Patriotismo sim, nacionalismos não!

     “À primeira vista, nacionalismo e patriotismo podem parecer sinônimos, mas na realidade são dois polos, dois extremos, duas idéias irreconciliavelmente antagônicas. O patriotismo é a expressão de um sentimento de fidelidade para com o povo a que se pertence e, especialmente, para com a autoridade tradicional no povo; é uma virtude chegada à piedade filial, que faz com que os filhos amem, honrem e sirvam a seus pais.

             Origem da palavra “pátria”

       “Aliás, a palavra “pátria” provém, de “pater”, que quer dizer “pai”. Assim considerando, a Nação se transforma numa família em ponto grande, e o amor à Nação, ou patriotismo, se torna muito semelhante ao amor que cada um tem pelos membros de sua família. E, da mesma forma que o amor de cada um por sua família não é necessariamente causa de discórdias com outras famílias, antes pelo contrário o amor familiar é um sentimento pacífico; igualmente o patriotismo não é causa de guerras, mas gera a cordialidade entre os povos. Mesmo porque o patriotismo é uma virtude tipicamente católica, pois só apareceu e desenvolveu-se pela influência da Igreja.

         “Pelo contrário, o nacionalismo é o egoísmo coletivo, a auto-adoração da nação, a arrogância e a brutalidade mais estúpida erigidas a concepção de vida”.

                                       *  *  *

“Devolvam o meu Brasil” é, portanto, uma afirmação de patriotismo, ocontrário da deformação que o PT quis fazer de nossa Pátria.

http://Legionário, 18 de janeiro de 1942, N. 488, pag. 2

Deixe uma resposta