“Narrativa”, o novo “dogma” da esquerda mundial

0

Marx afirmou que a Religião é o ópio do povo. Fidel Castro, Mao, Xi Jinping seguiram a mesma cartilha de perseguição às religiões, à crença no Deus Vivo e Verdadeiro, especialmente ao Catolicismo. O recente Acordo Vaticano-Pequim não passa de um artifício comunista para exterminar o Catolicismo, afirmou o Cardeal Zen.

O comunismo tem seus “dogmas”

O Comunismo, que nega os dogmas da Santa Igreja tem, entretanto, seus “dogmas”: materialismo, coletivismo, despersonalização, supressão dos direitos individuais. O comunismo não é apenas um Partido, é fundamentalmente uma seita.

Escreveu o Prof. Plinio, em seu livro Diálogo:

uma seita filosófica ateia, materialista e hegeliana, a qual deduz dos seus
errôneos princípios toda uma concepção peculiar do homem, da economia, da
sociedade, da política, da cultura e da civilização;
uma organização subversiva mundial: o comunismo não é apenas um
movimento de caráter especulativo. Pelos imperativos de sua própria doutrina quer
ele tornar comunistas todos os homens, e amoldar inteiramente segundo os seus
princípios a vida de todos os povos. Considerada neste aspecto, a seita marxista
professa o imperialismo integral, não só porque visa a imposição do pensamento e
da vontade de uma minoria a todos os homens, mas ainda porque essa imposição
atinge o homem todo, em todas as manifestações de sua atividade.”

Nós, ocidentais, tantas vezes encharcados do liberalismo e otimismo nos iludimos com a China de Xi Jinping: na realidade ela é a mesma de Mao. Porventura Xi Jinping condenou o extermínio ou genocídio levado a cabo pela Revolução de 1949, com dezenas de milhões de mortos?

Narrativa”, “teoria da conspiração”: novos “dogmas” da esquerda

O comunismo clássico fracassou. A esquerda colocou novas máscaras; o desgaste da luta de classes, do MST, da revolução armada, da TL forçaram o comunismo gerar outros disfarces. Atualizemos, nós, anticomunistas, o Quadro da luta em 2021.

Narrativa”, “desinformação”, “teoria da conspiração”: novos “dogmas” da esquerda.

A palavra “narrativa” entrou na linguagem com um significado novo, um sentido talismânico. Narrativa é uma elaboração, uma construção subjetiva, independente da realidade e tantas vezes contra a realidade objetiva dos fatos. Narrativas são construídas, pela mídia de esquerda, como os novos dogmas da religião universal, para fazer caminhar a Revolução do Great Reset.

A CPI da Covid trabalha com “narrativas“: incriminar o governo Bolsonaro, demonizar o tratamento precoce, guilhotinar os médicos que salvam vidas, usando Ivermectina, hidroxicloroquina. E a midia de esquerda — surfando numa bolha imaginária de um prestígio desgastado, do século XX, tenta passar a falsa imagem ao público.

O novo inimigo, a psy war comunista, surfa as “narrativas”. É necessário, portanto, desmitificar as “narrativas”.

  1. Mostrar que as “narrativas” fazem parte da psy war de nossos dias. É preciso insistir nesse ponto: “narrativa” é palavra-talismã, moderna arma da psy war comunista.
  2. “Narrativa” é um balão frágil: não resiste à análise, à lógica.
  3. Pelas Redes Sociais atualizar a luta antissocialista e anticomunista denunciando esse jogo psicológico: ir contra a “narrativa” seria “desinformação” que por sua vez faz parte da “teoria da conspiração”.
  4. A Midia já não é o IV Poder do século XX; seu desgaste é notório.
  5. A reação conservadora é a maior força do Brasil.
  6. Divulgar a tese de Revolução e Contra Revolução do Prof. Plinio (pdf gratuito). Não se trata de “teoria da conspiração”, tenhamos coragem de afirmar: é a nova fase da Revolução anticristã que há 5 séculos tenta destruir a Santa Igreja e a Civilização Cristã.

A Petição de 213 Padres Conciliares condenando a Revolução

… “uma petição subscrita por 213 Padres Conciliares, de 54 países, que rogam faça o II Concilio Ecumênico Vaticano — em sua próxima sessão — uma nova condenação do marxismo, do socialismo e do comunismo, em seus aspectos filosófico, sociológico e econômico, expondo ao mesmo tempo a doutrina social católica, e profligando os erros e a mentalidade que preparam o espírito dos católicos para a aceitação daqueles sistemas falsos.”

“A primeira observação a ser feita se refere ao sentido profundo da Petição. Constitui ela uma tomada de posição em face do grande processo igualitário e ímpio, de descristianização do Ocidente — a Revolução — que, tendo tido seus primórdios na Renascença e na Pseudo-Reforma, se afirmou na esfera política com os erros da Revolução Francesa, e chegou ao extremo da abominação com o comunismo.” https://www.pliniocorreadeoliveira.info/MNF_631203_peticao_200_bispos_concilio.htm

Concluímos: a nova fase da psy war comunista usa as palavras talismã (narrativa, desinformação, teoria da conspiração) devido ao fracasso da luta de classes. O objetivo da Revolução, no momento, é desacreditar, ridicularizar e abater a reação conservadora e anticomunista.

Saibamos atualizar nossas armas, mostrar a nova fase da psy war, com seus dogmas mascarados de “narrativas”.

  • Nossa Senhora Aparecida nos guie, nos ilumine, nos dê forças contra o dragão comunista disfarçado, um novo “Cavalo de Troia”.
  • Confiança: “esse ainda será um grande País!

Deixe uma resposta