Sacerdote esclarece: quem promove, favorece ou pratica um aborto se auto-excomunga da Igreja

    O Pe. Jânio Pereira, C.M, fez públicos esclarecimentos indispensáveis para todos os católicos neste delicado momento que vivemos, para nosso futuro, para o futuro do Brasil e para a salvação das nossas almas.

    De início, o Pe Jânio explica que “neste momento que estamos vivendo, momento eleitoral, muitas das nossas ovelhas estão … sendo usadas verdadeiramente por interesses que comprometem e até podem conduzir à perdição das vossas almas.

    Falo da discussão que no momento eleitoral atual tem ganhado a temática do aborto.”

    E esclarece:

    “A pessoa que apóia, divulga, comete, incentiva, de todas as formas, até as mais simples: se v. sugere, dá um telefone, leva até uma clínica, se v. aconselha de forma errada, v. está participando de um modo material neste crime que para nossa doutrina católica neste pecado gravíssimo.

    “Desta forma, a pessoa, ela se auto-excomunga.

    “Não é necessário para entender a auto-excomunhão que um padre ou um bispo excomungue a pessoa. O próprio crime que a pessoa fez, ela por si ela já está excomungada.

    “E aqueles que participaram se tornam criminosos e por isso pecadores.”

    Por fim, ele conclui dizendo:

    “Nós precisamos nos unir num só coração e numa só alma para rezar intensamente pelos rumos do Brasil.

    “Não permitamos que as forças escuras e obscuras das trevas que estão a serviço de Satanás, que elas não imperem nesta Terra consagrada à Virgem Maria, Nossa Senhora Aparecida.

    “Que todos os anjos, santos, todos os arcanjos, todos os santos protetores e padroeiros que são sempre invocados com devoção sincera por este milhões de brasileiros que professam a Fé católica sejam defendidos de todo mal.

    “Que o Senhor abençoe e guie vossos corações que agora escutaram e estão prontos para decidir segundo a verdade do Santo Evangelho e da Tradição da Igreja.

    “Que Deus vos abençoe e vos guarde sempre, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, Amém!”