E a plateia não cantou”. Estou falando do último Rock in Rio, realizado em setembro último (2013), e só agora comentado, pois a matéria, muito surpreendente e chocante, pedia algumas semanas de reflexão.

Como diz a reportagem do evento, os cinco músicos da banda não têm “rostos”, usam uma máscara, e acessórios de sacerdotes da seita Illuminati. Depois deles, entrou o vocalista, “um papa sombrio, com máscara de caveira, um cajado com um símbolo pagão, túnica de papa, chapéu de papa e gestos de papa. Só que um mensageiro da palavra das sombras”.1

Descreve Jotabê Medeiros, autor da reportagem: Canções em um latim híbrido, como Per Aspera Ad Inferi2 e Con Clavi Com, são declamadas pelo vocalista, que se apresenta apenas como Papa Emeritus II (no seu currículo, consta que foi precedido por outro papa infernal, Papa Emeritus I).

Rock in Rio
Um papa saído das profundezas do Inferno no Rock in Rio.

O jornalista introduz sua matéria da seguinte maneira: “Um papa saído das profundezas do Inferno foi a mais grata surpresa do rock no primeiro dia da segunda semana do Rock in Rio. O grupo sueco Ghost, cuja performance cênica é notadamente anticlerical e anticristã, brindou os fãs do rock pesado com uma mistura de rock retrô, rock clássico à Black Sabbath”.

Como se vê, é o radical do radical em matéria de rock e beira o inimaginável! Mas esse radicalismo faz parte da propaganda revolucionária, como explica Dr. Plinio:

Dir-se-ia que os movimentos revolucionários mais velozes são inúteis. Porém, não é verdade. A explosão desses extremismos levanta um estandarte, cria um ponto de mira fixo que fascina pelo seu próprio radicalismo os moderados, e para o qual estes se vão lentamente encaminhando. Assim, o socialismo repudia o comunismo. mas o admira em silêncio e tende para ele. Mais remotamente o mesmo se poderia dizer do comunista Babeuf e seus sequazes nos últimos lampejos da Revolução Francesa. Foram esmagados. Mas lentamente a sociedade vai seguindo o caminho para onde eles a quiseram levar.

O fracasso dos extremistas é, pois, apenas aparente. Eles colaboram indireta, mas possantemente, para a Revolução, atraindo paulatinamente para a realização de seus culposos e exacerbados devaneios a multidão incontável dos “prudentes”, dos “moderados”, e dos medíocres”.3

Acrescenta o jornalista: “A dureza do clima ‘somos das trevas’ só é amenizada por um certo clima pop (…) e pela gentileza do Papa Hell (inferno): ele pede para a plateia cantar consigo o refrão da última canção, Monstrance Clocks. Letra que de ingênua não tem nada. Vamos juntos para o filho de Lúcifer, diz o refrão. A plateia não canta”.

Terminamos este artigo como começamos: a plateia não cantou. Não cantará no próximo ou nos próximos rock in Rio? Algo não ficará nas cabeças dos que a compõem? Como dizia Dr. Plinio. a explosão desses extremismos levanta um estandarte, cria um ponto de mira fixo que fascina pelo seu próprio radicalismo os moderados, e para o qual estes se vão lentamente encaminhando.4

Sem dúvida, caberia um vigoroso protesto dos meios religiosos. Que aliás não veio.

______________________
1 – OESP, 20-9-2013.

2 – “Pelas coisas difíceis se vai ao inferno’’, distorção da frase latina “per aspera ad astra”, através das coisas difíceis se vai aos astros.

3 – Plinio Corrêa de Oliveira, Revolução e Contra-Revolução, I, VI 4.

4 – Op. cit.

