Mau começo: Deputado Cohen (D-Tenn.) ultraja a Guarda Nacional americana

0

Estamos longe da era do Terror da Revolução Francesa com a sua iníqua Lei dos Suspeitos. Mas a Guarda Nacional americana, em pleno 2021 está sob inspeção.

Foi muito infeliz e injuriosa a declaração do deputado democrata Steve Cohen (D-Tenn.) de que qualquer soldado que não votou no presidente eleito Joe Biden possa estar planejando um chamado ataque interno. Ela é “muito ultrajante”, disse o governador da Geórgia na terça-feira.

“O deputado Steve Cohen (D-Tenn.) durante uma aparição na CNN no dia anterior afirmou que a Guarda Nacional é “predominantemente conservadora” e disse que estimava que 75 por cento dos guardas em Washington não votaram em Biden e estão, portanto, “na grande classe de pessoas que podem querer fazer algo. “

Também em São Paulo ouvimos declarações contra a Polícia Militar que seria por demais conservadora. Tentativas de reciclar a PM vêm a baila, apesar da Corporação ser muito popular.

A Farda é incompatível com o “temperamento” da Revolução

Ensina o Prof. Plinio:

A farda, por sua simples presença, afirma implicitamente algumas verdades, um tanto genéricas, sem dúvida, mas de índole certamente contra-revolucionária:

– A existência de valores que são mais que a vida e pelos quais se deve morrer – o que é contrário à mentalidade socialista, toda feita de horror ao risco e à dor, de adoração da segurança, e do supremo apego à vida terrena.

– A existência de uma moral, pois a condição militar é toda ela fundada sobre idéias de honra, de força posta ao serviço do bem e voltada contra o mal, etc. 

3. O “temperamento” da revolução é infenso à vida militar

“Por fim, entre a Revolução e o espírito militar há uma antipatia “temperamental”. A Revolução, enquanto não tem todas as rédeas na mão, é verbosa, enredadeira, declamatória. Resolver as coisas diretamente, drasticamente, secamente more militari, desagrada o que poderíamos chamar o atual temperamento da Revolução. “Atual”, frisamos, para aludir a esta no estágio em que se encontra entre nós. Pois nada há de mais despótico e cruel do que a Revolução quando é onipotente: a Rússia dá disto um eloqüente exemplo. Mas ainda aí a divergência subsiste, posto que o espírito militar é coisa bem diferente de espírito de carrasco.” (*)

Poderíamos atualizar os dados mostrando que Cuba, Venezuela, Coreia do Norte e o Exército do Povo chinês são outros exemplos de despotismo da Revolução.

Declarações do governador da Georgia Brian Kemp

“Eu pensei comigo mesmo: ‘Isso é muito ultrajante‘”, disse Kemp, lembrando como as tropas da Guarda Nacional da Geórgia que guardavam o Capitólio do Estado durante o verão “eram o grupo mais diversificado que você já viu em sua vida, e eles estavam lá fazer uma coisa e isso era seguir as ordens, para proteger o Capitol e proteger a propriedade na cidade de Atlanta e os ativos do estado naquela época. “

“São boas pessoas. Esses são grandes patriotas ”, acrescentou, elogiando a ajuda das tropas na administração da vacina COVID-19 e no manuseio de alimentos durante a pandemia.

“O escritório de Cohen não respondeu a um pedido de comentário. Pressionado para saber se tinha evidências para apoiar sua sugestão enquanto estava na CNN, Cohen disse que não.”

Também o governador do Texas reage

Todo o pessoal da Guarda Nacional em Washington protegendo a cidade para a posse de Biden estava sendo examinado, disse o secretário de Defesa em exercício, Christopher Miller, esta semana. Doze soldados foram retirados do serviço, dez por causa da verificação, disseram autoridades na terça-feira.

O governador da Georgia, “Kemp disse a Fox que acreditava que a verificação era “um processo normal”, mas o governador do Texas Greg Abbott apresentou isso como uma afronta, prometendo não enviar tropas da Guarda Nacional do Texas a Washington no futuro se elas “fossem desrespeitadas dessa forma”.”

***

Saibamos tirar a lição dos fatos e aplicar ao nosso Brasil. Um especial convite de vigilância à reação conservadora brasileira.

Seria muita ingenuidade pensar que a esquerda deixaria passar essa ocasião (6 de janeiro) de se infiltrar nas manifestações pró Trump. Em tantas outras ocasiões, inclusive no Brasil, ela tem feito isso. Com que proveito? Criar pretextos para acusar os republicanos de agitação.

Ai estão alguns frutos que a esquerda quer tirar da manifestação pró Trump. Pelosi e Schumer quiseram forçar Pence — que não aceitou a pressão — a destituir o Presidente Trump com base na 25a. Emenda.

A vigilância é uma virutde. A desconfiança sadia previne muitos males. Não sejamos imprudentes no Brasil, não criemos pretextos para os inimigos de nossa Pátria. Nossa Senhora Aparecida guiará o Brasil para sua providencial missão.

Fonte: https://www.theepochtimes.com/rep-cohens-smearing-of-national-guard-pretty-outrageous-georgia-governor_3663943.html

Deixe uma resposta