Presente de grego

Um tema que o nosso presidente não gosta de falar é sobre o custo das suas políticas sociais. Dados oficiais do CODIV (Coordenação Geral do de controle da dívida pública) mostram a evolução da dívida do Brasil.

Em janeiro de 1995, fim do governo Collor/Itamar, ela estava em R$ 31 bilhões e 668 milhões. Quando FHC passou o governo para Lula, dezembro de 2002, já alcançava R$ 557 bilhões e 205 milhões, e hoje, ela atinge R$ 1,58 trilhões (OESP 21/05/2010).

Para o economista Felipe Salto, da Consultoria Tendências (OESP 18/5/2010), a projeção é de se encerrar o ano de 2010 em R$ 2 trilhões e 200 bilhões… Será a herança (bendita ou maldita) que Lula deixará para o novo presidente e para as gerações futuras…

Como estamos em ano de eleições, o marketing do governo talvez encontre um eufemismo para passar essa dívida ao sucessor. Pode ser até embrulhada em um sugestivo papel de presente (mas de grego)…