CHRISTOPH SCHOENBORN
O arcebispo de Viena aproveitou os meses que antecederam o Sínodo para fazer uma verdadeira guerra de propaganda a favor das parcerias homossexuais e das uniões extra-matrimoniais.

Roma – Depois de terem feito durante meses campanha contra a doutrina católica sobre o matrimônio, família e sexualidade, os progressistas agora advertem contra divisões e formação de partidos.

O objetivo é claro: querem atribuir aos conservadores e à mídia a culpa pela atmosfera envenenada do Sínodo. Na verdade os responsáveis são os católicos de esquerda como os cardeais Marx e Kasper.

Grande preocupação com a possibilidade de divisões expressou também o Cardeal Christoph Schoenborn de Viena.

Relembrando: o arcebispo de Viena aproveitou os meses que antecederam o Sínodo para fazer uma verdadeira guerra de propaganda a favor das parcerias homossexuais e das uniões extra-matrimoniais.

Agora o Cardeal de Viena se mostra admirado que possam ocorrer divisões. Semelhante desfaçatez jamais seria aceita nem no mundo dos negócios e nem na política.

Em todo o caso na primeira semana do Sínodo os católicos de esquerda evitaram fazer provocações com teses extravagantes a respeito dos homossexuais, dos divorciados etc.

Possivelmente desejam implementar suas “reformas” (de fato trata-se da destruição do Magistério católico) depois do Sínodo e por conta própria em suas próprias dioceses – sem estarem no foco da opinião pública mundial.

A palavra de ordem parece ser agora a de “adormecer os conservadores”.

 Tradução do original alemão: Renato Vasconcelos