Cai o moral das tropas russas: Ucrânia resiste, assistência religiosa

0

Assistência religiosa, determinação de resistir: essa é a Ucrânia face à invasão russa comandada por Putin.

“Certamente temos indicações de que o moral é um problema crescente dentro das forças russas que estão lutando na Ucrânia”, disse o secretário de imprensa do Pentágono, John Kirby, na terça-feira, durante uma coletiva de imprensa. “E à medida que o tempo passa, e eles continuam a falhar em alcançar o progresso no terreno que eles querem alcançar, temos visto crescentes indicações de que o moral e a coesão da unidade são um problema.”

Assistência religiosa católica aos combatentes e ao povo

Ele disse que as forças russas estão lutando com logística e sustentação há algum tempo, principalmente devido a dois motivos: eles não planejaram adequadamente e os ucranianos estão direcionando seus esforços de reabastecimento.

“Sabemos que eles continuam tendo problemas de combustível em toda a sua força… eles ainda estão lutando com comida. Quero dizer, você mesmo viu as imagens de soldados russos saqueando mercearias. Então eles ainda estão tendo problemas para alimentar algumas de suas tropas”, disse Kirby aos repórteres. https://www.theepochtimes.com/russian-forces-suffering-from-low-morale-as-war-in-ukraine-drags-on-pentagon_4357578.html

Assistência religiosa é fundamental

Segundo algumas fontes mais de 6.000 padres e freiras católicos permaneceram na Ucrânia para fornecer abrigo, comida, curar os feridos, fornecer apoio espiritual e administrar os sacramentos.

Algumas pessoas se confessaram pela primeira vez, para estarem preparadas para a morte.

Alguém foi ser batizado antes de ir para a guerra e fazer sua primeira comunhão. Milhares se refugiaram nos campos do seminário em duas cidades; a Igreja os acolhe e lhes dá comida, um lugar para dormir e se lavar, e apoio espiritual.

É a Santa Igreja presente nas horas difíceis. Se não fosse a pressão progressista e leis ditatoriais, muitos sacerdotes teriam ido para a linha de frente no combate ao coronavírus, é sempre bom lembrar isso.

Dom Vitalii Kryvytsky: “não podemos estar em nenhum outro lugar”

(ACN / InfoCatólica) Dom Vitalii Kryvytsky, da diocese latina de Kiev-Zhitómir, é um dos muitos líderes eclesiásticos da Ucrânia que se recusou a abandonar seu rebanho. A diocese abrange a capital, Kiev e áreas vizinhas, que estão sob crescente pressão à medida que as tropas russas se aproximam, tentando cercar a cidade.

No momento em que a guerra na Ucrânia entra em sua quarta semana, a diocese, que conta com o apoio da pontifícia fundação Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) para superar a grande crise humanitária que vive, compartilhou com ela um relatório no qual detalha não só o sofrimento a que a população é submetida, mas também o esforço da Igreja para aliviá-lo e ajudá-lo.

Apesar do perigo imediato para a vida de todos os que permanecem, o clero de Kyiv-Zhytomyr, liderado pelo bispo, permanece com seu povo. Dom Vitalii é categórico ao afirmar que em um momento como este “não podemos estar em nenhum outro lugar”. https://www.infocatolica.com/?t=noticia&cod=42979&utm_medium=whatsapp&utm_source=whatsapp&utm_campaign=btnwa

***

Rezemos pela Ucrânia, pelos feridos, por sua resistência face à agressão russa. Trata-se de legítima defesa do País face à invasão comandada por Putin.

Nossa Senhora proteja a Ucrânia.

Deixe uma resposta