Nos EUA a grande questão: valores morais, por que não?

Ativas organizações conservadoras dos mais variados pontos dos EUA se reuniram em Washington entre 7 a 9 de outubro para o sexto “Values Voter Summit”.

Temas de grande interesse foram abordados pelos conferencistas em palestras contra o aborto, contra o sistema de saúde socialista, contra o “casamento” homossexual e contra a aceitação de homossexuais nas Forças Armadas.

A TFP americana, através do seu setor TFP Student Action — que tem feito brilhantes e destemidas campanhas nos mais variados campus universitários daquele país em defesa dos valores morais e enfrentado com destemor agressões de homossexuais — manteve um stand muito bem equipado com vídeos, publicações e faixas como se vê nas fotos.

O dinamismo da conferência demonstrou como o movimento pelos Valores Morais nos EUA é o fruto de uma das mais nobres preocupações do país.

Esta iniciativa dos norte-americanos – com a qual a American TFP colabora habitualmente – nos faz lembrar a tese tantas vezes defendida pelo Prof Plinio Corrêa de Oliveira em escritos e conferências: o alicerce de toda civilização é a moralidade.Que importância pode haver para os nossos dias a busca dos valores morais?Vem ao caso recordar as palavras do Prof Plinio publicadas no Legionário, tido então como órgão oficioso da Arquidiocese de São Paulo:

“O alicerce de toda civilização é a moralidade. E quando uma civilização se edifica sobre os alicerces de uma moralidade frágil, quanto mais ela cresce, tanto mais se aproxima da ruína. É como uma torre que, assentando-se sobre alicerces insuficientes, ruirá desde que chegue a certa altura. Quanto mais se sobrepõem uns andares a outros, tanto mais está próxima sua ruína”. (in Legionário 27-9-1931).

Velheira? Conselhos ultrapassados? Poderia indagar alguém tomado pelas “novidades velhas” divulgadas por certa mídia.

Nos Estados Unidos de hoje a procura pelos valores morais é crescente. O recente Congresso em Washington cujas fotos estampamos bem o mostram. É crescente o número de jovens que se voltam para uma formação tradicional, contrários ao aborto e ao chamado “casamento” homossexual. Não houve até hoje um Estado da federação americana que introduzisse – por via de plebiscito – o tal “casamento” homossexual.

A participação dos jovens americanos na famosa Marcha pela Vida, em Washington, é maciça, totalizando não menos de 80%.

Quanta razão tinha o Prof Plinio ao escrever que o “alicerce da civilização é a moralidade”.

Neste mês de outubro marcado pela comemoração do dia 12, dedicado à Nossa Senhora Aparecida, e do dia 13 – data da última aparição de Fátima – voltemos nossos olhos para a Providência Divina que inspire em todos os continentes uma verdadeira volta aos valores morais.