“O anjo da arte é Lúcifer” (Castellucci)

Lúcifer se revestiu com “a pele da Serpente e usou a linguagem da Serpente [para tentar Adão e Eva]. Dando assim origem à arte. A arte encontra neste núcleo originário sua relação privilegiada com o mal”. (Castellucci)

Proteste

romeo_castellucci_2_0-1Em Porto Alegre, hoje (19), amanhã (20) e sábado (21), no teatro São Pedro, será representada a blasfema peça teatral do italiano Romeo Castellucci intitulada “Sobre o Conceito da Face no Filho de Deus”. Leia abaixo mais detalhes e depois envie uma mensagem de protesto usando o “Fale Conosco” do site oficial do teatro,  escolha opção AATSP (Associação dos Amigos do Teatro São Pedro, que promove e apóia as atividades da instituição), no campo “área responsável”.

Atualização [20/9/2013, 16:30]: há uma outra forma de protestar alertando ao arcebispado e ao clero de Porto Alegre para que convoquem seus fiéis a um ato de reparação e, como Verônica, enxugasse a Face Sagrada de Nosso Senhor atingida pelos “excrementos” da peça de Castellucci. Clique aqui e acesse o site da campanha Brasil Pela Vida para enviar de forma simples a sua mensagem.

Opinião do Jornal La Croix em defesa de Castellucci

No mês de julho de 2011, o jornal La Croix, da esquerda-católica, afirmou que “o show nos traz de volta a nossa condição de homens feitos de carne e de matéria, como foi Cristo na Cruz”. “Como um espelho obscuro, o espetáculo remete à consciência todas as suas limitações, sua fragilidade, sua finitude infinita. A seus medos e suas experiências mais íntimas, suas crenças, sua fé no homem. Em Deus”. E no fato das crianças jogarem objetos no rosto de Cristo, La Croix vê um “gesto não de blasfêmia, mas de inocência” (1) (veja o vídeo).

Mas qual é o enredo da peça?

Diante de uma enorme fotografia da face de Jesus Cristo, estampada em uma tela, um idoso nu é vítima de vários ataques de disenteria que exigem de seu filho o trabalho de limpá-lo regularmente. O diretor Romeo Castellucci não poupa nada ao público, nem mesmo o cheiro …

O pai pede perdão ao filho que continua seu trabalho. Mas a situação vai ficando cada vez mais difícil. O velho então grita e se revolta. O filho beija a imagem do Cristo. Ambos se retiram do palco. Até que por detrás daquela imagem de Cristo, as sombras de um homens a cobrem com um véu negro. Excrementos fecais são despejados na tela e no palco. O rosto de Cristo vai se escurecendo até ser rasgado e aparecem os dizeres: “Você (não) é meu pastor”.

Na versão apresentada no festival de Avignon, crianças aparecem em cena jogando granadas no retrato de Cristo … (veja o vídeo)

Romeo Castellucci

Romeo Castellucci: simples expressão artística ou representação de uma cosmovisão gnóstica?

Castellucci concedeu uma entrevista para a revista australiana Arts RealTime (No. 52 Dezembro-Janeiro de 2002) por ocasião da apresentação de sua peça Genesi no Festival de Melbourne (2).

Primeiro, veja como Arts RealTime descreve a obra Genesi:

“Genesi é a história de Deus criando amorosamente o Universo. Em seguida o homem comete o Pecado Original e é expulso do Jardim do Éden. Tudo isso é bem conhecido. Menos familiar, no entanto, é a versão mística judaico-cristã que se encontra no Gnosticismo, na Cabala e na Rosacruz. E é esta a versão que Castellucci representa por meio de sons e outros recursos espetaculares. Castellucci se serve das mesmas tradições que têm servido de inspiração para artistas tais como Baudelaire, Antonin Artaud, Peter Brook […]

“Nesta versão mais negra do Gênesis, o ato de criação não é aquele de amor, mas trata-se de um terrível erro. (…) O ato da criação é, então, uma transgressão violenta contra as leis do universo e, portanto, toda a criação contém dentro de si o caos (…). Não é o amor que reina neste universo, mas a crueldade. Não foi o homem que pecou, ​​mas Deus. Toda a arte, o teatro e a história constituem, portanto, um conto deste ato inicial de violência primordial ”

Agora, trechos da entrevista.

Antonin Artaud, louco, inventor do “Teatro da Crueldade” e mestre de Romeo Castellucci

– Você disse: “o Genesis me assusta mais do que o Apocalipse”, porque representa o “terror de uma possibilidade sem fim”. Isto parece ter sido inspirado muito nos escritos de Antonin Artaud e de Blau Herbert, nas doutrinas cabalistas e gnósticas pelas quais Artaud mesmo era influenciado. Você concorda com essas ideias geralmente associada a esta cosmologia? Por exemplo, Artaud afirmava que um caos terrível existia antes da criação e que se manteve sempre presente, latente ou imanente, dentro de cada existência diária. Ele alegou que este “caos” é a ‘dupla linguagem’ do teatro. O fim mais elevado e a virtude mais eminente do teatro são, então, o poder representar – ou pelo menos chegar perto de representar – o caos através de uma representação viva?

Castellucci: (…) O teatro não é algo para ser “reconhecido”. Não deve ser isso, mas sim um caminho através do desconhecido, para o desconhecido. O que eu e outros com uma concepção semelhante têm tentado fazer ao longo dos anos tem sido a de levar alto o escândalo da cena e de mantê-las sempre vibrantes. (…)

A este respeito, eu acho que o pensamento de Antonin Artaud é de fundamental importância para a compreensão plena da forma ocidental. Ele coloca o problema da forma em um banho de violência que desperta, que mantém um teatro real. Este é o lugar onde a forma se torna espírito. Estamos falando, de fato, sobre a alquimia da transformação, da transmigração de uma forma em outra. (…)

– Você concorda que todos os atos criativos são um ato de violência, ou pelo menos uma violação do tabu contra a criação? Tenho em mente seu comentário que Lúcifer, o anjo decaído, é o primeiro artista com quem a humanidade pode se identificar.

Castelucci: (…) Ao longo da história da humanidade, Lúcifer sempre se fez ver através da disfarces e fantasias, adotando as palavras de outra pessoa. Ele também fez isso no Início, se revestindo da pele da Serpente e usando linguagem da Serpente. (…) Ele é realmente o primeiro a trabalhar na superabundância da linguagem, para explorar o teatro como uma energia, dando assim origem à arte. A arte encontra neste núcleo originário sua relação privilegiada com o mal. O mal é, aliás, o aspecto extremo da liberdade que Deus concedeu a todos os seres. Lúcifer vive no estado de sua condenação que é precisamente de viver na região do não-ser. Para retornar ao estado de ser, Lúcifer foi forçado a assumir a aparência de outra pessoa, a voz de outra pessoa. Arte torna-se necessária quando não se está mais no Paraíso.

(…) Porque o Anjo da arte é Lúcifer. Este é o primeiro Ser que assume o figurino e roupas de um outro ser. (…) Ele vem da região de não-ser. A única possibilidade para ele voltar para a área do Ser é fazê-lo na voz, no corpo e no nome de outro, e isso é teatro. Esta zona de não-ser é a condição genital de cada criação, ele permite esta necessária destruição que afasta e evita todas as superstições.

Envie uma mensagem de protesto usando o “Fale Conosco” do site oficial do teatro
OBS:  No formulário do “Fale Conosco”, escolha opção de enviar a mensagem
para a sigla AATSP (Associação dos Amigos do Teatro São Pedro,
que promove e apóia as atividades da instituição), no campo “área responsável”.

Atualização [20/9/2013, 16:30]: há uma outra forma de protestar alertando ao arcebispado e ao clero de Porto Alegre para que convocassem seus fiéis a um ato de reparação e, como Verônica, enxugasse a Face Sagrada de Nosso Senhor atingida pelos “excrementos” da peça de Castelucci. Clique aqui e acesse o site da campanha Brasil Pela Vida para enviar de forma simples a sua mensagem.

___________________

Fontes:
1 – La Croix, 22/7/2011
2 – Avenire de la Culture, 5/11/2011

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

 

84 COMENTÁRIOS

  1. Não acho graça alguma nessas práticas pagãs que você citou, não vejo o menor sentido para qualquer riso, sinto-as deprimentes e conheço várias pessoas que pensam igual a mim; por outro lado não ví qualquer “desrespeito” no artigo conforme você afirma, sua fé, se é que tem alguma, diz respeito apenas a você agora vir aqui esbulhar num espaço católico sem ser um de nós não faz qualquer outro sentido que não seja o de pretender provocar, siga sua vida em paz e nos deixe em paz com nossa fé.

     
  2. é um pena ver a arte a serviço do demônio, como Cristão vejo que as pessoas não tem mais respeito pelo Sagrado, quando acabar ficam muitos se perguntando porque as coisas ruins acontecem é a falta de Deus no coração das pessoas, muitas já não tem mais um sentimento de respeito pelos outros. o Diego não tem respeito pela Fé de ninguém, ele é um mercenário em busca de se mostrar, a arte dele é sinistra, sem respeito pela crença alheia, sinceramente, se pudesse pegava bosta e tacava na cara dele pra ver se ele acharia bom, pois esse coisa que ele diz ser arte é muito sem graça, e também é sem graça quem presta o papel de ir, vejo sim que deveríamos como Cristãos procurar nossos direitos na justiça e processar se possível o teatro caso queira insistir com essa peça ridícula.

     
  3. È uma peça tão ruim, tão besta que ninguem devia perder tempo protestando, para que dar ibope para uma coisa tão ruim…… se não fosse esse carnaval que estão fazendo contra… ninguém ficaria sabendo dela.

     
  4. Valério,

    Isso! preferências são preferências! Cada um com a sua. Mas não, não pode. Um cara que prefere ser religioso alienado tem todo o direito de sê-lo, mas não pode permitir que o ator de quinta apresente sua peça de quinta.

    Perdeu.

     
  5. Engraçado que quando mostram um hindu adorando uma abóbora que ele acredita ser a reencarnação de Shiva, ou dando leite para os ratos sagrados enquanto seu filho morre de inanição, as pessoas riem e acham normal. Já se criticarem um quadro de Cristo… Perseguição e desrespeito!

     
  6. Torno a insistir a todos que dizem que religião é lixo, que causa retrocesso a todos e ao progresso das nações, por que não vão falar isto para os muçulmanos, hem, seus evoluídos?. Falar para cristão é fácil né por que sabem. Vão lá mostrar esta “pecinha”, colocando Maomé no lugar de Cristo e fazer a mesma coisa.

     
  7. Diego Luiz Nardi,

    TANTA GENTE PASSANDO FOME E OS TAIS (IGNORANTES) GASTANDO 80,00 PARA ASSISTIR ESTA PORCARIA POR FALTA DE INTELIGÊNCIA DO CRIADOR DESTA PORCARIA CHAMADA “FILME” ENGANAÇÃO PARA OS CURIOSOS COM TEMPO DE SOBRA.
    JESUS CRISTO ONTEM, HOJE E SEMPRE. AMÉM

     
  8. Penso assim, se Jesus Cristo nosso Senhor falou tanto sobre o amor e pelo mesmo amor se entregou por todos nós e mesmo assim as pessoas de hj em dia zombam dele riem dele,”cospem nele” ofendem tanto esse Deus amor nosso….Ora serão estas pessoas que serão iludidas e enganadas pelo Anticristo obrigadas a se curvarem diante daquele homem mil vezes maldito que se alto proclamará ser jesus cristo , por isso rezemos pelo povo irmãos, para que se convertam e voltem ao SENHOR

     
  9. Diego Luiz Nardi,

    Você nunca foi cristão, mais sim um falso cristão que fica rindo de uma peça blasfema como esta…. Defender ao nosso Senhor não é errado..errado e ficar parado vendo seu SENHOR ser escarnecido por pessoas sem Deus.

     
  10. Diego Luiz Nardi,

    Diego Luiz diz que os que protestam contra esta blasfemia manifesta ódio. É apenas um jogo de palavras. Porque a essência dessa coisa que foi encenado é a violência e o ódio. O próprio vídeo do link que ele anexa demonstra isso. Para Diego as imagens não valem nada. Atirar pedras e bombas contra a figura do homem que pregou o verdadeiro amor e a verdadeira paz não representa ódio. Ou você é louco ou é doido porque não coordena os fatos com as idéias.

     
  11. Aquele que se acha tão valente em criticar Jesus Cristo, tão valente a falar mal de Deus e tão corajoso a defender os sacrílegos e blasfemos que se intitulam de actores e de produtores de teatro, só uma perguntinha muito simples: Você defenderia o mesmo em relação a Maomé ou aos Judeus? Você apoiaria aqueles que fizessem o mesmo numa mesquita ou numa sinagoga? Duvido! Na mesquita você perderia a cabeça e na sinagoga você perderia a liberdade pois iria “ipso facto” para a prisão. É tão fácil criticar quem sabemos que não irá responder com a mesma moeda, não é? Pois é. É para saber quão grande é Jesus Cristo e quão imensa e únicamente verdadeira é a Religiao Cristã. “Deus est caritas”. Deus é caridade…mesmo.

     
  12. Diego Luiz Nardi,

    Ok., ok. Sr. Diego. O que uns saboreiam a outros pode repugnar, nem é preciso entrar no mérito das preferências do urubu e do colibri. Ah, e mais. Intelectual precisa saber distinguir “seção” de “sessão” !

     
  13. Pronto, pronto! Não precisam mais chorar, hoje podem ir dormir tranquilos. A última seção já foi apresentada e logo eles irão embora do Brasil. Nem doeu, vai?! Ou doeu?! Eu me diverti imensamente com essa discussão, só fiquei com medo de vocês e suas demonstrações de ódio que não combinam com a doutrina Cristã. Sugiro que leiam a bíblia antes de dormir. Mas para que não sintam saudades dessa passagem desse espetáculo pelo Brasil, aqui está o link de uma das cenas mais lindas do espetáculo. Aproveitem, vale a pena!

     
  14. Diego Luiz Nardi,

    Pseudo-intelectuais de esquerda são autoritários e ditatoriais, coisas que estão a contaminar seriamente a administração pública federal. Sequer tem categoria para argumentar. Logo apelam para a ignorância e baixam o nível. Agora apresentar um espetáculo baseado em excrementos humanos, convenhamos, passou da medida. Aplaudiram de pé essa coisa ? Certamente esse mesmo público aplaudiria Jim Jones, o “Maníaco do Parque” e outras figuras do gênero da mesma maneira. É uma liberdade que lhe assiste. Mas, o que diria o “comissariado” e os “camaradas”, se montassem um espetáculo, tendo a imagem de Che Guevara como alvo das fezes ? Meu caro, acredito que a maioria da população acharia mais bem aplicado o dinheiro gasto com essa peça em uma estação de tratamento de esgotos !

     
  15. SiRvana Errodrigues,

    Gente, é impressionante como são agressivas as pessoas que defendem o amor de cristo!

    Impressionante é a hipocrisia de quem defende o vilipêndio público de objeto de culto, a imagem de Cristo, e ainda ironiza falando de amor de Cristo para evitar a reação de pessoas que se sentem chocadas por saber que dejetos humanos estão sendo jogados numa imagem de Jesus.

    E só para constar, o rosto representado, é uma obra de arte, se vocês assumem que ali está cristo, assumem que a arte salva e sendo assim, está tudo, ok!

    Só para constar, a Religião católica venera imagens e têm elas como objetos de culto. A imagem não salva, mas sim Aquele que ela representa.

     
  16. Esta é a GERAÇÃO PROFETIZADA por JESUS CRISTO em Mateus 24, ADÚLTERA E PERVERSA! AI DE TI BABILÔNIA, VOCÊ VAI VIRAR UMA CIDADELA DE DEMÔNIOS! Os bons que perseverem na sua bondade e os maus nas suas iniquidades, porque eis que vem o Rei dos reis e o Senhor dos senhores, eis que Ele vem para julgar todos os habitantes da Terra!
    MARANATHA! VEM SENHOR JESUS IMPLANTAR O VOSSO REINO DE PAZ E JUSTIÇA!

     
  17. Diego Luiz Nardi,

    Como você é nojento! Você pretende rezar um terço? Mas você acredita que JESUS CRISTO É DEUS? Claro que não acredita! Então porque você quer rezar um terço? Você debocha DAQUELE QUE É A SUA ÚNICA CHANCE DE NÃO IR PARA O INFERNO! Espero que você se converta, porque você pode até não acreditar em JESUS CRISTO, mas no capeta você há de acreditar quando estiver nas PROFUNDEZAS DOS INFERNOS!
    MALDITOS COMUNISTAS!

     
  18. Diego Luiz Nardi,

    E você ainda queria eu jogasse meu dinheiro no lixo para estar ao lado de pessoas transtornadas como você e assistir uns maníacos dirigidos por outro jogarem dejetos humanos na imagem de Cristo – algo que você gostaria que fizessem com sua fotografia?

    Mais cuidado com as mensagens que você escreve aqui ou você terá que discutir sobre “liberdade de expressão” com um juiz.

    CÓDIGO PENAL BRASILEIRO:
    Artigo 208 – Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença (…); vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:
    Pena – detenção. De 1 (um) mês a 1 (um) ano, ou multa.

     
  19. Valério,

    Gente, é impressionante como são agressivas as pessoas que defendem o amor de cristo!
    E só para constar, o rosto representado, é uma obra de arte, se vocês assumem que ali está cristo, assumem que a arte salva e sendo assim, está tudo, ok!

     
  20. Valério,

    Pra encerrar o meu espetáculo de profanação nesse site:

    Graças á DEUS, Romeo Castellucci vive e continuará realizando suas encenações. Vocês gostando, querendo, protestando ou não!

    PS: Vou rezar um terço pra vocês queridos, já que são vocês que estão precisando. Amém, fiquem com na santa paz do Senhor Jesus Cristo.

    EU NÃO SOU SEU PASTOR!

     
  21. Diego Luiz Nardi,

    Quanto a minha imagem, fiquem á vontade, adoraria ter um painel gigante com o meu rosto sendo apedrejado, sujo com dejetos humanos e o que mais quiserem. Isso realmente seria ótimo, me colocando no mesmo nível da face de Cristo. ,

    Se você deseja isso para você, estou pouco me importando. Você não representa nada para a fé de milhões de brasileiros. Mas não deseje colocar a face de Cristo ao nível daquilo que você deseja para si mesmo. Não há proporção, desculpe.

    E se você quiser vá hoje assistir á peça e depois fale com mais propriedade sobre o assunto!

    Não pagaria nem um real para estar ao lado de pessoas como você se divertindo em zombar da fé alheia, sob o pretexto de “arte”.

    Se uma pessoa como você gostou dessa peça, então já é razão para eu criticá-la e não preciso assisti-la para discordar de sua representação, assim como você não se acha na obrigação de estudar teologia moral, dogmática e sistemática antes de abrir a boca contra a religião.

     
  22. Valério,

    Caso você não saiba os espectadores pagaram o ingresso no valor de R$80,00 e respectivamente R$40,00 no caso de meia entrada. O “dinheiro público” como você diz, patrocina todo o festival e não somente esse espetáculo. Patrocinando também outros artistas e outras peças e shows. Mas como Porto Alegrense você deve saber isso muito bem.

    Quanto a minha imagem, fiquem á vontade, adoraria ter um painel gigante com o meu rosto sendo apedrejado, sujo com dejetos humanos e o que mais quiserem. Isso realmente seria ótimo, me colocando no mesmo nível da face de Cristo.

    Talvez você não seja um alienado religioso e sim esteja indignado com o uso das verbas públicas, mas se for por isso procure se informar melhor sobre o festival e o resto da programação. E se você quiser vá hoje assistir á peça e depois fale com mais propriedade sobre o assunto!

     
  23. Diego Luiz Nardi,

    Foi você quem me chamou de alienado religioso – sem saber se eu tenho ou não um religião. A análise que fiz naquele comentário começava com o seguinte: “vamos supor”. Você não consegue nem interpretar um texto.

    Você se sente todo doído por que lhe chamei de ator de quinta categoria e pergunta que autoridade eu tenho para isso, mas ao mesmo tempo se acha na autoridade de zombar da religião de outros e não pensa que ultrajar a imagem de Cristo, sob pretexto de arte e com dinheiro público, pode doer no coração de milhões de fiéis?

    Uma estampa de Cristo pode ser vilipendiada, mas a sua não?

     
  24. Diego Luiz Nardi,

    Sinceramente, não sei dizer. Mas vamos supor o seguinte. Você disse que eu sou um “alienado pela religião” e que você “prefere mil vezes ser um ator de quinta categoria” do que ser igual a mim. E sou um alienado e você um ator de quinta. Preferências são preferências.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome