Notícia do Estado, 30 de setembro, informa que Xi Jinping comandará na terça-feira as celebrações do 70.º aniversário da China comunista” – por ironia – também prestou homenagens a Mao na Praça Tiananmen (Paz Celestial), no centro de Pequim, o local da sangrenta repressão com centenas de mortes de estudantes em 1989.

Nosso site publicou um artigo por ocasião dos 30 anos da chacina de estudantes em 1989. https://ipco.org.br/por-que-a-china-esconde-ha-30-anos-chacina-de-milhares-na-praca-tianemnem/

Comemorar os 70 anos de implantação do comunismo na China (e os 70 milhões de vítimas) é a maior prova de que Xi Jinping aplaude, concorda e continua os crimes de Mao. https://ipco.org.br/china-comemora-70-anos-da-revolucao-e-70-milhoes-de-mortos/

 

Os protestos de Hong Kong: uma espada de Dâmocles

       Continua a notícia: “As manifestações pró-democracia em Hong Kong marcadas para terça-feira – que coincidem com o 70.º aniversário de fundação do regime comunista no país”.

Há quatro meses são registradas manifestações quase diárias em Hong Kong para exigir reformas democráticas. Mas nos últimos dias a tensão aumentou, com a aproximação da data que vai celebrar, na terça-feira, os 70 anos da criação da República Popular da China.

O grande temor da China: efeito dominó

        Com muito acerto afirmou o Cardeal Zen que as manifestações em Hong Kong têm repercussões na China e é isso que mais teme o presidente vitalício (ditador) Xi Jinping: um efeito dominó que provoque manifestações pró liberdade em todo território chinês.

Duzentos milhões de câmeras, censura na internet, censura à imprensa e à Religião não são suficientes para policiar e dominar a população.

A China teme o efeito negativo no Ocidente

      O Exército chinês tem condições de sufocar as manifestações em Hong Kong. Por quê não o faz repetindo a sangrenta repressão aos estudantes em 1989 na Praça da Paz Celestial?

A resposta é fácil: Xi Jinping precisa do Ocidente, precisa do comércio com os EUA, dos acordos com a União Europeia,  precisa da matéria prima e alimentos que procedem do Brasil.

Uma repressão sangrenta em Hong Kong faria cair a máscara de uma China “boazinha”, bem intencionada, que faz tratados internacionais inspirados na “confiança mútua”.

 * * *

Os protestos em Hong Kong são exatamente pedidos de liberdade face às constantes violações do acordo China-Reino Unido em 1997.

Mas, Xi promete que “respeitará a autonomia de Hong Kong e manter o princípio aplicado à ex-colônia britânica de “um país, dois sistemas”, após meses de manifestações pró-democracia neste território”.

Quem vai acreditar nessa promessa? Os protestos em Hong Kong, pedindo liberdade, são a prova da violação do Tratado de 1997, pelo governo chinês.

Para os comunistas os Tratados são farrapos de papel. Bem o lembrou o Presidente Trump, recentemente: com a China nem tratados assinados!

Saibamos tirar de tudo isso uma conclusão: festejar 70 anos de repressão comunista (70 milhões de mortos), a perseguição aos católicos, a repressão em Hong Kong, que anseia por liberdade, provam que Xi Jinping é um autêntico ditador e continuador da Revolução de Mao.

Fonte: https://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,policia-da-china-alerta-para-manifestacoes-perigosas-em-hong-kong-no-aniversario-do-regime,70003030932

 

Deixe uma resposta