Virtudes Esquecidas e muito necessárias: hoje trataremos da perspicácia.

         Comenta o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira:

          “O Evangelho é uma inigualável escola de perspicácia, que Nosso Senhor Jesus Cristo inculcou reiteradamente esta virtude.

* * *

          “O que vem a ser perspicácia? É a virtude pela qual nosso olhar, transpondo as aparências enganosas apresentadas pelas pessoas com quem lidamos, penetra até à realidade mais recôndita de sua mentalidade.

           “Assim, diz-se de uma autoridade eclesiástica ou civil que é perspicaz se, através da prolixidade dos conselhos e informações que recebe, sabe discernir a verdade do erro, adotando em consequência uma linha de conduta conforme os interesses que tem em mãos.

             “Dentro da mesma ordem de idéias, pode-se dizer que é perspicaz um médico que sabe discernir a existência de uma moléstia através dos mais ligeiros indícios. E no mesmo sentido ainda se chamaria perspicaz o detetive que sabe interpretar as circunstâncias aparentemente mais insignificantes, delas deduzindo com segurança qual foi o autor de um crime.

            A perspicácia fornece ao homem os recursos para o cumprimento de seus deveres

            “Difícil seria imaginar uma profissão ou condição social em que a perspicácia não fornecesse ao homem os mais inestimáveis recursos para o cumprimento de seus deveres. O pai de família, o professor, o diretor de consciências precisa discernir em seus alunos, dirigidos ou filhos, os mais ligeiros sintomas das crises que se esboçam, a fim de prevenir o que de futuro seria talvez impossível remediar.

            “O homem de Estado não pode deixar de distinguir, por entre as múltiplas manifestações de amizade que seu alto cargo suscita, os amigos sinceros dos insinceros: todo o êxito de sua carreira política está condicionado a esta aptidão.

             “Os advogados, militares, industriais, comerciantes, banqueiros, jornalistas etc., etc., não podem exercer convenientemente suas funções, nem poupar aos interesses que têm em mãos os mais graves sacrifícios, se não forem munidos de uma perspicácia hoje mais necessária do que nunca.

             Podiam os governos petistas arriscarem empréstimos a Cuba, Venezuela?

            “A este respeito queremos insistir muito especialmente: todo mundo tem, em certas circunstâncias, o direito de arcar com prejuízos que afetem seus interesses individuais. Ninguém, entretanto, tem o direito de expor os interesses de terceiros.

                “Haverá situação mais ridícula do que a de alguém que declare romanticamente haver comprometido os interesses de terceiros que lhes estavam confiados, porque “foi bom demais e confiou excessivamente na bondade alheia”.

             ““Bom demais”? É realmente ser “bom demais” sacrificar ao amor próprio de uma meia dúzia de aventureiros os interesses sagrados confiados à pessoa que assim procura se inocentar? Quem não percebe que essa “bondade” fora de propósito redundou em uma injustiça cruel para com os terceiros prejudicados no caso?” https://www.pliniocorreadeoliveira.info/LEG_411019_juizo_temerario01.htm#.XZz0b0ZKguU

                                             * * *

No caso dos governos petistas o grande lesado foi o nosso Brasil.

Deixe uma resposta