Tradição, Família, Propriedade (TFP) francesa faz “campanha para salvar Notre Dame da reconstrução modernista “maluca”” informa (LifeSiteNews), 3 de maio.

A tragédia do incêndio de Notre Dame comoveu o mundo. Uma nova batalha começa.

    “Das muitas iniciativas e petições que circulam para a preservação de Notre Dame de Paris “como era” antes do incêndio catastrófico que devastou a torre e o telhado – com sua moldura de madeira secular – da Catedral de Paris na segunda-feira da Semana Santa, a da “Tradição, Família e Propriedade” (TFP) talvez tenha sido a mais visível para o público comum”.

     “Desde quinta-feira, grupos de homens, jovens e velhos, usando as características capas vermelhas da TFP, tocando gaitas de foles e carregando faixas vermelhas com leões dourados, têm se envolvido com os transeuntes em alguns dos cruzamentos mais movimentados de Paris para obter assinaturas em favor de uma restauração que verdadeiramente respeitará tanto a identidade espiritual quanto a coerência artística do venerável edifício gótico”.

    Tradição, Família e Propriedade planeja “lançar iniciativas internacionais para a salvaguarda da catedral, que está sob uma ameaça muito real de reconstrução precipitada, e, pior ainda, a introdução da arte contemporânea em uma tentativa de “modernizar” o marco parisiense”.

Uma reconstrução moderna: a morte de Notre Dame

      “O presidente francês, Emmanuel Macron, visivelmente quer acelerar as obras para ter tudo pronto para as Olimpíadas de Paris em 2024 (…) declarou abertamente que esperava que um “gesto de arte contemporânea” encontrasse seu lugar na “reconstrução” de Notre Dame”.

  Observa, com todo acerto, LifeSiteNews que uma reconstrução moderna (“arte contemporânea”) “seria contrário a todas as regras e regulamentos, tanto franceses como internacionais, que governam a restauração de edifícios históricos.”

     “Notre Dame é um monumento histórico, mas também é um símbolo, um símbolo religioso da glória da cristandade e, como tal, certamente não está de acordo com as visões globalistas modernas”.

A campanha da TFP visa salvar Notre Dame

     “A “arte contemporânea” é frequentemente uma expressão do afastamento de todo pensamento e moralidade clássicos e demonstrou amplamente suas obsessões anticristãs”.

     “Um jornal francês, Le Parisien, publicou dez fotografias dos planos mais loucos para construir um novo telhado e uma torre para a catedral de Notre Dame, apresentada por jovens designers e arquitetos dias após o incêndio. O Studio NAB sugeriu um telhado de vidro e pináculo que permitiria a criação de uma gigantesca estufa no telhado, onde os desempregados poderiam aprender a cultivar vegetais e outras hortaliças em um “jardim urbano“”.

      “Jean Goyard, porta-voz da TFP, disse à LifeSite que na frente da estação de trem mais movimentada de Paris, Saint-Lazare, com mais de 100 milhões de turistas todos os anos, a maioria dos transeuntes aprovou sua ação em favor de restaurar exatamente Notre Dame como era”.

      “Eles eram principalmente pessoas comuns, do meio e da classe trabalhadora. Eu diria que 8 entre 10 pessoas com quem falamos foram enfaticamente a favor da restauração da Notre Dame ao seu estado antes do incêndio. Isso provavelmente não seria verdade na população “burguesa-bohêmede Paris“, observou ele”.

Apoio popular para preservar o simbolismo de Notre Dame

      Jean Goyard, porta-voz da TFP, “acrescentou que muitas pessoas de cor das Antilhas francesas e da África subsaariana parecem particularmente sensíveis à mensagem sobre o simbolismo espiritual de Notre Dame, dizendo que não querem que o prédio seja modificado para algo mais moderno”.

     “Em nível profissional, nada menos que 1.170 curadores, arquitetos, professores e outros especialistas publicaram um artigo no Le Figaro, para lembrar Emmanuel Macron sobre leis que protegem monumentos históricos e “fornecer uma estrutura para ação quando forem mutiladas pela devastação do tempo ou dos homens””.

     “Eles também lembram a existência de um código de ética, que em sua última formulação reside no Documento Nara de 1994, “que fornece uma estrutura internacionalmente reconhecida para intervenções em monumentos, tanto para conservação quanto para operações de restauração parcial ou reconstrução””.

* * *

Associe-se à essa oportuna, necessária e cristã iniciativa de fidelidade à Notre Dame medieval. Assine a petição do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira, disponível em nosso site.

https://www.lifesitenews.com/news/frenchmen-campaign-to-save-notre-dame-from-crazy-modernist-rebuild

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns a TFP francesa pela nobre iniciativa,desta campanha em pró de Notre Dame.É uma das ruínas da Cristandade medieval ainda existente.

Deixe uma resposta