13 COMENTÁRIOS

  1. Tomo a iniciativa de adicionar um artigo meu publicado em diversos jornais:
    “Surtos epiléticos da arte”
    A bondade cristã por excelência está sendo cada vez mais tripudiada, coberta de escárnio e crucificada. Esta onda blasfema que Cristo já tinha previsto, vem de vários séculos desde a revolução protestante. Mais adiante tomou virulência na Revolução Francesa (1789), onde se pretendia abolir a religião católica, pela perseguição do clero e dos fieis. Depois de uma temporada de relativa paz novamente iniciou-se o processo na revolução comunista de 1917, na perseguição aos cristãos e judeus, proclamando um estado laico e ateu, onde deveriam ser extirpados todos os vestígios de religião. “A religião é o ópio do povo”, diria Marx. Mais recentemente na “revolução” de 1968, considerado ano louco e enigmático do século XX, foi o ponto de partida para uma série de transformações políticas, éticas, sexuais e comportamentais, que afetaram as sociedades da época de uma maneira irreversível e universal. Daquele ano para cá está-se enfrentando uma onda de relativismo moral e cultural, com abalo nas estruturas de toda a sociedade no mundo inteiro. As atuais manifestações sociais e políticas pelo caminho da violência no mundo afora, fazem parte deste terremoto moral.
    A arte, atividade humana ligada a manifestações de ordem estética, tendo como objetivo externar suas percepções, emoções e ideias; assume um significado único, diferente e sui generis.
    Não se podia deixar de entrar neste tema, diante de tantas baboseiras e absurdos praticados em nome da chamada arte no último evento do Rock in Rio. Embora houvesse alguns conjuntos que mereceram admiração de sua criatividade, é de se repudiar por outro lado, os absurdos em nome da “arte” que lá foram praticados por certos pseudos conjuntos que lá se apresentaram.
    O que nos chamou atenção, – e era o que eles queriam mesmo – foi um grupo denominado Banda Ghost, com um personagem intitulado Papa Emeritus, como um pontífice satânico, numa alegoria direta ao símbolo cristão de nosso Papa. Era tão grotesco e ridículo, que não se sabe quem pretendiam atingir, o atual ou anterior. Em termos de “arte”, que nada tinha, era uma agressão direta contra a representação do maior símbolo moral da humanidade. Por ser um grupo sueco, por que não satirizaram a figura de seu atual Rei Carlos ou ainda Maomé? Talvez o primeiro fossem presos quando voltasse a sua pátria; quanto ao segundo, provavelmente não teriam mais a chance de uma segunda apresentação.
    Na busca do anonimato, não se identificam em palco, se propõe então satirizar os símbolos cristãos porque sabem que desde sua criação, sempre foi uma instituição tolerante e pacífica. Sentem segurança da não reação de protesto sob qualquer forma, muito menos física. Em vista disso assumem audácia e arrogância. É fácil atirar em que vive em paz, porque não faz parte qualquer reação de violência. Mas, para quem não tem caráter, só vale a covardia. O que mais nos choca e, temos plena convicção, todos eles da banda devem ser cristãos pelo batismo.
    As apresentações do sexteto trazem uma atmosfera de lixo cênico inspirada em rituais satânicos e filmes de terror clássico; com todos os membros caracterizados como sacerdotes em uma missa negra. São pessoas que através destas representações, levantam um brado de socorro e desespero, pelo abismo moral e existencial, que se afundaram em decorrência de uma vida sem qualquer sentido; mergulhados nas trevas de seus instintos. Que pena, não encontraram a luz da verdade para entender o significado da vida. Neste desespero, procuram destruir a nobresa e os valores da sociedade, pelo escudo da arte musical. Certamente, suas letras musicais fortemente satânicas e repugnante é o vômito de seus delírios existenciais.
    Toda arte é bem vinda, desde que não se propõe ofender pessoas, entidades, ou grupo instituídos. Nos dá asco e nojo este tipo de cultura…

  2. Ramon Freitas,

    Só mesmo quem não entende nada faz essas distinções. Para você se inteirar mínimamente deixo-lhe para você ao menos ler esta reportagem de hoje: Banda norueguesa toca em SP e revê passado de mortes e queima de igrejas http://musica.uol.com.br/noticias/redacao/2013/12/05/banda-norueguesa-toca-em-sp-e-reve-passado-de-mortes-e-queima-de-igrejas.htm

    E se você é adepto aqui destaco uma frase que está no texto da reportagem: “Nós éramos muito jovens, estávamos descobrindo novas forças. E se você vai muito longe, pode se machucar. É o que aconteceu, as pessoas estavam enlouquecendo.”

    Eu lhe pergunto que “forças” são essas que levam à loucura?

  3. É aqui que eu fico sabendo das últimas notícias, porque sei da integridade do Instituto Plínio Corrêa. Como sou jornalista, venho conferir a verdade aqui. Muito bom mesmo.

