Repercussões no Exterior: nossa midia não vê … ou finge não ver

Plinio Corrêa de Oliveira repercute no Exterior

0

Cada Nação se orgulha dos filhos ilustres, sobretudo quando projetam seu nome, suas ideias, sua obra no Exterior.

Não é essa, entretanto, a atitude fundamentalista da esquerda e de certa midia alinhada que tenta fabricar “famosos” e prestigiar nulidades. Assim, Paulo Freire é festejado pela esquerda internacional e nunca foi um educador. Stédile tem entrada no Vaticano e nunca foi um agricultor.

Importância real e importância midiática

Na coluna Tendências e Debates, Folha de São Paulo, o Prof. Plinio mostrou a diferença entre importância real e importância publicitária. Essa última, coloca nos cumes alguma figura da política, da intelectualidade, do progressismo católico — por exemplo, nos inundando todos os dias com notícias da CPI da Covid. Que importância real têm esses senhores senadores sem os holofotes da midia? E se perderem o Mandato, em 2022, quem se ocupará deles na vida real?

Importância real tem aquele brasileiro que — apesar de estar longe dos holofotes da midia — marca a História do País. Rui Barbosa, Osvaldo Cruz, Barão do Rio Branco. Sobretudo, o Pe. José de Anchieta, Pe. Manuel da Nóbrega marcaram a memória da Nação. O Duque de Caxias, no Exército, a Princesa Isabel no trono.

Polo de pensamento, referencial de Contrarrevolução

Com mais de mil publicações no Brasil e no Exterior, objeto de sucessivas defesas de tese, doutorado o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira marcou efetivamente o panorama ideológico brasileiro. Se disséssemos que seu nome marcou as nações ocidentais não estaríamos exagerando.

O espraiar de 25 TFPs nos vários continentes, contrariando e enfrentando a midia de esquerda, sem verbas governamentais é uma prova da eficácia, do alcance ideológico e prático da ação do Prof. Plinio.

Vejamos, na Itália, a repercussão do livro Revolução e Contrarrevolução, silenciado por nossa midia alinhada:

“Todo o segundo milênio é caracterizado por quatro eventos fundamentais que introduzem elementos de incompatibilidade ou conflito entre os aspectos político-jurídicos e religiosos da existência humana, levando à crise do mundo ocidental: a Reforma Protestante, que gera a crise religiosa, a Revolução Francesa, que gera a crise política, a Revolução Bolchevique e os anos 68 [Sorbonne] cujas ideologias geram respectivamente [IV revolução] o econômico e o cultural. Esta é, em poucas palavras, a essência do estudo do historiador da crise secularizante do Ocidente cristão, P. CORREA DE OLIVEIRA, Revolution and Counter-Revolution, trad. Italiano editado por C. Giovanni, primeira edição, Dell’Albero, Torino, 1963.” (*)

Uma síntese que bem expressa a tese das Três Revoluções operadas no mundo ocidental, seguidas da IV Revolução que engloba Maio de 68, Sorbonne e prepara o caminho para a Revolução Tribalista em curso. Lembremos do Sínodo da Amazônia … e da revolução eco-tribalista.

Baixe o pdf gratuitamente: https://www.pliniocorreadeoliveira.info/RCR01.pdf

Sucesso internacional de um brasileiro

Nosso acervo consta de mais de um milhar de defesas de tese, artigos, revistas, livros publicados no Brasil e no Exterior mostrando a importância real da atuação do Prof. Plinio e da TFP no cenário ocidental. O pensamento conservador católico foi forjado no Brasil e se projetou no Exterior.

Comentando recente livro publicado nos EUA, escreveu o Sr. Julio Loredo: “A ação anti-progressista de Plinio Corrêa de Oliveira, segundo Cowan, começou nos anos trinta com a constituição do Grupo Legionário, continuou com sua oposição ao neomodernismo dentro da Ação Católica nos anos quarenta, e com a fundação do movimento catolicismo nos anos 50.

Na época dos anos 60, o trabalho antimodernista de Plínio “repercutiu no Brasil [e também] teve repercussões internacionais significativas que ajudaram a moldar e sustentar a reação católica global à modernização e à secularização.”[3]Quando o Dr. Plínio chegou a Roma em 1962, portanto, ele já tinha ideias muito claras e um plano de batalha perfeitamente desenhado, ao contrário de muitos outros conservadores que “foram pegos de surpresa pela virada progressista do Conselho”[4]. Na verdade, explica Cowan, “a TFP antecipou a orientação do Concílio, e começou a se organizar antes dele começar.”[5] O arquivo privado do Monsenhor Sigaud contém o relato das reuniões com Plinio Corrêa de Oliveira para preparar o plano de oposição ao ataque progressista no Concílio, antes de ir para a Cidade Eterna.” https://ipco.org.br/acao-de-dr-plinio-na-america-latina-canal-estrategico-na-luta-contra-o-progressismo/

***

Importância real, importância publicitária: os fatos mostram que, apesar do silêncio de grande parte da midia brasileira, o Prof. Plinio e a TFP marcaram a fundo a história do Brasil contemporâneo, das Américas, com largas repercussões no Ocidente cristão.

Tudo isso em defesa da Santa Igreja, da Civilização Cristã, no combate ao socialismo, ao comunismo; em defesa da tradição, da família, da propriedade.

Agradeçamos à Nossa Senhora essa epopeia in signum crucis. Que Ela continue a inspirar os jovens do Brasil de hoje na luta contra o progressismo, o socialismo e o falso Centrão.

  • (*) Il grido di Abacuc. La questione ecologica alla luce delle istanzedel giusnaturalismo cristiano contemporaneo, Stato, Chiese e pluralismo confessionale, Rivista telematica (www.statoechiese.it), n. 31/201413 ottobre 2014, Cristiana Maria Pettinato (ricercatore a tempo determinato di Diritto canonico ed ecclesiastico, nell’Università degli Studi di Catania, Dipartimento di Giurisprudenza) / 39

Deixe uma resposta