Supremo Tribunal da Espanha contra o apartheid vacina-covid

Ditadura, socialismo, passaporte-vacina a nova investida do Great Reset

0

O apartheid entra novamente em cena, claro, mudou de nome. No século passado, Rodésia, África do Sul e mesmo EUA foram objetos de tantas notícias condenando o apartheid racial.

A nova segregação, a moderna divisão é provocada pelos ditadores de vacina; querem, a todo custo, impor o mandato de vacinas que trará na prática o novo apartheid: uns podem ter livre trânsito enquanto os não vacinados sofrerão a segregação.

Discriminar com base em vacinas; onde estão os “direitos humanos”?

Superior Tribunal de Justiça da Andaluzia nega

O Superior Tribunal de Justiça da ANDALUZIA, Espanha negou um pedido do governo da Andaluzia para impor um esquema de passaporte COVID, informa LifeSiteNews.

A medida proposta teria impedido os cidadãos de entrar em algumas instalações, a menos que fossem vacinados contra o coronavírus ou se submetessem a um teste de PCR negativo.

“Juan Manuel Moreno Bonilla, presidente do governo regional da Andaluzia, originalmente tentou impor restrições à entrada em locais de hospedagem na região para aqueles que não pudessem provar que foram “totalmente vacinados” contra COVID-19, com a opção de produzir um PCR ou teste de antígeno negativo obtido em 72 horas, seguindo o modelo do Certificado Digital Covid da União Europeia.”

Bonilla planejava implementar a medida em 5 de agosto, mas logo após anunciar o plano, o governo seguiu informando que buscaria o aval do Superior Tribunal de Justiça da Andaluzia para garantir “maior segurança e certeza jurídica” sobre a decisão, Disse o ministro da Presidência Elias Bendodo.

Apesar da decisão do tribunal, Bendodo anunciou que os certificados de jab COVID “vão acabar sendo impostos aos poucos”.

Em outras palavras, ditadura à vista. Liberdade individual, objeção de consciência, direito natural do ser humano sobre seu corpo, o chamado “direito de decidir” usado pelas feministas … não é tomado em linha de conta: é preciso impor o passaporte-vacina.

No dia seguinte, o tribunal proferiu sua sentença de que o esquema proposto poderia interferir no direito à privacidade e, portanto, rejeitou a petição. Segundo os juízes, o esquema do passaporte também se mostrou “não adequado ou proporcionado para atingir o fim pretendido, ou seja, a proteção da vida, da saúde e da integridade física, na medida em que, longe de evitar o contágio no interior dos locais de entretenimento pode torná-los possíveis, razão pela qual não pode ser ratificado por esta Câmara. ”

Supremo Tribunal da Espanha contra o apartheid

O propósito da medida propost a era como um “impedimento” para aqueles que poderiam espalhar o vírus – provavelmente classificando os não vacinados como portadores do vírus – e um “motivador” para aqueles que ainda não tomaram a vacina, de acordo com um relatório em o jornal online espanhol 20 Minutos.

“O Supremo Tribunal Federal baseou sua decisão de manter a decisão em dois fatores principais: a proposta de negar a entrada de não vacinados em toda a região sem referência à propagação do vírus “não passa no teste de proporcionalidade” e sem evidências de que os locais afetados pela perda de costumes são a origem de quaisquer surtos, houve um “déficit de justificativa”.”

***

Os “gestores” da pandemia têm razões que a simples razão ainda não conhece. A meta ditatorial (socialista, portanto) vem sendo imposta aos poucos no Ocidente. Também o PCCh já impôs o passaporte-vacina na China; só isso já seria motivo suficiente para que as Nações Livres garantissem saúde e liberdade dos cidadãos. Por que essa guerra entre saúde e liberdade individual?

A pandemia criou pretextos para os novos ditadores. Hitler também teria adotado o passaporte-vacina. Xi Jinping já o impôs na China.

Nossa Senhora de Guadalupe, padroeira das Américas proteja a nossa saúde e a nossa fundamental liberdade que nasce da Lei Natural posta por Deus no gênero humano.

Fonte: Spanish Supreme Court halts COVID passport plans in Andalusia – LifeSite (lifesitenews.com)

Deixe uma resposta