DivórcioO portal de notícias IG reproduziu em 7 de agosto um artigo da agência EFE sobre o importante papel que a família, na Itália, teria neste momento de crise financeira, não fossem os fatores de decadência que nela penetraram.

“A família é o amortecedor secreto da crise social”, disse Marco Ferraroti, sociólogo e professor da Universidade La Sapienza de Roma. Ferraroti observa que, pela influência da Igreja Católica, a Itália ainda “é muito mais familiar do que qualquer outro país da Europa” e que “a crise da sociedade enfatizou o papel da família”. “Quando nada funciona em uma sociedade, a família é que resolve os problemas”, explicou.

Para Giussepe Roma, diretor-geral do Centro de Sociologia Censis, a família italiana “é o grande motor do país”, mas constata que a instituição já não é mais como outrora. A baixa natalidade fez com que no país a metade da população seja constituída atualmente por idosos. Além disso, os divórcios e a falta de casamentos entre pessoas abaixo de 35 anos tornou a família menor e mais fraca. “Nos encontramos diante de uma forte crise de valores e, portanto, a família como pilar da sociedade corre sério risco”, afirmou Giussepe Roma.

Para o leitor, quais dos fatores abaixo contribuem mais para aumentar a crise e a decadência da família?

3 COMENTÁRIOS

  1. Antes de concordar com a livre imprensa, os meios de comunicação deveriam avaliar o público que os assiste e tomar muito cuidado com o que leva ao ar, sejam as novelas, notícias, programas variedades, etc. As esponjas mal preparadas, absorvem só o que interessa e não o sentido filosófico de suas intenções contidas muitas vezes implícitas) nos textos. Porém, sexo, propaganda de produtos e banditismo, estão sempre explícitos! Haja cérebro! Em defesa da censura!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome