O Planeta “conspira” contra os ambientalistas?

Há anos a mídia vem noticiando catastrofisticamente que a água do planeta corre o risco de  acabar.

A própria CNBB, sempre afinada com o movimento ecologista, escolheu o tema A Água para a Campanha da Fraternidade de 2004, visando conscientizar a população sobre a necessidade de preservar a água do planeta.

Some-se ainda uma infinidade de programas de TV, sites, cartazes, avisos afixados em aeroportos e locais de parada etc., insistindo na economia de água para salvar o planeta.

Não negamos que a água deva ter um uso civilizado, sem desperdício, suficiente para uma boa limpeza.   O que não há é motivo para o catastrofismo ecologista.

Não é o tema deste artigo, mas tais campanhas, diga-se de passagem, são sempre em favor de uma maior intervenção do Estado no controle particular de cada indivíduo, especialmente dos proprietários. A solução para salvar o planeta é sempre uma crescente diminuição do direito particular em favor da socialização e comunistização.

Acontece, entretanto, que de lá para cá começou uma onda de enchentes por todo o mundo, num ritmo nunca experimentado. Até certas regiões do nordeste brasileiro, tradicionalmente cenário de secas escaldantes, vêm sendo atingidas violentamente por grandes enchentes.

Será o efeito da economia de água obtido pelas campanhas?

A hipótese é ridícula, como é ridícula a campanha para não acabar a água do planeta.

Parece até o ocorrido com o dito aquecimento global, que teve seu nome alterado pelos próprios ambientalistas para mudança climática por causa do aumento do frio…

Recentemente foi descoberto um dos maiores aquíferos do mundo, senão o maior!

Vejamos o que diz o site Último Segundo.

“Aquífero descoberto no Norte seria o maior do mundo

“Pesquisadores da Universidade Federal do Pará (UFPA) divulgarão oficialmente na semana que vem a descoberta do que afirmam ser o maior aquífero do mundo. A imensa reserva subterrânea sob os Estados do Pará, Amazonas e Amapá tem o nome provisório de Aquífero Alter do Chão – em referência à cidade de mesmo nome, centro turístico perto de Santarém.

“Temos estudos pontuais e vários dados coletados ao longo de mais de 30 anos que nos permitem dizer que se trata da maior reserva de água doce subterrânea do planeta. É maior em espessura que o Aquífero Guarani, considerado pela comunidade científica o maior do mundo”, assegura Milton Matta, geólogo da UFPA.

“A capacidade do aquífero não foi estabelecida. Os dados preliminares indicam que ele possui uma área de 437,5 mil quilômetros quadrados e espessura média de 545 metros. “É menor em extensão, mas maior em espessura do que o Guarani.”
A notícia de um tal alívio para a humanidade não deveria fazer os ecologistas exultarem de alegria e comunicar através de todas as mídias que a população pode se despreocupar com a falta de água? Inclusive poderia ser diminuido o preço cobrado pela água dada a abundância…”

Por que o silêncio a este respeito?

Será que o planeta está conspirando contra o movimento ambientalista? Parece…