Manifestação do grupo "reformista" Wir Sind Kirche (Nós somos Igreja)
Manifestação do grupo “progressista Wir Sind Kirche (Nós somos Igreja)

“Grupos reformistas” exigem, num apelo dirigido ao Sínodo, um distanciamento do “ensinamento ossificado sobre casamento, família e sexualidade”.

No apelo estão colocadas as típicas exigências do ambiente de esquerda: reconhecimento da homossexualidade, abolição do celibato etc.

A Encíclica Humanae vitae e sua doutrina sobre o casamento, meios de prevenção artificiais etc., são recusados com veemência pelos tais grupos.

A razão que apresentam para essa recusa: “O ensinamento da hierarquia eclesiástica a respeito do controle da natalidade na Encíclica Humanae vitae não foi aceito pela grande maioria dos fieis”.

Diversos grupos alemães apoiam o apelo  como “Homossexuais e Igreja (HuK)”, “Iniciativa Igreja das bases”, “Iniciativa de Párocos – Alemanha”, “Somos Igreja”,  entre outros.

O apelo sob o titulo “Sigam o Papa Francisco na via do diálogo e da reforma!” está redigido num estilo agitador.

Essa ação não pretende limitar suas atividades à duração do Sínodo. Para novembro deste ano já estão planejados dois congressos.

Ao longo deste ano, os grupos de esquerda católica declararam repetidas vezes que o Sínodo da Família era apenas o inicio de uma (nova) luta contra a moral tradicional da Igreja Católica a respeito de família e sexualidade.

Tradução do original alemão de Renato Vasconcelos