria com um halo de arco-íris. O quadro na imagem mostra uma imagem da Madona Negra de Czestochowa, um ícone venerado da Virgem Maria, que fica localizado no devoto mosteiro de Jasna Gora”.

Igreja e Estado consagram a Polônia a Jesus Cristo

“Em 19 de novembro de 2016, os bispos católicos da Polônia, o presidente Andrzei Duda, outros líderes governamentais e dezenas de milhares de leigos consagraram publicamente a Polônia a Jesus Cristo. Eles reconheceram formalmente a Cristo como rei da Polônia e pediram a Ele que governasse seu povo e sua terra”.

Eles rezaram:

– “No aniversário do Jubileu do ano 1050 do Baptismo do povo polonês, no Jubileu Extraordinário da Misericórdia, aqui, nós, poloneses, (…) para reconhecer seu reino, render-se à sua lei, confiar e levá-Lo para nossa pátria e toda a nação … Confessamos diante do céu e da terra, que de seu reino precisamos … Desejando adorar a majestade de Teu poder e glória, com grande fé e amor, clamamos: Domine-nos, Cristo!”

* * *

Um exemplo para nossos jovens brasileiros: sabermos unir nossa Fé à defesa dos Valores Morais, à defesa da nossa soberania nacional (Amazonia) ameaçada desta vez pelos eclesiásticos da Teologia da Libertação e pelo Sinodo Pan Amazônico.

  • Fonte: https://www.cnsnews.com/blog/michael-w-chapman/catholic-polish-teen-christian-cross-held-high-defies-lgbt-parade
  • NR: assista ao vídeo clicando no link

Deixe uma resposta