“Vacinismo” é discriminação! Onde fica a liberdade prometida pela Revolução?

0

Diz o conhecido adágio: o demônio promete mas não dá. O Prof. Plinio formula mais ou menos assim: o demônio vai retirar exatamente aquilo que ele finge prometer.

Uma fragrante contradição

Ativistas pró aborto invocam um errôneo princípio: o direito de decidir; os globalistas, a Big Tech, pelo contrário querem obrigar a vacina e não admitem o nosso direito fundamental de decidirmos sobre nossa saúde.

Em nome da Liberdade a Revolução guilhotinou

Nosso Site tem postado videos do Sr Nelson Fragelli sobre a Revolução Francesa a qual em nome da Liberdade guilhotinou o Rei, a Rainha, incontável número de nobres, exterminou grande parte de camponeses — hoje se diria genocídio na Vandéia — e por fim decepou os cabeças da própria Revolução.

Não procedeu de forma diferente o comunismo em sua história de extermínios. Xi Jinping dá um eloquente exemplo com sua perseguição cruel contra sacerdotes, bispos e fieis católicos na China,

A censura (à liberdade) operada pela Big Tech

“4 de dezembro de 2020 (LifeSiteNews) – O Twitter marcou como “conteúdo potencialmente sensível” uma captura de tela do Artigo 6 da Declaração da UNESCO sobre Bioética e Direitos Humanos de 2005, que afirma que “a intervenção médica só deve ser realizada com o consentimento prévio, livre e esclarecido da pessoa em causa, com base na informação adequada”.  Um usuário do Twitter postou o Artigo 6 do documento em resposta a um videoclipe do Reino Unido.

A Big Tech, errôneamente chamada de Elite Global, porque não tem nada de elite, assume a função de Papa do Estado Laico, ou melhor, de ditador mundial.

Vacinação, novo passaporte para as liberdades civis?

A admoestação apaixonada do membro do Parlamento Desmond Swayne contra as vacinas coagidas: “selaria a reputação do governo como o mais autoritário” desde 1650.

“E agora descobrimos que a vacinação pode ser um passaporte para a aquisição de suas liberdades civis”, continuou Swayne. “E sem o qual você teria todo tipo de coisas que seria capaz de fazer, negadas a você.

“Posso dizer que isso seria absolutamente desproporcional para um vírus com uma taxa de mortalidade em torno de 1 por cento? Seria igualmente um precedente terrível abrir para outras vacinas e medicamentos. ”

Outro membro do parlamento britânico acrescentou: “Temos que prestar atenção à coerção implícita, ou seja, se o governo fizer vista grossa para permitir que empresas como companhias aéreas e restaurantes se recusem a deixar as pessoas entrarem, a menos que tenham sido vacinadas, o governo tem que decidir se está disposto a permitir que as pessoas discriminem com base nisso. ”

“Vacinismo” gera discriminação

Swayne respondeu: “Discriminação. Seria vacinismo! Que devemos, é claro, resistir! ”

O Dr. Michael Yeadon, ex-vice-presidente de Alergia e Respiratório da Pfizer, que está desenvolvendo uma vacina COVID-19, citou esta captura de tela do tweet do Artigo 6 do documento, dizendo: “Isso é inalienável e não deve ser deixado de lado. Não vai ser. ”

Yeadon escreveu em um artigo de outubro: “Não há absolutamente nenhuma necessidade de vacinas para extinguir a pandemia. Você não vacina pessoas que não correm o risco de contrair doenças. Você também não planeja vacinar milhões de pessoas saudáveis ​​e em forma com uma vacina que não foi amplamente testada em seres humanos. ” Fonte

***

Já advertiu o Prof. Plinio (1985) que “os zelotes da liberdade dão cada vez menos mostras de seu empenho em defender as legítimas liberdades do homem de bem contra essa ação do Estado, ora invasora quase até as raias do totalitarismo, ora omissa quase até as raias da anarquia.” […]

“Por disposição divina, o homem tem necessidades a enfrentar nesta vida, mas ao mesmo tempo é dotado de recursos para prover essas necessidades. Os problemas de cada homem devem ser resolvidos antes de tudo por ele mesmo, isto é, com a utilização de seus dotes de corpo e muito principalmente dos de alma. O direito de utilizar em favor de si mesmo sua própria inteligência, os recursos de sua própria sensibilidade – nisso consiste a livre iniciativa. Negá-la, mutilá-la, criar-lhes entraves usurpatórios, é tratar o homem parcial ou inteiramente como coisa, como objeto inanimado.”

***

O chamado macro capitalismo publicitário, a ONU e sua apaniguada, a OMS, os novos “sapos” da Big Tech e, infelizmente, o Vaticano tentam empurrar a Humanidade para a Nova Senzala Global que se chama Nova Ordem Mundial.

Infelizmente, alguns ingênuos, qualificam Bill Gates, Soros e afins como sendo “elite globalista”. Não são, nunca foram elite. Elite é outra coisa. Esses, são simplesmente “sapos” seguidores daquela escola de burgueses endinheirados que lutavam pelo comunismo.

Renascimento, livre exame, livre pensamento, iluministas, século das luzes … essas foram etapas da Revolução de ontem a fim de sequestrarem os homens do suave jugo de Nosso Senhor que declarou: meu fardo é leve, meu jugo é suave.

O homem “livre”, emancipado dos Mandamentos, dos princípios morais … é agora escravizado na Nova Senzala Mundial, o Novo Normal, em nome de uma pretensa “saúde” global. Vacinismo gerará a grande discriminação e escravidão.

Que a Providência Divina abrevie esses dias que se avizinham de uma feroz escravidão, já não do corpo, mas da alma católica.

Deixe uma resposta