A mídia brasileira é de fato curiosa. Ainda há pouco – num evento internacional –Evo Morales foi sua vedete preferida. Hoje, quando a Bolívia deita labaredas por todos os lados, em decorrência de greves e outras manifestações contrárias ao governo, nosso público quase não é informado.

É bem verdade que os atuais protestos naquele país poderiam ter objetivos mais elevados. Por exemplo, de oposição ao fato de Evo Morales ter promulgado no início deste ano a Lei dos Direitos da Mãe Terra, classificado por um especialista em bioética de “loucura total”, e estar pressionando a ONU para legislar no mesmo sentido. Tal lei abstrusa concede à “Mãe Terra” – inclusive aos insetos e às árvores – direitos iguais aos humanos!

Entretanto, muitas dessas manifestações se relacionam com as necessidades da existência de todos os dias, sem as quais tampouco se vive. E a questão que mais fervilha no momento é o aumento dos salários, com o governo oferecendo até 10% e dizendo não ter dinheiro para mais, enquanto os manifestantes – professores, funcionários públicos, operários etc. – exigem pelo menos 15%.

Toda essa situação fez com que o conhecido diário espanhol “El País” (12-4-11) estampasse matéria com o seguinte título: A Bolívia vive o maior número de protestos dos últimos 41 anos.

– O leitor sabia disso?

Pois bem, o jornal prossegue: “O presidente da Bolívia, Evo Morales, vive hoje, do outro lado da cena, o pesadelo dos conflitos sociais, dos quais foi um dos principais protagonistas a partir dos sindicatos cocaleiros, nos primeiros cinco anos da década passada. O que ele ignorava é que não somente iria provar de seu próprio remédio, mas que teria de suportar o maior número de expressões de descontentamento registrado em 41 anos”.

E para mostrar a extensão dos protestos, “El País” informa que de acordo com o Centro de Estudos da Realidade Econômica e Social (CERES), de Cochabamba, em 2010 ocorreram 811 conflitos sociais (greves, protestos de rua, fechamento de estradas ou de vias e rebeliões nas prisões), com uma média mensal de 67 conflitos! E que no primeiro trimestre de 2011 já se produziram outros 240, em comparação com os 207 havidos no mesmo período do ano passado.

Dada a magnitude das manifestações, algo já transpira na mídia nacional. Segundo a “Folha de S. Paulo” (15-4-11): “Milhares de manifestantes bloquearam parte da capital da Bolívia, La Paz, e outras cidades e chegaram a cercar a casa do presidente Evo Morales”.

— Será que o suculento espólio da Petrobrás – consentido prazerosamente por Lula – ou os petrodólares venezuelanos conseguirão tirar do apuro o “companheiro” bolivariano?

Seja como for, o leitor brasileiro não está sendo suficientemente informado.

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

 

2 COMENTÁRIOS

  1. O fim de EVO MORALES, lacaio e serviçal do Bolivariano Capataz de Venezuela, será semelhante ao de GUALBERTO VILLARROEL, este um seviçal do PERONISMO ARGENTINO. Foi linchado pela população de LA PAZ e Execrado em Praça Públíca no ano de 1946. Que fim triste ocorre com os lacaios.

     
  2. Evo Morales o lacaio de Hugo Chaves implantou o socialismo bolivariano e colheu convulsões sociais. Até quando socialistas, comunistas e afins irão argumentar que trabalham para a justiça social quando é o contrário que produzem?

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome