Menti, menti… Algo sempre ficará

Quanto se tem falado da maravilha que é o paraíso cubano…

E um dos principais argumentos dos que fazem tal propaganda é que a medicina cubana é modelo para o mundo todo. Quem nunca ouviu falar isso?

Porém, na realidade, as coisas são bem diferentes…

Uma notícia do Estado de São Paulo do dia 12 de novembro de 2011 mostra que o governo brasileiro vai criar uma espécie de cursinho para os “médicos” brasileiros formados em Cuba.

Atualmente os médicos formados no estrangeiro precisam participar de um exame chamado Revalida para poderem trabalhar no Brasil. Mas o processo não é fácil. Basta ver os resultados: este ano dos 677 “médicos” a fazerem o exame, apenas 65 foram aprovados. E, em 2010 apenas 2 foram aprovados dum total de 628 participantes.

Mas o governo anunciou que promoverá uma espécie de curso preparatório para os brasileiros formados em Cuba enfrentarem tal exame (sic!). E ainda há mais…

Além das aulas teóricas e práticas, os formandos vão receber uma bolsa de ajuda de custo no valor de R$ 1.240,00 durante dez meses. E, além dos R$ 2 milhões que serão necessários para as bolsas, serão necessários recursos para o pagamento de 15 professores. Quem vai financiar isso?

Carlos Vital, vice-presidente do Conselho Federal de Medicina, manifestou o desacordo da associação com tal iniciativa e disse: “Não entendo essa lógica de mobilizar uma estrutura pública, com salas e professores, para um grupo pequeno de brasileiros” e ainda mais pagar uma “ajuda de custo”… “Isso é tirar de dentro de casa para se dar o que não tem. Por que esses alunos merecem um privilégio como esse?”

Realmente, contra fatos não há argumentos. Mas o que dirá os propagandistas da tão modelar medicina cubana? Reconhecerão seu erro? Ou simplesmente ignorarão tal fato e continuarão a alardear a “magnífica medicina de Cuba”, fruto do esplêndido regime comunista?

Tais propagandistas têm por lema uma famosa frase do ímpio Voltaire: “Menti, menti… Algo sempre ficará”…