Uma senhora distinta, católica, muito moralizada, conservadora até, costumava dizer que, em matéria de moralidade, todas as épocas da História se equivalem, pois o que vale é a intenção, e um pecador de ontem pode ter tão má ou tão boa intenção como o que faça algo muito pior nos dias de hoje. Que boa intenção é essa? Se cada um dos dez mandamentos pode ser desobedecido “com boa intenção”, porque Deus os teria instituído? Inútil trabalho.

Eram os anos 80 do século passado. Ao mesmo tempo que a Sra. dizia estas coisas, Dr. Plinio previa, a respeito de uma pergunta da Folha de S. Paulo sobre a censura à TV:

Destravada de qualquer óbice na televisão, a nudez não tardaria a passar do vídeo para a existência cotidiana. E isto importaria na implantação da amoralidade nos costumes. É inútil acrescentar que tal fato acarretaria, por sua vez, a extinção do matrimônio, e a implantação do amor livre”.

Como que vendo numa única visão futuro e passado, Dr. Plinio desce ao fundo da realidade, e não se limita às previsões abaixo, que naquela época eram impensáveis.

E assim, passo a passo,

nada poderá servir de anteparo a que o mundo caia nos últimos extremos da imoralidade ainda cogitáveis, como a bestialidade por exemplo. À espera do dia em que certa ciência consiga descobrir formas de abominação moral ainda inexcogitadas…

E em nossos dias? Em contraste com a sra. do início deste artigo, afirma o contrário ainda em dezembro de 2012 uma pessoa muito categorizada para fazê-lo. Trata-se do Pe. Antonio Fortea, exorcista espanhol e autor de vários livros famosos. Diz que a sociedade atual é mais pecadora que as anteriores:

Os Santos que nos advertiram do pecado na Idade Média, nos séculos posteriores, no século XIX, teriam ficado desolados ante o panorama atual. Sempre houve pecado, mas nem sempre houve a mesma quantidade de pecados”, declarou o sacerdote.[2]

Mas…  a mudança de ano pede uma mensagem de otimismo, e o site Plinio Corrêa de Oliveira nos oferece esse terrível instantâneo da sociedade atual?

Peçamos a Nossa Senhora que sorria para nós no ano que entra, concedendo-nos abundantes graças de perseverança na luta por Sua causa.

Pondero que não devemos ser antecipadamente nem otimistas nem pessimistas, mas “pessimólogos”, como dizia Dr. Plinio. O pessimólogo é um entendido em ótimo e em péssimo, ambos com chances, com força de expansão, com sua relativa dependência da vontade humana. Não cabe ter otimismo nem pessimismo sem razão, ou seja, um otimismo ou um pessimismo a priori, ou seja, antes de qualquer exame. O pessimólogo não é necessariamente um pessimista. O que é preciso  é ver a situação inteiramente como ela é, nem rosa, nem azul, nem inteiramente preta ou de qualquer outra cor. Seria um mau início de ano, por exemplo, fingir que  a realidade merece um sorriso de alegria sem reservas, se todo mundo sabe que não dá para isso.

E o caos geral, característica destes dias, não é nem rosa, nem azul, nem inteiramente preto. Nele todas as cores se perdem num cinza imundo, cheio de reflexos apagados de todas as cores

Quando não há convicção, algumas pessoas atendem ao: Você está sendo filmado. Sorria! Este é o “sincero” sorriso da atualidade, um sorriso falso, com uma ameaça por detrás!

Mas diz o Livro dos Provérbios: Se tu te mostras fraco nos dias da adversidade, tua força não é senão fraqueza”.[3] E Dr. Plinio: Neste vale de lágrimas, a alegria é a véspera do dia da luta; a luta é a véspera do dia da glória.

Em outra ocasião disse:

O triunfo passa pela catástrofe, e as catástrofes são as cirurgias de Deus na História, encurtam as curas, resolvem os problemas.

A cada ano que passa, estamos mais próximos deste momento. Entre o falso otimismo e o falso pessimismo, optemos por ser “pessimólogos”, sob o olhar de Nossa Senhora Sede da Sabedoria, que se apresenta a nós “como o exemplo da razoabilidade, da ponderação, da medida em tudo que se pensa e se diz.[4]

Vamos sorrir sim, mas de uma maneira autêntica para o que diz Nossa Senhora em Fátima: Por fim, meu imaculado coração triunfará.

E então ‒ ou desde já ‒  vamos sorrir para o sorriso dEla!


[1] “Folha de S. Paulo”,  2.7.1988.

[2] ACI, , 7-12-12.

[3] XIV, 10.

[4] Dr. Plinio em 2-7-63.

5 COMENTÁRIOS

  1. Los felicito por este magnífico artículo que nos coloca de frente a la realidad que nos toca vivir. Que Nuestra Señora de Fátima intervenga cuanto antes en estos tiempos como prometió en Fátima: “Por Fin Mi Inmaculado Corazón Triunfará!”

  2. Excelente artículo del Sr. Daniele. Muy serio y muy sabio; no cabe ser optimista sin fundamento alguno, porque lo pide el ambiente; tampoco podemos recusar que tenemos razones para ser optimistas. La promesa de Nuestra Señora en Fátima, por ejemplo; las profundas reflexiones del Dr. Plinio sobre las catástrofes de la historia que operan como “cirugías” de la providencia divina. Juzgo que la actitud adecuada es poner todo nuestro optimisto en los medios que nos concede la Misericordia de Dios, la oración y los sacramentos; pedir ayuda; y obrar en consecuensia en defensa de la fé y de la civilización cristiana. Después, tener paciencia y esperar; Dios es un Padre bueno y no abandona a los suyos; su providencia es infalible.-

  3. Sempre suspeitei que nesses tempos finais da história humana se peca mais que antigamente e só consigo associar isto ao fato de mídias anticristãs divulgarem a pornografia sem cortes e sem distinção é para todos e por todos.SANTA BERNADETE já previa esses tempos terríveis logo que o homem descobrisse o que ela chamou de “bulbo de luz” o mundo seria iluminado pela luz do mundo e viveria nas trevas em relação a DEUS, “bestas” surgiriam e matariam as pessoas não são bestas monstros não são as bestas chamadas de armamento bélico de todas as formas, veículos velozes,drogas as mais variadas,as invenções humanas nem todas são para o nosso bem. Antigamente santos se encontravam e se santificavam mais ainda,as crianças eram crianças,não se tratava de assuntos de cunho íntimo na frente delas,hoje se você repreende alguém que escandalizou uma criança vira motivo de risos.Rezo pela inocência das crianças e DEUS acolha as minhas orações pois penso que de pouco adianta mas rezo assim mesmo.”Embriaguem-se,não de bebida.Durmam, mas não de sono” O mundo dorme nas ondas das coisas “boas” embriagam-se de novidades.Esquecendo-se de DEUS.

  4. Crer, orar, e ficar de braços cruzados não basta. Se é certo que a tal ‘nova ordem mundial”
    está por aqui, mais certo é enfrentarmos com lealdade e sinceridade , devemos analisar os
    erros, principalmente do comodismo , pois a mídia chegou aonde chegou com o nosso con-
    sentimento. RECLAMAR SÓ NÃO É O SUFICIENTE. ESPERAR AJUDA DIVINA É CONTAR COM O
    ÔVO DENTRO DA GALINHA. Resta A G I R.
    Aos pessimistas eu sugiro estudar mais e melhor as profecias mayas, talvez lá contenha
    fórmulas de suicídio.
    Aos otimistas desejo FELIZ 2.013/14/15/16/17………….

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome