Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

PRC_Salvador-Museu-da-Gastronomia-Bahiana-3Compreende-se melhor como é o modo de penetrar da brasilidade, sem miscigenação — que entra e muda algo, mas altera acrescentando, muda somando —, através da imagem de uma gota de azeite sobre uma folha de papel. Ela cai e se espalha. Ela tirou algo do papel? Nada! Toda a substância do papel permanece intacta. O papel nem sequer ficou mais grosso com aquela gota de azeite, mas a gota tornou-o transparente, como que transformou-o em cristal. Entrou por ali o “azeite” e tudo mudou.

A Europa, no passado, não compreendeu inteiramente Portugal e empurrou-o para o canto. Portugal, ao mesmo tempo que plantava olivas e uvas — para produzir seu esplêndido vinho —, dentro de sua própria alma “produzia azeite”.

E esse azeite foi “derramado” no Brasil inteiro: é o povo brasileiro, povo “azeitado” por excelência, povo suave, povo amável, povo compreensivo, voltado a admirar os outros, que aprecia encontrar em outro povo uma qualidade. Fica encantado quando aprende de outro uma moda nova, um estilo novo, um arranjo novo, não pensando em se comparar com ninguém. Dispondo de uma tal vastidão de terras, que abriu para todo mundo com toda naturalidade, como quem não está fazendo favor.

Esse povo recebe aqui as mais variadas raças do mundo, às quantidades, e penetra a todas por um lado da alma, que é o que ela tem de mais íntimo. E é curioso: pode-se pegar qualquer povo vindo ao Brasil; se não se miscigena, ele embrasileira. Isso é o mais característico: em alguma coisa no cerne de sua alma penetra o tal “azeite”, de tal forma que ele continua inteiramente pertencente a seu povo, mas, na essência, algo se acrescenta — sem tirar nada — e põe ordem em tudo.

É essa ação de presença do povo brasileiro que torna as coisas afáveis, e, assim, voltadas para a síntese.

_______________________________________

 Excertos da conferência proferida pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira para sócios e cooperadores da TFP, em 17 de abril de 1980. Sem revisão do autor.

Transcrito do site “ABIM”

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorFatos e documentos inéditos revelados em notas biográficas de Plinio Corrêa de Oliveira
Próximo artigoÀ espera do documento papal sobre o Sínodo
Plinio Corrêa de Oliveira
Homem de fé, de pensamento, de luta e de ação, Plinio Corrêa de Oliveira (1908-1995) foi o fundador da TFP brasileira. Nele se inspiraram diversas organizações em dezenas de países, nos cinco continentes, principalmente as Associações em Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP), que formam hoje a mais vasta rede de associações de inspiração católica dedicadas a combater o processo revolucionário que investe contra a Civilização Cristã. Ao longo de quase todo o século XX, Plinio Corrêa de Oliveira defendeu o Papado, a Igreja e o Ocidente Cristão contra os totalitarismos nazista e comunista, contra a influência deletéria do "american way of life", contra o processo de "autodemolição" da Igreja e tantas outras tentativas de destruição da Civilização Cristã. Considerado um dos maiores pensadores católicos da atualidade, foi descrito pelo renomado professor italiano Roberto de Mattei como o "Cruzado do Século XX".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome