Publicamos a seguir reflexões do Prof. Plinio a propósito da Quaresma, do horror que se deve ter ao pecado, da misericórdia de Nossa Senhora.

“Nos dias de carnaval, uma como que psicose se apodera da opinião pública, em virtude da qual todos os princípios de compostura e bom-senso ficam nela adormecidos, e os gestos mais loucos, os trajes mais impudicos, as brincadeiras mais animalescas lhe parecem normais.

“A cerimônia de quarta-feira de Cinzas, abrirá a Quaresma. Nesta próxima quarta-feira, qual será a atmosfera da cidade …? A mesma de todos os outros dias do ano… E não diferirá sensivelmente, da miserável atmosfera dos dias de carnaval. Essa é a realidade.

“Ó meu Senhor, como Vós odiais meus pecados! Eu Vos peço: dai-me uma centelha de Vosso ódio sagrado aos meus próprios pecados!” Que bela oração! Quão pouca gente a faz. Logo depois, é claro, nós devemos pedir a misericórdia. Quem pode subsistir sem a misericórdia de Deus? Não é pensável! Mas amemos a Sua justiça também.

“Nós vamos transpor na quarta-feira, se Deus quiser, os umbrais da Quaresma. Vamos entrar na Quaresma. Devemos pedir o horror aos nossos pecados; devemos pedir o amor reverente e transido a essa execração que Deus tem aos nossos pecados. Devemos pedir a Deus o ódio ao nosso pecado, como ao pecado dos outros. Devemos pedir a Deus que nos conceda a misericórdia, sem a qual nós na presença dEle não somos capazes de nos manter.

“Eu acabo de falar da palavra “misericórdia”. É porque eu quero preparar o fecho do que estou dizendo, e este possui um nome… e esse nome é Maria!

“Tudo quanto eu disse até agora, o homem não obtém se Maria Santíssima não pedir por ele. Nada. Ela é a Medianeira necessária. Por vontade de Deus, Ela é a Medianeira necessária de todas as nossas orações até Ele, e de todas as graças que baixam dEle para nós. Se nós temos arrependimento de nossos pecados, foi Ela que pediu, foi assim que nós obtivemos.

“Se temos vontade de fazer penitência, foi Ela que pediu. Se tivermos força para executar a penitência que devemos, é Ela que nos pedirá essa força. E no fim, feita a penitência, e sentindo-nos reconciliados com Deus, Ela é o sorriso de Deus para nós. De maneira que, como filhos de Nossa Senhora que somos, devemos terminar essa reflexão com: Salve Regina Mater Misericórdia!…”

Deixe uma resposta