“3 de julho de 2020 (LifeSiteNews) – Um Tribunal de Apelação francês decidiu que 12 estudantes universitários que ingressaram em uma ação espontânea contra um estande de “direitos LGBT” em La Roche-sur-Yon, a capital administrativa da Vendéia no oeste da França, “Não culpado” de insultos homofóbicos e obstrução a uma manifestação pública legal.

Como sempre a Mídia contra os Valores Morais e direitos humanos do católico fiel

“O evento ocorreu no ano passado, em 18 de maio, levando à indignação da mídia contra os jovens adultos. Eles foram imediatamente sancionados pela Universidade Católica, na qual a maioria deles frequentou: ICES, “Institut catholique d’tétudes supérieures da Vendée”.

Tribunal de Recurso de Poitiers absolve os jovens

“Sua absolvição pelo Tribunal de Recurso de Poitiers é um tapa na cara do CIEM, cujo presidente, Eric de Labarre, havia apresentado seu grupo de estudantes como um “grave incidente” e anunciou que medidas disciplinares seriam tomadas. Isso ocorreu apesar do ataque ter ocorrido após o final do ano acadêmico – os estudantes haviam acabado de receber os resultados dos exames – e fora do campus da faculdade, fechado na época. De fato, nem todos os jovens que ingressaram eram estudantes do CIEM.”

O CIEM condena todas as formas de violência (sic)

“Em 20 de maio de 2019, de Labarre disse: “O CIEM condena todas as formas de violência usadas para promover qualquer condenação. … A atitude deles é prejudicial para a reputação do CIEM e, como tal, eles não apenas serão responsabilizados perante os tribunais, pois a queixa foi apresentada, mas também perante o CIEM. ” As autoridades da universidade chegaram ao ponto de divulgar a identidade dos estudantes que haviam participado do incidente à polícia.”

“Os ativistas LGBT pediam sanções e expulsões para os estudantes e o CIEM adotou seu vocabulário, falando de sua “posição anti-homofobia”.”

***

A incoerência da Universidade Católica: “Em nenhum momento a hierarquia da universidade católica lembrou que, se o respeito por todas as pessoas é uma necessidade, a manutenção do ensino católico também é. Embora reconheçam que seus métodos podem ter sido mal aconselhados, vários dos jovens manifestantes anti-LGBT insistiram que ficaram com raiva de ver promoção pública de desordem moral.

“O promotor público da Vendéia, em comunicado à imprensa, disse na época que “não havia ligação” entre os incidentes e o fato de que alguns dos jovens estudavam no CIEM.”

*** ***

Acrescentamos, por quê razão a Universidade Católica se põe então na defesa da agenda lgbt?

Se o católico não tem mais o direito de afirmar a Doutrina Católica, então está configurada uma ditadura da mordaça. E, infelizmente, tantos no Clero a favor da mordaça … do bem.

Continua LifeSiteNews com as acertadas declarações de um estudante punido pela Universidade Católica:

Vitória total contra o rolo compressor

“A. ressaltou particularmente que a decisão marca “vitória total” contra o rolo compressor ideológico que havia sido posto contra eles: “Nossa reação imediata é que obtivemos uma imensa vitória em mais de uma contagem. Nosso principal objetivo era derrubar as acusações de obstrução e insultos.

“Nossa vitória foi completa porque derrubamos o maquinário – incluindo o político – que estava em ação contra nós. ”

““O segundo ponto é que o CIEM cometeu uma falta muito grave ao condenar e expulsar ou ameaçar expulsar seus membros por crimes que legalmente não existem. Dois jovens foram expulsos por meros delitos policiais.

“Fui pessoalmente condenado a 180 horas de trabalho comunitário pela Universidade e estava sob ameaça de suspensão de 18 meses, enquanto agora fui totalmente isento de todas as acusações. Até o juiz presidente da Corte comentou o caráter “excepcional” dessas sanções. O CIEM foi realmente muito zeloso nesse caso ”, observou ele.”

A Universidade Católica (CIEM) pune os que defendem a ortodoxia, condenam com base em delitos inexistentes … e favorecem a agenda lgbt. Por quê?

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/french-court-acquits-young-people-of-homophobia-charges-after-their-catholic-university-denounced-them

Deixe uma resposta