Suprema Corte (Virginia) reintegra professor vs. ideologia de gênero

0

RICHMOND, Virginia (LifeSiteNews) – Um professor do ensino fundamental que foi suspenso por rejeitar a ideologia transgênero foi tratado injustamente e deve ser reintegrado em seu cargo, decidiu a Suprema Corte da Virgínia na segunda-feira.

Byron “Tanner” Cross, professor de educação física da Leesburg Elementary School, no Distrito Escolar Público de Loudoun County (LCPS) da Virgínia, foi suspenso por se manifestar contra uma proposta de política escolar que obrigava o uso de pronomes transgêneros.

Na ditadura petista também foram introduzidas algumas tiranias em nossas leis visando impor a ideologia de gênero a qual não tem comprovação científica. E a midia alinhada se encarrega de fazer o “policiamento” dos conservadores, daqueles que continuam a afirmar o sexo biológico sobre a construção subjetiva do “sentir”.

Já publicamos as oportunas palavras do cardeal Sarah mostrando o caráter subjetivista e a revolta contra o Criador que impulsiona a agenda transgênero. https://ipco.org.br/cardeal-sarah-desmonta-a-ideologia-de-genero-construcao-subjetiva/

O absurdo dos pronomes de gêneros

Conforme relatado pelo National Catholic Register (NCR), as políticas propostas do LCPS forçariam os professores e administradores a se dirigirem aos alunos “por seus pronomes de gênero preferidos, em vez dos pronomes correspondentes ao seu sexo biológico”.

“Eu sou um professor, mas eu sirvo a Deus primeiro, e não vou afirmar que um menino biológico pode ser uma menina e vice-versa, porque isso é contra a minha religião”, disse Cross durante uma reunião do conselho escolar em maio.

“É mentir para uma criança, é abuso para uma criança e é pecar contra nosso Deus.”

Auxiliar os alunos não é impor tirania LCPS

Cross explicou que, embora compartilhasse da preocupação do conselho com os alunos que lutam contra a disforia de gênero, ele discordava veementemente das políticas e métodos prescritos pelo LCPS.

“Estou falando por amor àqueles que sofrem de disforia de gênero”, disse ele. “Amo todos os meus alunos, mas nunca mentirei para eles, independentemente das consequências.”

Dois dias depois de fazer os comentários, o conselho do LCPS enviou a Cross uma carta dizendo que ele estava em licença administrativa “enquanto se aguarda uma investigação da alegação de que [ele] se envolveu em conduta que teve um impacto prejudicial nas operações da Escola Primária de Leesburg”.

Suprema Corte da Virginia decide reintegrar o professor

Na segunda-feira, a Suprema Corte da Virgínia decidiu que o conselho não deveria ter suspendido Cross, afirmando a conclusão de um tribunal inferior de que funcionários da escola “vingativos” não conseguiram demonstrar que o professor havia causado uma interrupção, uma determinação que levou o tribunal a ordenar a reintegração imediata de Cross .

Tyson Langhofer, advogado sênior da Alliance Defending Freedom (ADF) que representou Cross, saudou a decisão da Suprema Corte em favor de seu cliente.

Professores não devem ser forçados

“Os professores não devem ser forçados a promover ideologias que são prejudiciais aos seus alunos e que eles acreditam ser falsas, nem devem ser silenciados por comentarem em uma reunião pública”, disse Langhofer, que também é diretor do Centro Acadêmico da ADF Liberdade.

Afirmando os direitos da Primeira Emenda de Cross contra o conselho escolar, a Suprema Corte da Virgínia determinou que o “discurso e o conteúdo religioso” de Cross eram “centrais” para a decisão do conselho de suspendê-lo, e que ele fez os comentários como cidadão comum “ sobre um assunto de interesse público ”, relatou o NCR.

Em uma entrevista com o apresentador de rádio e convidado frequente da Fox News, Larry O’Connor, Langhofer disse que a decisão do tribunal na segunda-feira “reafirmou que o distrito escolar provavelmente violou os direitos de Tanner quando o puniram simplesmente por expressar sua opinião sobre esta importante política pública que estava sob consideração no conselho escolar. ”

***

Nossa Senhora Aparecida ajude os necessitados, proteja os professores contra a tirania de gênero.

Fonte: Virginia Supreme Court rules suspension of teacher who rejected transgender ideology was wrongful – LifeSite (lifesitenews.com)

Deixe uma resposta