17 Estados protegem crianças e jovens de experimentos trans

Procuradores defendem infância contra ideologia de gênero

0

20 de julho de 2021 (LifeSiteNews) – Dezessete estados estão apoiando uma lei do Arkansas que proíbe procedimentos transgêneros experimentais com risco de vida para crianças e adolescentes.

Coalizão de Procuradores contra experimentos trans em crianças

Uma coalizão de procuradores-gerais do estado, liderada pelo Procurador-Geral do Alabama Steve Marshall, entrou com um pedido de amicus na semana passada no Tribunal Distrital dos Estados Unidos para o Distrito Leste de Arkansas, argumentando que “Arkansas estava dentro de seu direito de proibir tal experimentação em crianças”.

  • Os legisladores do Arkansas promulgaram a Lei Save Adolescents from Experimentation (SAFE) em abril, proibindo os profissionais médicos
  • — de fornecer bloqueadores da puberdade,
  • — hormônios do sexo cruzado
  • — ou cirurgias de “mudança de sexo” para menores de gênero confuso.

Extrema esquerda tenta bloquear defesa de crianças

A American Civil Liberties Union (ACLU), de extrema esquerda, sem fins lucrativos, processou o Arkansas no mês seguinte para bloquear a lei em Brandt v. Rutledge.

É sempre a esquerda que tenta impor sua ideologia

17 Estados se aliam para a defesa das crianças e adolescentes

Junto com Marshall, os procuradores-gerais do Alasca, Arizona, Geórgia, Idaho, Indiana, Kansas, Kentucky, Louisiana, Mississippi, Missouri, Montana, Nebraska, Carolina do Sul, Dakota do Sul, Tennessee e Texas juntaram-se ao amici do escrito do tribunal em apoio à Lei SAFE.

“Como Arkansas, amici estão preocupados com o aumento nos últimos anos de crianças que sofrem de disforia de gênero e outras formas de sofrimento psicológico relacionado ao gênero”, afirmou o documento, acrescentando que “essas crianças vulneráveis ​​estão sofrendo muito e precisam de ajuda”.

“Gaste apenas um pouco de tempo com a literatura científica neste campo e algumas coisas se tornarão bastante claras: a ciência nesta área está em grande parte incerta; quase todos concordam que muito mais pesquisas são necessárias; e a abordagem atualmente popular para o atendimento nos Estados Unidos não é apoiada por estudos bem pesquisados ​​e baseados em evidências ”, continuou o documento.

Os procuradores-gerais republicanos notaram que, embora a grande maioria dos menores saia da disforia de gênero naturalmente, a pesquisa indica que virtualmente todos aqueles que iniciam os bloqueadores da puberdade avançam para os hormônios do sexo cruzado e outras intervenções irreversíveis, como cirurgias mutiladoras.

As complicações das práticas incluem “infertilidade, perda da função sexual, aumento do risco de ataques cardíacos e derrames, problemas de densidade óssea, risco de desenvolvimento cerebral alterado, riscos sociais de puberdade tardia e problemas de saúde mental”, disse o amicus brief.

***

Cabe aos pais de família saberem educar seus filhos de modo a alimentar as qualidades próprias a cada sexo. Deus os criou homem e mulher, diz a Escritura Sagrada.

A educadora de D. João d´Áustria, o vencedor da Batalha de Lepanto, fez esse teste com o menino de 10 anos. Levou-o sala por sala do seu castelo e foi observando as reações. Capela, para saber se ele tinha vocação eclesiástica. Salões para ver sua propensão para vida social. Sala de armas, foi onde o menino se encantou: estava descoberta a vocação desse futuro herói de Lepanto.

Essa deveria ser a orientação do ensino, desde a infância: aos meninos e às meninas a formação adequada às funções próprias a cada sexo. E, sobretudo, os pais, formadores naturais de seus filhos, segundo a doutrina da Santa Igreja.

Fonte: 17 states defend Arkansas law banning child ‘sex changes’ and puberty blockers | News | Lifesitenews

Deixe uma resposta