Comenta um leitor,  neste mesmo site::

A desigualdade extrema também gera pecado, já que injustiça social é um pecado. Aqui no Amazonas 80% da renda bruta do Estado fica com apenas 10% mais ricos, e o polo industrial de Manaus produziu mais de 40 bilhões de reais. A desigualdade extrema é arma usada para ação dos comunistas”.

Não tenho suficiente conhecimento da situação no Amazonas para comentar os dados estatísticos apresentados pelo gentil leitor, mas digamos que, em tese, se trate de uma desigualdade fora dos limites. Que dizer, então, dessa situação?

Para o intelectual italiano G. Cantoni, Dr. Plinio é o teólogo das desigualdades sociais. Vejamos o que ele afirmou, num Fórum realizado nos Estados Unidos: “É certo que a desigualdade deve ter limites. Certo é também que a igualdade os deve ter”.

Os esquerdistas, partindo da tese de que a desigualdade deve ter limites, querem que a igualdade não tenha limites. Eles querem acabar com a propriedade particular, que de si produz desigualdades naturais.

Eles não respeitam os limites que também a igualdade deve ter. Por exemplo, no espantoso projeto de Código Florestal, com as modificações do Senado, atualmente em exame na Câmara.

Dr. Plinio acrescenta:

No que toca a todos os homens pelo simples fato de serem homens, são todos eles iguais. Mas sucede que, além dessas qualidades básicas, os homens são dotados de inúmeras outras, que variam entre si como que ao infinito, também pelo simples fato de serem homens. E assim, a própria igualdade natural e legítima costuma ser o ponto de partida de desigualdades legítimas, que estão, elas também, na ordem natural das coisas. Tão numerosas são elas, e tão diferentes, que seria interminável tentar enumerá-las todas”.

Portanto ‒ desde que se ponham limites à igualdade, entre outras coisas aceitando o direito de propriedade ‒ a desigualdade pode ter limites. Como também a igualdade.

Outro leitor escreve:

 

“Concordo com o que se disse neste site sobre a desigualdade. Mas tanto se fala de igualdade hoje em dia, que confesso que ficaria mais tranquilo tendo uma confirmação superior. Se for possível…”

O leitor parece duvidar um pouco de que isso seja possível, mas veja a seguinte frase do Papa Pio XII. Este afirma que “a natureza benigna e a bênção de Deus à humanidade iluminam e protegem os berços, beijam-nos, porém não os nivelam”[1]. A mesma posição é a de inúmeros outros Pontífices, e seria demasiado longo citá-los todos aqui, sem falar de teólogos com o peso doutrinário de Santo Tomás de Aquino.

Nosso Senhor Jesus Cristo fecha a questão definitivamente, na seguinte passagem entre outras. Diz Ele: Qual de vós que tendo um servo a lavrar ou guardar gado lhe diga quando ele se recolhe do campo: ‘Vem, põe-te à mesa’, e não lhe diga antes: ‘Prepara-me a mesa, cingi-te e serve-me, enquanto eu como e bebo, e depois comerás e beberás tu?’(Lc. 17- 7).

Para Nosso Senhor, portanto, a igualdade deve ter limites!


[1] Cfr. Textos Pontifícios desta Proposição, epígrafe “Desigualdades de berço são desejadas por Deus”.

9 COMENTÁRIOS

  1. Jesus também afirmou que o maior é aquele Serve e quem quiser ser o maior no Reino dos céus seja o servo de todos. A outra parte do que Jesus falou termina deste modo. Não é o maior o que está sentado a mesa? Eu, porém, estou entre vós com aquele que serve. Há sim, desigualdades que não só fora dos limites. ELAS SÃO INJUSTAS e contrárias ao Evangelho. Não se pode ser cristão ao lado de outro cristão que passa fome, que não tem onde morar e não tem o que vestir. E como em outras épocas a Igreja permitiu ao Estado criar dioceses, indicar bispos e aprovar as encíclicas do papa, como ocorreu no Brasil, por causa do infeliz padroado; também deveria ter sido mais firme em exigir do Estado uma justa distribuição de renda principalmente para os que trabalham. Participação nos lucros para os que participam da força de trabalho. Exigir pagamento de justos salários que atendam tudo o que é digno da ser humano e muito mais de um filho de Deus. Casa, saúde de qualidade e boa educação. Não é uma esmola hoje e outra só Deus sabe quando, que retirar uma pessoa da miséria. É trabalho e remuneração justa, propriedade para todos, não para o Estado nem só também só para meia dúzia de privilegiados. O comunismo foi e é sem duvida o fruto do egoísmo dos capitalistas. Um reação ao acumulo e desperdício de riqueza na mãos de muitos e o aumento da miséria entre muitos. Se falar contra as riquezas injustas fosse defender o comunismo, São Tiago seria o primeiro comunista; basta ler o que ele escreveu sobre os ricos avarentos. Carta de Saõ Tiago 5, 1-6

  2. Boa Noite ! É um tema legitimo para cada condição de nossas vidas. Bem estruturada e defendida, a resposta do dr. Plinio, centratalizada no bem agudo dessa realidade. O segundo mandamento de DEUS … ” amarás seu próximo como a si mesmo “, é tudo que se pode falar sobre este tema. Disse-nos Jesus que … ” é fazer ao outro tudo aquilo que vos queria que vos fizesse”. Temos na Costituição desse pais nossos direitos expressos, elaborados, garantidos mesmo, mas, falta informação e formação, para motivar à luta por eles, pois, além de não conhece-los, estamos distantes da capacidade de entender, realmente, a complexidade dos motivos mais ingentes e reais que levam um pais a esquecer de seu próprio povo. Oxalá se pudesse ter melhor acesso, mais transparência, mais poder de incisão e decisão sobre o que temos direito e como defende-los, quando tão aviltantemente estivermos, como sempre estamos, sendo lesados e afastados de poder “lutar” por eles, em tempo hábil e decisivo. Oxalá nossos representantes eleitos fôssem homens mais “BRASILEIROS” ! Manifestações assim nos fazem refletir, acredito que nos possam ajudar a denunciar o que se manifesta consciente ! E … vamos nos aproximando um pouquinho sobre … “O QUE PODERIAMOS E TEMOS QUE FAZER !!! as. Eliana. 04/03/2012. Vitória-Espirito Santo.

  3. Na verdade a igualdade que querem impor, não é nada mais do que escravizar as pessoas dos seus direitos, mas para quem não entende, eles ( os pestistas não quero dizer petista, é pestistas mesmo, que tem a ver com uma praga, peste). Acham que eles estão querendo o bem de todos, mas não sabe que na verdade o que eles querem é tornar todos seus subordinas, em outras palavras, miséria para todos e não igualdades, é óbvio, menos para eles…

  4. É brilhante e genial a resposta de Plinio Corrêa de Oliveira à objeção dos igualitários extremistas que não toleram qualquer desigualdade.

  5. Excelente artigo de Leo Daniele! Derruba todos os argumentos do esquerdismo e esclarece em dever impor os limites da igualdade.

    O direito da propriedade deve ser respeitado.

    Aqui no Amazonas, a desigualdade é tamanha que os esquerdistas querem impor essa igualdade sem limites através do ambientalismo e a tese da sustentabilidade.

    Os dados que eu apresentei, foi do artigo do economista Renilson Silva para um jornal local.

  6. A igualdade nos moldes do comunismo, nos igualará no pãozinho semanal e no litro de leite
    mensal. Seremos todos iguais nivelados pelo minimo para sobreviver.

  7. Dizem, e eu acredito, que o limite do ser humano é ele mesmo que se impõe. Posso oferecer um copo de água a alguém, mas não posso obreigá-lo a beber; ele sabe o se limite.
    O que os governantes comunistas e socialistas querem é nivelar, todos devem ter o mesmo procedimento, obediencia irrestrita às leis que eles impõem sob ameaças e, por fim, acabam mesmo delimitando as ações das pessoas. Nivelam o uniforme que usam, obrigam a cumprir trabalhos forçados. Quem ler o livro de Victor Frankl, em busca de um sentido saberão melhor do que é tratamento comunista nivelador de seres humanos.

  8. Todos somos iguais perante DEUS, ele nos fez para sermos felizes, porém nós mesmo buscamos nossas igualdades e principalmente desigualdades e aí caímos no pecado. Ontem estive conversando com um colega que já havia trabalhado com ele no banco e há muito tempo e fiquei estarrecido o que ele me disse: JESUS foi e é um homem comum, não acredito em DEUS, se DEUS existisse não deixaria o sofrimento agir, pessoas serem aleijadas, etc… Que fique claro irmãos, DEUS não permite o pecado, nem a dor, nem o sofrimento, etc., tudo isso tem sempre um sentido, ou alguèm pecou, ou alguèm cometeu algo e está sofrendo as consequências, nada é por acaso. Se DEUS agisse do nosso jeito, aí ele não seria DEUS. Ele não é intruso, permite tudo e isso é livre arbítrio, só depois colheremos. Quando plantamos batata, colhemos batata, etc… Como ele mesmo diz: Árvore boa dá bons frutos e a má dá maus frutos. Quando você filho e filha de DEUS achar que DEUS não é justo, analise primeiro várias hipóteses. Começando com esta: qual pai quer o mau para o filho, por pior que ele seja, se nós pecadores queremos o melhor para nossos filhos, imaginem DEUS. E sempre que você pensar na igualdade e desigualdade, não pense com o cérebro, mais sim com o coração voltado para DEUS e da maneira que ele pensa. Ninguèm é IGUAL OU DESIGUAL, somos únicos para DEUS e ele nos ama incondicionalmente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome