Comentava o Prof. Plinio, há quase um século, quando o fascismo começava a se levantar contra o Vaticano: “Tomem cuidado, porém, os inimigos da Igreja! Berryer, o imortal defensor de Ney, dizia: “A Igreja não retribui os golpes que recebe; tome cuidado, porém, porque ela é uma bigorna que tem desgastado muitos martelos!””

Brasil conservador, uma bigorna que tem desgastado muitos martelos (esquerda)

Cabe aqui uma analogia de situações

A investida das esquerdas contra o Brasil conservador, contra os conservadores no Brasil é fato público e notório. E, vem de décadas.

Para não ir muito longe, os próceres da Revolução de 30, derrubando a República Velha queriam, na realidade, implantar o socialismo no Brasil: fracassaram e confessaram a razão: a reação católica conservadora; o rápido crescimento da LEC e sua influência decisiva na Constituinte de 34.

João Goulart e as esquerdas fizeram nova tentativa, ajudados por Francisco Julião com as Ligas Camponesas, Brizola e outros. O projeto de implantação da Reforma Agrária socialista e confiscatória foi o estopim que levantou a reação conservadora culminando com a derrubada do regime de esquerda, em 1964.

Divulgado em ruas e praças públicas em o todo território nacional

Em 1976, uma minoria de bispos e leigos católicos de esquerda tentava levantar a tocha das agitações e sufocar o conservadorismo brasileiro. Foi publicado o best seller: A Igreja ante a escalada da ameaça comunista, apelo aos bispos silenciosos. D. Pedro Casáldáliga — recém falecido — e outros bispos de esquerda tentavam galvanizar os meios católicos do Brasil em favor da seita comunista. Mais uma vez, a investida das esquerdas era o Brasil católico e conservador: foi derrotada.

Mais recentemente, o petismo e o falso Centrão tentaram, por 20 anos, se revesar no Poder Executivo e asfixiar a reação conservadora. Conseguiram a reforma da Constituição (1987), projetos aprovados contra a família, propiciaram a invasão de propriedades, endossando o MST. Quando pensavam estarem seguros no Poder e terem esmagado para sempre o Brasil conservador, levantou-se o gigante: “devolvam o meu Brasil!” Foram as monumentais marchas a partir de 2015!

E a esquerda derrotada nas Ruas foi mais tarde, em 2018, derrotada nas Urnas. Mais uma vez a “bigorna” conservadora desgastou os martelos.

A recente manobra de industrializar psicológica, política e ideologicamente a pandemia

Derrotada nas Ruas e nas Urnas a esquerda (minoritária) serve-se do falso Centrão e da Mídia para tentar desgastar o conservadorismo brasileiro. Nosso Site já demonstrou como a pandemia está sendo o atual instrumento das esquerdas para tentar sufocar o conservadorismo.

A linha Verde representa o avanço das curas sobre as infecções

Ademais o Brasil arca com 17,98% das recuperações no Orbe. Estamos próximos a completar 3 milhões de curados, ou seja, se tornaram imunes do vírus chinês!

O que resultou de eficácia para a esquerda a Carta acusatória, assinada por 152 bispos e um milhar de padres progressistas, contra o governo Bolsonaro?

A investida progressista contra a própria Igreja Católica também se desgastou.

***

Cuidado: o Brasil conservador é uma bigorna que tem desgastado muitos martelos de esquerda e do falso Centrão. E, do ponto de vista religioso desgastou o progressismo e a Teologia da Libertação.

Coragem, conservadores, confiança no Cristo Redentor e em Nossa Senhora Aparecida: o futuro do Brasil é nosso.

1 COMENTÁRIO

  1. Salve Maria.
    Enquanto existir um CRUZADO Pronto a COMBATER o VÍRUS COMUNISTA, que nos quer ESCRAVIZAR. JAMAIS SEREMOS DERROTADOS. Pois, NOSSA MÃE VIRGEM SANTÍSSIMA é CONOSCO.
    Amém.

Deixe uma resposta