Samsung suspende produção por causa de trabalho infantil “escravo”

    Fábrica da Samsung na China.
    Fábrica da Samsung na China.

    A Samsung, a maior fabricante de smartphones do mundo, fechou temporariamente uma de suas fábricas na China após constatar que um de seus fornecedores, a Dongguan Shinyang Electronics, explorava trabalho infantil, noticiou o site Quartz.

    A decisão foi tomada depois que a associação China Labor Watch (CLW) denunciou os métodos ilegais da Dongguan para contratar trabalhadores excessivamente jovens e obrigá-los a trabalhar 11 horas por dia, sem lhes pagar sequer as horas extras.

    O trabalho infantil na China vai além da denúncia envolvendo a Samsung.
    O trabalho infantil na China vai além da denúncia envolvendo a Samsung.

    A Samsung deslanchou sua própria investigação na fábrica denunciada e decidiu suspender temporariamente o contrato.

    O gigante sul-coreano de eletrônica declarou ter auditado a Dongguan Shinyang em três ocasiões diversas desde 2013, sem encontrar abusos trabalhistas.

    Porém, em nova verificação, a empresa “encontrou provas de processos ilegais de trabalho acontecidos em 29 de junho”, segundo declarou.

    Um investigador do China Labor Watch conseguiu ser contratado pela fábrica incriminada e num relatório denunciou a contratação ilegal a partir de 30 de Junho.

    A Dongguan Shinyang tem muitas plantas em Guangzhou, no sul da China, onde produz roupas, sapatos e produtos de baixo custo destinados à exportação.

    Adolescentes que trabalhavam na Dongguan Shinyang disseram ao jornal “The New York Times” que foram engajados no “sistema de despacho de trabalho”.

    Neste sistema, agências recrutam crianças em regiões pobres, para trabalhar nas épocas mais movimentadas das fábricas – antes das férias nos Estados Unidos e na Europa, os grandes mercados consumidores.

    A decisão da Samsung é louvável, mas infelizmente deve-se temer que a exploração das crianças chinesas não venha a acabar. É uma exigência implacável da planificação socialista.