Plinio Corrêa de Oliveira Comentando…

A perseguição mexicana e Plutarco Calles vistos por um protestante e maçom norte-americano


       Legionário, 28 de outubro de 1928, N. 22, pag. 3
  
 
Do “Osservatore Romano”, transcrevemos e comentamos o insuspeito testemunho de um protestante-maçom norte-americano, dr. Robert A. Greenfield, num relatório apresentado à “Internacional Civic Organization”, sobre a perseguição religiosa no México.“Como protestante e filiado à Maçonaria, vou julgar os acontecimentos anticatólicos do México para defender o meu País (os Estados Unidos) mais que para denunciar as injustiças contra o catolicismo.



“Todavia, devo declarar antes de tudo que, com exceção de alguns dirigentes da seita protestante e de alguns eminentes maçons, todos nós reprovamos a forma bárbara pela qual o Governo radical do general Plutarco Elias Calles tem combatido os fiéis da religião católica”.
O Dr. Greenfield afirma que “alguns dirigentes da seita protestante e alguns eminentes maçons” não reprovam a perseguição… não é só; continua o mesmo senhor:“O Governo provindo da revolução mexicana e presidido por Venustiano Carranza, idealizou um programa de ação radical. Os movimentos revolucionários da Europa e principalmente o da Rússia coincidiram com as tendências do grupo dominante no México, e, primeiramente o general Alvaro Obregon, depois o general Calles adaptaram com a máxima minuciosidade o seu programa ao da revolução mundial.
“Este programa tem vários números, mas o primeiro e o principal é a destruição de todas as religiões.“Sendo o México um país onde predomina o catolicismo, é natural que a agressão do Governo fosse mais dura contra esta Religião.“Os radicais mexicanos aperceberam-se logo que alguns elementos do protestantismo e a maçonaria dos Estados Unidos simpatizavam (sic) com a idéia de destruir o Catolicismo, e crendo ganhar com esta tática o apoio americano para realizarem todo o programa revolucionário, os homens políticos mexicanos se puseram de acordo com instituições anticatólicas poderosas… (sem comentários….)

“Certamente, porém, na luta de extermínio contra o catolicismo estamos seguramente de acordo, maçons e protestantes, e temos fornecido ao regime de Calles uma ajuda leal e suficientemente larga”.(sincera ingenuidade!)“A razão é clara: é que o catolicismo é uma religião muito absorvente.“Em poucos anos conquistou 15 por cento da população do nosso país e ameaça invadir as altas esferas do nosso Governo. (note-se que é um protestante ianque quem escreve!)[NF1] . 
Enquanto as igrejas protestantes têm poucos paroquianos, se bem que se lhes ofereçam vestuário, alimentos e diversões a fim de que o povo acorra a elas, os templos católicos, onde se estorquem esmolas aos crentes, estão cheios de fiéis. (bastante significativo…)

 
Plutarco Calles, feroz perseguidor da Igreja no México

Este absurdo, contraria muito os chefes do protestantismo, cujas intenções são excelentes e de muito boa fé.“Se a civilização norte-americana tem favorecido o mundo inteiro na ordem material, é natural que queiramos exercer também um domínio espiritual.“Pensamos que o protestantismo esteja mais de acordo com a cultura moderna, que o catolicismo, que é uma religião medieval. (Isto é excessiva bondade do Dr. Greenfield, pois a Religião Católica é mais antiga ainda: é aquela mesma do tempo das catacumbas, com sua fé viva, seus mártires, e seus perseguidores).“E a América Espanhola deveria ser grata ao empenho que temos em gastar milhões de dólares na propaganda do Evangelho por meio de instituições tão úteis como a Associação Cristã de Moços, os Rotary Clubs e as missões”.Façamos aqui um parêntesis. Pelo que ficou transcrito aqui acima, nota-se que os meios de propaganda são muito diferentes entre protestantes e católicos; ainda nisso muito diferimos deles: o catolicismo prega-se com a cruz na destra e com a alma disposta ao sacrifício; o protestantismo é um reformado que o confessa, com uma bolsa recheada de dólares! Felizmente ainda há consciências que não se vendem! Ainda há homens que preferem a morte à apostasia! Pedimos a atenção de nossos leitores, também, para a simplicidade com que o autor declara ser o protestantismo a religião mais de acordo com a “civilização moderna”; e ainda para a ligação entre o Rotary, a A.C.M. e o protestantismo.

