Depois de uma longa conversa com um amigo sobre o problema da censura à mídia que está ameaçando o Brasil, ele me afirmou:

“Você está procurando chifre na cabeça de cavalo. Pare com isso. A mídia nunca alcançou tamanha liberdade como nos dias de hoje.”

Eu lhe respondi: – “Contra fatos não há argumentos! Veja o PNDH-3 e você vai ver que há um monte de brechas por onde se poderá estabelecer uma verdadeira censura à mídia, além de uma perseguição religiosa no Brasil.”

“Olha só. Você está se preocupando muito com um ‘gasparzinho’. O PNDH-3 não passa de um fantasma nos dias atuais. Ele já está sepultado e não representa nenhum perigo para o Brasil”, afirmou ele.

Contra esse argumento, fiquei calado e fui procurar algumas notícias a respeito do tal “gasparzinho”. E, realmente, pouco se tem falado sobre o PNDH-3. Mas pesquisando sobre os temas deste programa, qual não foi minha surpresa de que o mesmo está sendo implantado aos poucos e sem toda aquela reação que ele levantou ao ser decretado.

Em primeiro lugar ressalto aquela decisão do STF reconhecendo as “uniões estáveis” entre homossexuais. Em seguida vem a recém aprovada Comissão Nacional da Verdade. E, ao procurar mais sobre censura à mídia, encontrei uma notícia da agência Zenit do dia 16 de outubro último que trata especificamente da censura anticristã nas novas mídias.

A notícia analisa um estudo feito pela National Religious Broadcasters (NRB), da Virgínia, Estados Unidos, cujo título é “True Liberty in a New Media Age: An Examination of the Threat of Anti-Christian Censorship and Other Viewpoint Discrimination on New Media Platforms” (Liberdade Verdadeira numa Nova Era Midiática: Análise da Ameaça da Censura Anticristã e da Discriminação de outras Opiniões nas Novas Plataformas). O relatório mostra como várias empresas já proibiram conteúdo cristão e, outras ainda, estabeleceram normas que no futuro poderão levar à censura. As principais mídias analisadas nesse estudo são o Google, a Apple, o Facebook e o Twitter.

A Apple, por exemplo, em novembro de 2010, retirou seu apoio à Declaração de Manhattan que afirmava que a conduta homossexual é imoral. Eles simplesmente disseram que isso era ofensivo!

Em março de 2011, eles também censuraram uma aplicação que visava ajudar pessoas a sair do estilo de vida homossexual. Mais uma vez, a empresa declarou que a aplicação era ofensiva e violava suas diretrizes.

O Google se negou a colocar no sistema de link patrocinado uma campanha pró-vida e disse que a frase “o aborto é assassinato” é uma afirmação “horripilante” e que, portanto, bloquearia qualquer anúncio com essa frase.

O Facebook também não fica atrás. Comentários anti-homossexuais são removidos e, em contrapartida, parcerias são feitas com organizações que provem o homossexualismo.

Vejam só. Ao conversar com o meu amigo, eu mal sabia que uma censura anticristã já estava em pleno funcionamento, não só no Brasil, mas no mundo todo e que o “gasparzinho” já está, em boa medida, sendo colocado em prática.

Tomemos cuidado para quando o “gasparzinho” sussurrar um “BOO!” não nos assustarmos.

Estou ansioso para saber qual será o próximo argumento do meu caro amigo…

Talvez ele ainda tire algo da cartola para justificar seu otimismo.

Mas isso ficará para outra conversa.

5 COMENTÁRIOS

  1. Pensemos assim: Deus utiliza as nossas palavras para nos Evangelizar! Então, que nossas Palavras sejas as Dele, e as Dele sejam as nossas Palavras. E valorizar a sudação: “LOUVADO SEJA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO…! E esperamos o retorno: PARA SEMPRE SEJA LOUVADO.

  2. A alienação apática afetou sobretudo os “intelectuais”.

    Conheço uma pessoa que foi um grande professor de literatura em uma Universidade Federal. Seu vasto conhecimento em Fernando Pessoa e outros literatos, tanto da antiguidade e atualidade, ele tinha um grande conhecimento. Tanto que tinha até título de Doutor.

    Mas em seu intelecto, reinava um doente ceticismo sobre a ameaça dos perigos que rondam sobre a nossa sociedade. Tentava fazer colocações a respeito da destruição da moralidade, ética e família mas, sua reação se chegava apenas a pequenos termos como: “Que coisa! Que horrível” Não é possível”.

    Como também um cristão engajado, em seu fechado campo de conhecimento acerca de conhecimentos gerais ou do cotidiano, ele não dava muita importância sobre tais ameças. Seu centro de informação são os noticiários imbecilizantes do estilo “politicamente correto”: Globo News e Jornal Nacional, ambos da totalitária e repugnante Rede Globo.

    Infelizmente ele não é o único. Há muitos outros intelectuais que tiveram seus encéfalos contaminados pela ideologia. Afinal, por muitos anos, os professores universitários no brasil tiveram suas formações recheadas de conhecimento técnico em suas áreas com cobertura gramsciano.

    Lamentavelmente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome