Estadao.noticias reproduz matéria de Alexandra Stevenson e Cao Li, The New York Times, 26 de março de 2019: Desaceleração da China gera cortes de vagas e redução de salários, mostra que o chamado “gigante asiático” dá vários sinais de desaceleração e crise.

A desaceleração da China, que deixa ociosas fábricas e canteiros de obras, está se estendendo aos escritórios. Funcionários com diplomas universitários, os chamados colarinhos brancos, estão sendo afetados pelos cortes dos empregos e por salários cada vez menores. Até as grandes empresas de tecnologia, como a JD.com, uma varejista online, e a Dido Chuxing, o equivalente do Uber na China, e uma das startups mais valiosas do mundo, não foram poupadas”.

         “A desolação dos funcionários de colarinho branco sugere que a desaceleração da economia da China – a segunda maior do mundo – é maior do que os números oficiais indicam. A China depende cada vez mais dos consumidores de classe média, que ajudam a ampliar a economia além de sua base industrial. Mas estes consumidores não estão gastando como costumavam fazer, e esta letargia ricocheteia em todas as partes da economia”.

       “Em uma extremidade de um salão de eventos, os candidatos sentavam desanimados em baixo de uma faixa que dizia: “Espero que você encontre um bom emprego logo”.

        “A China não revela dados confiáveis sobre emprego ou demissões”

     “A China não revela dados confiáveis sobre emprego ou demissões, portanto todo o impacto da desaceleração não está claro. Mas inúmeros sinais apontam para vários problemas”.

     “… baseada em uma pesquisa entre empresas de serviços, sugere que o emprego encolheu em uma variedade de setores. Executivos da área de recursos humanos e diretores de empresas de tecnologia, de incorporadoras e de outras grandes empresas privadas falaram em demissões nos últimos meses de até 30% dos funcionários em algumas firmas (…).”

* * *

     Essa é a China real (não a descrita pela midia de esquerda) que dá vários sinais de desaceleração. A China que precisa da matéria prima para suas indústrias (porque não a tem) que importa grande quantidade de alimentos para sua população (porque não produz o suficiente).

     Essa é a China que ameaça e sorri ao Brasil, que proíbe os menores de 18 anos de frequentarem a Igreja, que enaltece a União Europeia enquanto bloco anti americano, que sustenta o regime socialista da Venezuela, Cuba.

Sejamos previdentes, saibamos defender nossa soberania e honra: a China é um “gigante com pés de barro”.

https://internacional.estadao.com.br/noticias/nytiw,desaceleracao-da-china-gera-cortes-de-vagas-e-reducao-de-salarios,70002765016

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta