O brasileiro tem sêde de moral – onde estão os missionários para a ensinar?

    HR842 SÃO PAULO/SP 29/08/2013 POPULAÇÃO IBGE CIDADES - O Brasil já tem mais de 200 milhões de habitantes, aponta estimativa do IBGE, que divulgou nesta quinta-feira, 29, a projeção da população até o ano de 2060. Na foto Rua 15 de Novembro, no centro de São Paulo. FOTO: HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO

    Segundo um estudo da empresa Flyfrog, intitulado Moral e Ética: quais os valores que norteiam os brasileiros, os assuntos morais são mais relevantes do que os éticos (OESP, 17/12/15). Em outras palavras, os atos mais diretamente relacionados com princípios morais e religiosos falam mais à alma do público do que a mera legislação.

    O aborto, por exemplo, foi considerado dez vezes mais grave do que pagar uma comissão ilegal por um negócio, ou mesmo pior do que a corrupção política. A blasfêmia, muito pior do que comprar mercadoria pirateada. E assim por diante.

    É evidente que há práticas ilegais que trazem no seu bojo a negação direta de um princípio moral. Por exemplo, comprar produto sabidamente roubado. Também é evidente que a moral é transgredida hoje de todos os modos no Brasil, e que ninguém – ou quase ninguém – dá a isso a importância devida. A pesquisa, portanto, não demonstra um grau aceitável da moralidade brasileira, nem de longe.

    Entretanto, a meu ver, traz uma lição para a classe diretamente responsável pelos assuntos morais: o episcopado e o clero. Com efeito, a Igreja foi fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo para ser a Mestra da Moral e a Guardiã da Verdade revelada. No exercício dessa missão, é Ela assistida pelo Divino Salvador com favores, graças e dons especiais para levar as almas à prática da verdadeira moral, isto é, da Lei de Deus.

    A pergunta que não cala – já há décadas! – é: tem o clero brasileiro cumprido no seu conjunto essa missão? Há quanto tempo já não vemos o episcopado, em vigorosa coesão, na defesa de viseira erguida da lei de Deus? Quantas vezes não tem sido o contrário, precisamente o contrário?

    A pesquisa mostra que o público brasileiro, apesar da orfandade religiosa, o que tem ainda no fundo da alma é o sentimento religioso. Se aqueles chamados à guarda da moral cumprissem hoje sua missão, quão fácil seria reestabelecer no povo os princípios religiosos, éticos e morais! Sim, missionários verdadeiros, missionários imbuídos do verdadeiro espírito cristão, missionários católicos convictos e sinceros (quem dera hoje isso ainda fosse pleonasmo!).

    Mas… as últimas notícias sobre missionários o que dizem? O Conselho Indigenista Missionário, órgão ligado à CNBB, está por detrás das invasões de propriedades no Mato Grosso de Sul. Já são mais de 90 invasões. Isto é, mais de 90 atentados ao 7º e 10º Mandamentos da Lei de Deus: Não furtar e Não cobiçar as coisas alheias. Mais de 90 atos imorais, perpetrados pelos que deveriam ser os guardiões da Moral!

    P.S.: Alguém me fez um comentário de outra índole sobre a mesma pesquisa, que deixo à apreciação do leitor: Se o governo federal acha que o repúdio que lhe tem a maioria da população é só, ou sobretudo, por causa da corrupção financeira, está enganado. O que conta mais é a corrupção moral, e a destruição dos princípios morais levada a cabo pelo governo do PT.