Em resumo: Rotary; A.C.M., protestantismo ianque, milhões de dólares, tudo isso tem finalidades convergentes. Quais são elas? Veremos mais adiante.“Deixar o Catolicismo para entrar no campo vastíssimo do Protestantismo é certamente um progresso; e quanto a nós norte-americanos, temos sempre acreditado desde o século passado que a religião Católica é um obstáculo insuperável para a fusão de todos os países da América. (Porque impede o pan-americanismo absorvente, o imperialismo dos Estados Unidos, que enquanto em Paris assina o pacto contra a guerra, de armas na mão intervém na Nicarágua.) Creio que ninguém nos inculpará pelo nosso nobre propósito de americanizar o continente, nem alguém crerá possível alcançar este ideal, enquanto esteja em pé a superstição latina, que sempre a isso se tem oposto. (O Catolicismo é o guarda da nacionalidade.)

“Isto já, há muitos anos, afirmava Th. Roosevelt, quando, às margens do lago Nahuel Huapi, inquirido, pelo dr. Francisco P. Moreno, se cria numa absorção rápida de países latinos da América, pelos Estados Unidos, respondeu: “Creio, que será longa e dificílima, enquanto estes países permanecerem católicos”. “A culpa principal, que nós anglo-saxões imputamos com toda a justiça ao Catolicismo espanhol é que produz uma raça híbrida que se tem recusado a aceitar a anexação de territórios ricos, mas populados de gente que vive em um nível inferior de cultura.

(O crime de que nos acusam eles é interessante. A declaração sobre anexação de territórios ricos, é o cúmulo da ingenuidade, ou da imbecilidade metalizada. Quanto à raça híbrida e ao povo de cultura inferior, é um insulto, ou mais um atestado de ignorância profunda: o povo brasileiro é resultante da fusão de três raças que o Dr. Greenfield, provavelmente, considera híbridas: a ibérica, a indígena e a preta. E, não obstante, é um povo de um nível de cultura igual, se não superior, sob muitos pontos de vista, ao de qualquer outra nação do mundo, inclusive ao ianque. E assim o povo mexicano e todos os mais da mais da América Latina, provindos em sua maior parte da mescla do íbero com o selvícola. Enfim, as afirmações acima talvez sejam a resposta à pergunta que formulamos sobre as finalidades da mistura de Rotarys, Associações Cristãs de Moços e dólares…)“O Protestantismo ao invés, mais prático e mais consciente da liberdade processo, sumariamente, postas (…) extermínio dos índios ou o seu confinamento nos “reservations” para impedir fusão de raças. (A isto chama o Dr. Greenfiel consciência da liberdade!!) 

Sob este ponto de vista nós protestantes norte-americanos não podemos ao menos deixar de olhar com simpatia o movimento anticatólico do Presidente Calles, e nem outra coisa esperávamos dele que, nascido no Arizona, território deste país, estudou, ensinou e pregou o Evangelho como pastor de uma das nossas igrejas. (protestantes).”Todavia devo novamente declarar que a maioria de nós não pode aprovar os meios de rigor empregados pela autoridade do país vizinho e é por isto que aderi ao movimento da “International Civic Organization”. “Tanto mais que eu sei que o general Calles, uma vez destruído o Catolicismo com a ajuda dos radicais, pretenderá fazer o mesmo com todas as religiões… 



(descansem de seus temores os nossos irmãos reformados: Calles nunca destruirá o Catolicismo. Pois Deus não morre e o sangue dos mártires ainda é semente de católicos!)

“Se a América espanhola tem gozado o benefício da nossa influência civilizadora; se progride por reflexo do nosso adiantamento material, é natural que aspire a preparar-se pela sua absoluta identificação espiritual conosco, convicta que as riquezas e o progresso maior se avém com as nossas instituições religiosas que com o catolicismo. Certamente que a sua velha religião criou arquitetura, escultura, pintura, música e literatura; mas estes tesouros não servem para dar felicidade aos povos. (isto se não é humorismo infeliz, é ignorância crassa.)

“Por todas estas razões sugiro a “Internacional Civic Organization” que se limite a solicitar a fim de que o recomende ao governo do general Plutarco Elias Calles que não prive da vida os católicos obstinados; nem ultraje as mulheres, nem permita que os seus subalternos, sob pretexto de destruir o catolicismo, roubem, assassinem e violem os direitos dos cidadãos, como, segundo me consta o estão fazendo atualmente”.

O testemunho do Dr. Roberto A. Greenfield não podia ser mais insuspeito, mais ingenuamente sincero, nem mais elucidativo. Prova que tantos são os desatinos e os crimes de Calles, que os próprios irmãos de seus cúmplices contra eles se revoltam.
Bookmark and Share

Deixe uma resposta