Passou despercebida por nossa Midia, mas é muito importante: No passado dia 19 de setembro, a União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois de aprovar no Parlamento Europeu uma resolução condenando ambos os regimes por terem cometido “genocídios e deportações e foram a causa da perda de vidas humanas e liberdade em uma escala até agora nunca vista na história da humanidade”.

Por 535 votos a favor e 66 contra e 52 abstenções

A resolução contou com 535 votos a favor, 66 contra e 52 abstenções.

Relata ABC: “Em 19 de setembro, a União Europeia colocou oficialmente o comunismo no mesmo nível do nazismo, depois de adotar uma resolução pedindo “ambos os regimes cometeram assassinato em massa, genocídio e deportação, e foram a causa de um perda de vida humana e liberdade em escala até então nunca visto na história humana.

De acordo com o ABC, o jornalista polaco Ryszard Kapuscinski chegou a essa conclusão em 1995: “Se pudermos estabelecer a comparação, o poder destrutivo de Stalin era muito maior. A destruição levada a cabo por Hitler não durou mais de seis anos, enquanto o terror de Stalin começou na década de 1920 e prolongou-se até 1953″.

A publicação do Livro Negro do Comunismo, escrito por um grupo de historiadores sob a direção do investigador francês Stéphane Courtois, que se esforçaram por fazer um balanço preciso e documentado das verdadeiras perdas humanas do comunismo estima em cem milhões de mortos, quatro vezes mais do que o valor atribuído por esses mesmos historiadores ao regime de Hitler.

Uma tese do Prof. Plinio, sustentada há 80 anos, no Legionário

O Prof. Plinio Corrêa de Oliveira é, historicamente, o lider católico que durante décadas mostrou – através das páginas do Legionário — que Nazismo e Comunismo têm em comum a mesma origem, a mesma doutrina, os mesmos métodos. Além do culto da violência, ambos perseguiram atrozmente a Igreja Católica. E, continuam no século XXI por obra de Xi Jinping.

Para espanto do mundo inteiro, escrevia o Prof. Plinio: “Toda a orientação política desta Folha (Legionário) girou sempre em torno da convicção central e fundamental de que entre o nazismo e o comunismo a aparente oposição se resolvia, em última análise, em uma mal disfarçada solidariedade”.

Em 1938 escrevia o Prof. Plinio: “Se reduzirmos ao devido valor os termos “nazismo” e “comunismo”, a diferença entre ambos é insignificante. O comunista é ateu, materialista e partidário da onipotência do Estado. O nazista não é menos ateu, nem menos materialista nem menos estatolatra. A imoralidade comunista é satânica. E a obra paganisadora do nazismo não o é menos. Porque em nossos dias, erguer altares a ídolos decrépitos e ilusórios, abater as cruzes e perseguir a Santa Igreja não é obra apenas das más inclinações do homem, como pode ter sido uma ou outra vez antes de Constantino. Hitler, exatamente como Juliano o Apóstata, é um fenômeno histórico que não se explica sem a ação do demônio”.

“Optar entre o comunismo e o nazismo é optar, portanto, entre Lúcifer e Belzebuth, entre o demônio e o demônio”. https://pliniocorreadeoliveira.info/LEG%20381002_Osfrutosideol%C3%B3gicosdapaz.htm

  • * * *
  • O Parlamento Europeu acerta no alvo e começa a fazer justiça à História.
  • Almejamos que o próximo passo seja a tão esperada NURENBERG DO COMUNISMO.
  • Fonte: https://www.abc.es/historia/abci-nazismo-y-comunismo-verdaderas-cifras-terror-tras-historica-condena-201910142309_noticia.html?ref=https%3A%2F%2Fipco.org.br%2F

 

Deixe uma resposta