Breves: Flórida protege crianças contra pornografia nas escolas

1

TALLAHASSEE, Flórida (LifeSiteNews) – Um novo projeto de lei na Flórida, saudado por defensores pró-família, introduziria penalidades severas para material gráfico em escolas públicas e proibiria o ensino de educação sexual aos alunos sem a permissão explícita dos pais.

Proteção às crianças contra a pornografia nas escolas

De autoria do senador republicano Dennis Baxley, o SB 1842 imporia uma série de mudanças destinadas a proteger as crianças e fortalecer o controle dos pais sobre o conteúdo sexual nas escolas K-12.

O projeto de lei amplia a definição de “pornografia infantil” para incluir qualquer texto que descreva envolver um menor em conduta sexual e também amplia as definições de material considerado “nocivo para menores” ou “obsceno”. O conteúdo que se enquadra nessas definições seria proibido em bibliotecas e salas de aula de escolas públicas de ensino fundamental e médio e em listas de leitura de escolas públicas.

Os distritos escolares que não “removem proativamente todos esses materiais” correm o risco de acusações criminais sob o projeto de Baxley.

“Se o conselho escolar do distrito achar que qualquer material instrucional, incluindo qualquer material usado na sala de aula ou atribuído ou oferecido como material de leitura, viola esta seção, o material deve ser removido proativamente. Essa ação necessária não depende de uma reclamação dos pais ou do residente”, afirma a SB 1842. “Qualquer pessoa que viole qualquer disposição desta seção comete um crime de terceiro grau em relação às escolas.”

***

Auguramos que o projeto de lei tenha sucesso e contribua para preservar a inocência de crianças e a pornografia infantil no âmbito escolar. Seria uma grande vitória pró família e um freio nas ofensas a Deus Nosso Senhor.

***

Os distritos escolares seriam obrigados a revisar o material instrucional nas salas de aula das escolas públicas até 1º de julho de 2023 para verificar se há violações e removê-los “independentemente de o conselho escolar distrital ter recebido alguma reclamação sobre o material”, informa a notícia.

Os pais ainda podem contestar o material instrucional adotado por um conselho escolar a qualquer momento. Um juiz de direito administrativo teria autoridade final sobre a petição de um dos pais.

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/florida-bill-would-ban-pornographic-content-in-schools-require-parents-consent-for-sex-ed/?utm_source=top_news&utm_campaign=catholic

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta