Passaporte sanitário: dioceses aderem à nova ditadura (Great Reset)

0

A ditadura sanitária mundial ganha adeptos na Hierarquia católica. O Vaticano adota o Green Pass. Arquidiocese de Toronto anuncia mandato estrito de vacina para clérigos, funcionários e voluntários. Já comentamos a posição do Cardeal Blase Joseph Cupich impondo o controle em sua arquidiocese, Chicago.

Cardeal Thomas Collins impõe o passaporte sanitário até o ministério sacerdotal

O cardeal Thomas Collins anunciou que aqueles que deixarem de cumprir a diretriz podem enfrentar ações disciplinares que incluem demissão.

Ditadura sanitária endossada pela Arquidiocese

“TORONTO (LifeSiteNews) – O Cardeal Thomas Collins e a Arquidiocese de Toronto emitiram dois memorandos para todos os funcionários e clérigos na sexta-feira, informando-os sobre um novo mandato que exigirá que todos sejam totalmente vacinados ou submetidos a testes semanais.”

“A partir de 8 de outubro de 2021, exigiremos que todos os clérigos (bispos, padres, diáconos) sejam totalmente vacinados contra o COVID-19 ou forneçam provas regulares de um resultado negativo recente do teste COVID-19 para desempenhar seus deveres,” informa o memorando.

“Se um funcionário não cumprir esta política, ou for descoberto que apresentou prova fraudulenta de vacinação, um resultado de teste fraudulento, um resumo fraudulento ou documentação fraudulenta em apoio a um pedido de acomodação, eles podem estar sujeitos a medidas disciplinares (que inclui ser colocado em licença sem vencimento), e incluindo até a rescisão do contrato de trabalho por justa causa ”, continua.

Obriga até voluntários: 40 US pelo teste

O apoio e envolvimento de voluntários nos EUA e Canadá é bem grande.

O recente mandato também sujeita os voluntários e todos os funcionários leigos aos mesmos requisitos de vacinação ou teste, incluindo, mas não se limitando a funcionários da paróquia, leitores, membros do coro e contínuos.

Se uma pessoa optar pelo teste, o memorando declara que ela será forçada a pagar pelo teste semanal fora do bolso a uma taxa de “cerca de US $ 40 / teste”.

O memorando afirma que a arquidiocese “acomodará indivíduos que são incapazes de cumprir esta política com base em um fundamento de direitos humanos protegido na medida exigida pela legislação de direitos humanos”.

Contrários à isenção religiosa

No entanto, no mês passado, a Arquidiocese de Toronto divulgou outro memorando dizendo aos clérigos que eles não devem assinar nenhuma carta de isenção religiosa em relação às vacinas COVID-19, apesar de sua conexão com o aborto.

As injeções, que têm conexões com linhagens de células fetais provenientes de crianças abortadas, são causa de apreensão moral para muitos católicos fiéis e também para clérigos de alto escalão.

Reações salutares

Continua LifeSiteNews: “O bispo Athanasius Schneider, do Cazaquistão, chegou ao ponto de fornecer depoimentos para qualquer católico que queira se opor à vacinação obrigatória por motivos religiosos.”

“Outro clérigo de alto escalão, o cardeal Raymond Burke, também disse aos fiéis: “Deve ficar claro que nunca é moralmente justificado desenvolver uma vacina por meio do uso de linhagens celulares de fetos abortados”.”

Centro Nacional de Bioética Católica (NCBC)

Além disso, o Centro Nacional de Bioética Católica (NCBC) apresentou quatro pontos, fazendo referência ao ensino autêntico da Igreja, que descreve como e por que os católicos podem rejeitar a vacinação obrigatória em sã consciência:

  • “A vacinação não é moralmente obrigatória em princípio e, portanto, deve ser voluntária.
  • Há um dever moral geral de recusar o uso de produtos médicos, incluindo certas vacinas, que são produzidas com linhagens de células humanas derivadas de abortos diretos. É permitido o uso de tais vacinas apenas sob certas condições específicas do caso, com base em um julgamento de consciência.
  • Os julgamentos informados de uma pessoa sobre a proporcionalidade das intervenções médicas devem ser respeitados, a menos que contradigam os ensinamentos morais católicos autorizados.
  • Na frente legal, o advogado constitucional Rocco Galati afirmou repetidamente que as vacinas obrigatórias e os testes obrigatórios são violações da lei canadense, de acordo com a Declaração de Direitos, a Carta Canadense de Direitos e Liberdades, a Lei de Privacidade, bem como o Código Criminal do Canadá.”

***

A Santa Igreja é a fiel intérprete da Revelação, a guardiã da Lei, da Moral, da Lei Natural.

17 de maio de 2021 (LifeSiteNews) – O cardeal Gerhard Muller, ex-prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé (CDF) no Vaticano, criticou os cardeais americanos Blase Cupich de Chicago e Joseph Tobin de Newark por agirem mais como “representantes da Partido Democrático ”do que de Jesus Cristo.

“Acho que esses dois bispos vieram a Roma como membros ou representantes do Partido Democrata”, disse o Cardeal Muller em uma entrevista de 14 de maio com Raymond Arroyo da EWTN. “Mas os bispos são (supostamente) os representantes de Jesus Cristo, da verdade revelada.” https://www.lifesitenews.com/news/vaticans-former-doctrine-head-cardinals-tobin-cupich-acting-more-like-representatives-of-democratic-party-than-of-christ/

Acrescentamos: infelizmente esses dois cardeais e outros tantos bispos colaboram possantemente para a grande ditadura mundial do Great Reset, da qual o passaporte sanitário é apenas uma etapa.

Nosso aplauso, ao presidente Bolsonaro, que usou da tribuna da ONU para se pronunciar contra o passaporte sanitário. O Brasil é nação chave na defesa da Lei Natural; rezemos para que ele cumpra sua missão histórica.

São Pedro, proteja a Santa Igreja, “apascenta as minhas ovelhas”, ordenou Nosso Senhor.

Fonte: Archdiocese of Toronto announces strict vaccine mandate for clergy, employees, and volunteers – LifeSite (lifesitenews.com)

Deixe uma resposta