Transcrevemos do Legionário, 1937, comentários ao trecho de São Tomás sobre os momentos em que falham os socorros humanos.

Longe de nós encararmos a pandemia do coronavírus com olhos meramente humanos como se o pecado não fosse a razão dos males que há sobre a face da Terra.

Diz São Tomás referindo-se ao governo dos povos:

“Quando, de todo nos falha o socorro humano, deve-se recorrer ao Rei de todos, que é Deus, nosso protetor na oportunidade da tribulação. Está em seu poder o transformar em mansidão a crueldade do coração…

“Para vencer este benefício, continua o Doutor Angélico, deve o povo abster-se de pecar, porque em vingança do pecado, é que Deus permite aos ímpios assumirem o governo, conforme declara o Senhor por Oseas: Dar-te-ei um rei no meu furor; e em Jonas se diz que Ele “faz reinar o hipócrita, por causa dos pecados do povo. Afaste-se, pois, a culpa para que cesse a praga dos tiranos”.

“Que não seja, pois, somente no “Dia da Pátria” que nos lembremos de orar pelo Brasil. Nossa Pátria, Terra da Santa Cruz, deve ser diariamente uma das maiores e melhores intenções de nossas preces para que Deus nos dê bons governantes, afaste os perigos que nos ameacem e purifique a nossa gente para que ela, abstendo-se de pecar, seja abençoada e cheia da verdadeira paz.


Quão apropriado o comentário para essa quarentena indiscriminada e o lockdown dos Sacramentos. Uma linguagem própria para os tempos de homens de Fé.

Infelizmente os Srs Bispos tomam uma atitude naturalista nessa pandemia quando, a atitude correta seria pregar a conversão: “nossas preces para que Deus nos dê bons governantes, afaste os perigos que nos ameacem e purifique a nossa gente para que ela, abstendo-se de pecar, seja abençoada e cheia da verdadeira paz.” https://pliniocorreadeoliveira.info/LEG_370912_rezar_pela_patria.htm#.Xt7dKkVKguU

Deixe uma resposta