  4. ROCK IN RIO? SÓ FACHADA!
    SIM: PONTOS DE ENCONTROS COM SATANÁS“ E SUPOSTOS CATÓLICOS COMPARTILHANDO!
    Os locais em que se concentram esses roqueiros doidões os mais diversos, cujas roupas, gestos e desenhos de tatuagens representam mensagens subliminares satanistas explícitas em meio a uma parafernália de som e agito totais, embalando-se à base de drogas, sexo e todo tipo de perversão e alienação possíveis no ambiente, faz parte de um plano satânico iluminista de desagregar as pessoas por meio de promiscuidades gerais, fragmentá-las, desfamiliarizando-as e as relativizando, destruindo todas as referências ético-morais cristãs da Igreja católica em particular, pois estando totalmente divididas e alienadas, sem referencias cristãs garantidoras de um ambiente de vida harmonioso, e já alienadas batendo entre si por luta de classes, envolvidas em múltis perversões como: movimentos gays, glbts e sob uma violencia generalizada etc., facilitará em breve sua dominação por um Estado totalitário e ateu, sendo esses os projetos da globalista Nova (Des)Ordem Mundial, por meio dos partidos comunistas, como o PT, PC do P, PSOL, PSTU e outros similares.
    Apenas o pagamento de ingressos prestigiando-os, incentivando novas apresentações de imediato faz do pagante ser comparsa das iniquidades, além de os aplaudir com as mãos ao alto em dedos em e posições chifradas, sendo um gesto invocatório de Satanás, o qual sem ser chamado já nos rodeia, imagine o atraindo!
    Daí, o ambiente desses roqueiros alucinados é extremamente anti cristão, um bando de alienados e satanistas a serviço da NWO-Nova Era, provando-o por meio de, além das muitas mensagens subliminares estampadas nas roupas, músicas apologizadoras de Satanás, muitos sinais externos e tatuagens específicas de cunho esotérico e outras indicando pertença ao diabo, como de COBRAS, ESCORPIÕES, LAGARTOS etc., sem exagero algum, esses locais são ‘PONTOS DE ENCONTRO COMO O DIABO’!

  5. 1) O grande êrro está em NOSSA TERRA, BRASIL. A mídia reproduz música
    “importada” abundantemente, os jovens e outros tantos seres, imitam os
    enlatados em tudo, DESCONHECENDO O IDIOMA, portanto sem saber o que
    repetem. NOSSA MÚSICA , NOSSA ARTE EM GERAL, dá de 10 a zero em tudo
    que vem de fora, por que razão a (nociva)mídia não a divulga ???
    2) A CORRUPÇÃO, A INJUSTIÇA, (em todos os níveis), A IMPUNIDADE, A
    INVERSÃO DE VALORES ÉTICOS/MORAIS/SOCIAIS, reforçam esses movimentos
    oriundos da “new-order-world”, há que se entender que o povo brasileiro
    embora sem instrução, já está com o “saco cheio” de tanta podridão.
    PAZ E BEM À TODOS.

  6. Meu Deus! O mundo esta se afogando. O mal reproduz sequãzes radicais
    e bem entregues a causa do mal. Queira Deus ‘suscitar homens de vossa destra…que tovejem contra o pecado, lancem brados contra o mundo, fustiguem contra o demónio e seus asseclas e traspacem lado a lado com a espada de dois gumes da palavra de Deus’ segundo são Luíz Maria Grignion de Montfort.

  7. Será que o satanismo vai se tornar cada vez mais evidente e concreto? As aparências indicam que sim. É mais uma garantia de que está próximo o castigo previsto em Fátima.

  8. Lixo não merece comentário nenhum !! e essa classe de lixo não serve nem para reciclagem “quem não é nato para servir, não serve para viver “.

  9. No meio religioso o protesto teve, pelo menos de Dom Henrique Soares da Costa:

    Rock in Rio, exaltação a Satanás

    “Eu sou cristão! Eu creio em Deus!
    Para mim, Deus não é uma ideia, uma bandeira, uma brincadeira!
    Ele É! Ele é Santo! Ele é o Sentido de tudo!
    Brincar com Ele, é brincar com a vida, com a humanidade, com o sentido mesmo de nossa existência!
    Quem não crê, tem meu irrestrito respeito e minha sincera e cordial estima!
    Mas, não se pode banalizar a fé de ninguém, não se pode aviltar o que é sagrado! Isso é destruir os fundamentos mesmos da humanidade e da convivência entre pessoas e povos!
    Por isso minha palavra e meu protesto e de indignação!”

    Facebook Dom Henrique Soares da Costa

    http://www.amormariano.com.br/artigos/rock-in-rio-exaltacao-a-satanas/

    Também está na Bíblia Católica News
    http://www.bibliacatolica.com.br/blog/mundo/protesto-de-dom-henrique-soares-rock-in-rio-exaltacao-a-satanas/#.Up-zbtJLnId

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome